Nota: Se procura o filho de Zeus, veja Mirmidão (filho de Zeus).

Os mirmidões ou mirmídones foram um dos lendários povos tessálicos que acompanharam Aquiles à Guerra de Troia. O nome deles deriva do grego myrmex que significa formiga.

O rei Éaco, monarca da ilha de Egina, teve a população de sua cidade-estado dizimada vil e ardilosamente por uma praga enviada pela cruel Hera, por simples ciúmes: Egina, nome da ilha, era o mesmo nome de uma das amantes de seu marido e mãe do rei.[1] De acordo com as Metamorfoses de Ovídio, Éaco então pediu a Zeus meios para repovoar a ilha. Zeus acabou por transformar formigas em humanos, sendo eles o mirmidões[2]. Daí viriam sua lealdade, força e resistência, além de suas armaduras marrons.

Quando Éaco exilou seu filho Peleu pelo assassinato de seu meio-irmão Foco, Peleu levou alguns mirmidões consigo para a Tessália. Aquiles, filho de Peleu, os levou consigo para o conflito contra Troia.[3]

Referências

  1. Higino, Fabulae, LII, Égina
  2. Metamorfoses. Ovídio. [S.l.: s.n.] 
  3. Hamilton, Edith (1969) [1940]. "Brief Myths Arranged Alphabetically". Mythology: Timeless Tales of Gods and Heroes (Renewal ed.). New York: Mentor Books. p. 310. ISBN 0-451-62803-9.

Biblografia editar

  • Bulfinch, Thomas. (1796-1867) História da Mitologia: a idade da fábula: histórias de deuses e heróis// Thomas Bulfinch.
  Este artigo sobre mitologia grega é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.