Misery (filme)

Misery
O Capítulo Final (PRT)
Louca Obsessão (BRA)
 Estados Unidos
1990 •  cor •  107 min 
Direção Rob Reiner
Roteiro William Goldman
Elenco James Caan
Kathy Bates
Richard Farnsworth
Género terror
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Misery (br: Louca obsessão / pt: Misery - O capítulo final) é um filme estadunidense de 1990 do gênero suspense dirigido por Rob Reiner e baseado no livro homônimo de Stephen King. estrelado por James Caan , Kathy Bates ,Lauren Bacall ,Richard Farnsworth e Frances Sternhagen o filme é sobre um fã psicótico que mantém um autor cativo e o obriga a escrever suas histórias.

O filme foi lançado em 30 de novembro de 1990 nos Estados Unidos, com críticas positivas e foi um sucesso de bilheteria. Bates ganhou o Oscar de Melhor Atriz na 63º Oscar . Misery é o único filme baseado em um romance de Stephen King a ganhar um Oscar.[1] A cena em que a fã psicótica tortura o autor o deixando manco foi classificado # 12 na lista da Bravo's dos 100 momentos mais assustadores do filme.[2]

SinopseEditar

Após sofrer um acidente em uma região isolada, um escritor é salvo por uma ex-enfermeira que é grande de seus livros. Entretanto, após saber que ele matou sua personagem mais famosa em seu próximo livro, ela passa a torturá-lo na intenção de fazer com que ele desista da decisão. Ela queima o livro anterior e o faz recomeçar outro. Logo, ele descobre o lado obscuro e obsessivo de sua cuidadora, e passa a querer fugir dali.[3]

Elenco principalEditar

ProduçãoEditar

O produtor Andrew Scheinman leu o romance Misery, de Stephen King , em um avião, e mais tarde o recomendou a seu parceiro diretor na Castle Rock Entertainment ,Rob Reiner. Reiner finalmente convidou o escritor William Goldman para escrever o roteiro do filme.[4][5]

O personagem de Paul Sheldon foi originalmente oferecida a William Hurt (duas vezes), depois a Kevin Kline ,Michael Douglas ,Harrison Ford ,Dustin Hoffman ,Robert De Niro ,Al Pacino ,Richard Dreyfuss ,Gene Hackman e Robert Redford. Warren Beatty estava interessado no papel, querendo transformá-lo em um personagem menos passivo.[6] mas acabou tendo que abandonar a pós-produção de Dick Tracy. Eventualmente, alguém sugeriu James Caan, que concordou em desempenhar o papel. Caan comentou que se sentiu atraído pela maneira como Sheldon era um papel diferente de qualquer outro, e que "ser um personagem totalmente reacionário é realmente muito mais difícil".[7]

Anjelica Huston e Bette Midler foram outros nomes sondados para o papel que acabou ficando com Kathy Bates.[5] Segundo Reiner, foi Goldman quem sugeriu que Kathy Bates, então desconhecida, deveria interpretar Annie Wilkes.[8]

RecepçãoEditar

Misery arrecadou US $ 10.076.834 em seu primeiro final de semana, terminando em segundo nas bilheterias atrás de Home Alone.[9] Acabou eventualmente com US $ 61 milhões no mercado interno.[10]

No Rotten Tomatoes ,o filme tem uma classificação de 90%, com base em 67 críticas, com uma classificação média de 7,55 / 10; o consenso diz: "Elevado pelas performances de destaque de James Caan e Kathy Bates, este filme tenso e assustador é uma das melhores adaptações de Stephen King até hoje".[11] É o quarto filme baseado em um livro de king com maior aprovação no site.[12] No Metacritic ,que atribui uma classificação média ponderada às críticas, o filme tem uma pontuação de 75 com base em 23 críticos, indicando "críticas geralmente favoráveis".[13] O público entrevistado pela CinemaScore atribuiu ao filme uma nota média de "A-" na escala A+ a F.[14]

Roger Ebert gostou do filme, dando uma classificação de três estrelas em quatro e afirmando: "é uma boa história, natural e nos agarra".[15] A Variety o chamou de "um thriller gótico muito óbvio e muito comercial, uma adaptação funcional do best-seller de Stephen King.[16] Vincent Canby, do The New York Times, elogiou a performance de Kathy Bates , chamando-a de "uma performance genuinamente engraçada como a louca Annie, tão alegremente escrita no roteiro de Goldman quanto no romance de King.[17]

O próprio King afirmou que Misery é uma de suas dez principais adaptações favoritas de filmes, em sua coleção Stephen King Goes to the Movies.[18] Em suas memórias intituladas On Writing: A Memoir of the Craft ,King faz referência à adaptação cinematográfica do livro, dizendo:

"No início dos anos 80, minha esposa e eu fomos a Londres em uma viagem combinada de negócios / lazer. Adormeci no avião e sonhei com um escritor popular (pode ou não ter sido eu, mas com certeza Deus não era James Caan ) ..."[19]

ReconhecimentoEditar

A revista Bloody Disgusting classificou Misery em quarto lugar na lista de "10 filmes de terror mais claustrofóbicos".[20]

Annie Wilkes foi classificada em # 17 na lista de 100 anos ... dos 100 heróis e vilões da AFI.[21]


Prêmio Categoria Notas Resultado
Oscar Melhor Atriz Kathy Bates Venceu
Chicago Film Critics Association Awards Melhor Atriz Venceu
Golden Globe Awards Melhor Atriz - Drama Venceu
American Film Institute Os 100 Maiores Heróis e Vilões Annie Wilkes (Kathy Bates) 17º Lugar (Vilão)

Referências

  1. «The Best and Worst of Stephen King's Movies - MSN Movies News». web.archive.org. 3 de dezembro de 2013. Consultado em 6 de junho de 2020 
  2. «"Os 100 momentos mais assustadores do cinema de Bravo"». www.listology.com. Consultado em 6 de junho de 2020 
  3. AdoroCinema, Louca Obsessão, consultado em 6 de junho de 2020 
  4. Goldman, William. Que mentira eu contei?. [S.l.: s.n.] p. 37 
  5. a b AdoroCinema, Louca Obsessão: Curiosidades, consultado em 6 de junho de 2020 
  6. «Rob Reiner Takes On 'Misery' : The director follows his hit comedy 'When Harry Met Sally . . . ' with a chiller, his second film taken from a Stephen King novel». Los Angeles Times (em inglês). 29 de abril de 1990. Consultado em 6 de junho de 2020 
  7. «James Caan Enjoying His 'Misery' : Hollywood's Reputed Bad Boy Resurfaces in the Rob Reiner-Directed Psychological Thriller». Los Angeles Times (em inglês). 29 de novembro de 1990. Consultado em 6 de junho de 2020 
  8. https://www.youtube.com/watch?v=c-rLZaTs5AY
  9. «"Resultados da bilheteria do fim de semana de 30 de novembro a 2 de dezembro de 1990"». Box Office Mojo. Consultado em 6 de junho de 2020 
  10. «Informação da bilheteria de Misery». Consultado em 6 de junho de 2020 
  11. Misery (1990) - Rotten Tomatoes (em inglês), consultado em 6 de junho de 2020 
  12. «All Stephen King Movies Ranked» (em inglês). Consultado em 6 de junho de 2020 
  13. Misery - Metacritic, consultado em 6 de junho de 2020 
  14. contributors, Wikipedia. Focus On: 100 Most Popular 1990s Action Films (em inglês). [S.l.]: e-artnow sro 
  15. Ebert, Roger. «Misery movie review & film summary (1990) | Roger Ebert». https://www.rogerebert.com/ (em inglês). Consultado em 6 de junho de 2020 
  16. Staff, Variety; Staff, Variety (1 de janeiro de 1990). «Misery review». Variety (em inglês). Consultado em 6 de junho de 2020 
  17. Bramesco, Charles. «Misery». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  18. King, Stephen, 1947- (2009). Stephen King goes to the movies. London: Hodder & Stoughton. p. 579. OCLC 301754180 
  19. King, Stephen, 1947- (2000). On writing : a memoir of the craft. New York: Scribner. p. 165. OCLC 43903453 
  20. Eggertsen, Chris (20 de outubro de 2009). «A Look at the Top 10 Claustrophobic Horror Movies!». Bloody Disgusting! (em inglês). Consultado em 6 de junho de 2020 
  21. «AFI's 100 YEARS…100 HEROES & VILLAINS». American Film Institute (em inglês). Consultado em 6 de junho de 2020 

Ligações externasEditar