Movimento de Libertação Unido Youlou

O Movimento de Libertação Unido Youlou (em inglês: Youlou United Liberation Movement, YULIMO) foi um movimento político marxista-leninista em São Vicente e Granadinas que surgiu nos anos 70. O YULIMO mais tarde desapareceu, sendo largamente absorvido pelo Movimento para a Unidade Nacional.[2]

Movimento de Libertação Unido Youlou
Youlou United Liberation Movement
Líder Ralph Gonsalves
Fundadores Renwick Rose, Jim Maloney, Patches Knights, Caspar London, Hugh Ragguette, Glentoy Tswala Browne, Ralph Gonsalves[1]
Fundação 1974
Ideologia Marxismo-Leninismo
Espetro político Extrema-esquerda
Antecessor Comité de Ação da Libertação Negra
Organização para a Consciência Cultural Negra
Grupo Jovem Socialista
Fusão Movimento Popular Unido
País São Vicente e Granadinas
Política de São Vicente e Granadinas

Partidos políticos

Eleições

O YULIMO lutou ativamente pela independência nacional, tendo o futuro primeiro-ministro Ralph Gonsalves sido um dos seus membros.[3]

HistóriaEditar

O YULIMO surgiu em 1974, pela fusão entre o Comité de Ação da Libertação Negra (BLAC),[nota 1] a Organização para a Consciência Cultural Negra (OBCA) e o Grupo Jovem Socialista (YSG); ideologicamente os dois primeiros preocupavam-se sobretudo com as questões da desigualdade racial, e o última tinha uma abordagem mais virada para a luta de classes tradicional[4][1]. Na altura, não participava em eleições e criticou o Movimento da Liberdade Democrática (DFM), o mais à esquerda dos partidos oficiais, por ter participado nas eleições de dezembro de 74.[4] O nome "Movimento de Libertação Unido Youlou" referia-se a Youlou e Begos, o nome indígena de São Vicente e Granadinas.[1]

O YULIMO era liderado por Ralph Gonsalves, então professor universitário em Barbados,[5] tendo como outras figuras Caspar London, Mike Browne e Renwick Rose.[6]

Em agosto de 1979, o YULIMO juntou com o Movimento Popular Democrático (resultado da reunião entre o DFM e o Congresso Unido Popular) e com o grupo rural Arwee para dar origem ao Movimento Popular Unido (UPM).[4][7]

Em 1982, Gonsalves abandonou o UPM para fundar o Movimento para Unidade Nacional,[8]; em 2001, tornou-se primeiro-ministro de São Vicente e Granadinas, pelo Partido Trabalhista de Unidade (ULP).[9]

Notas

  1. Uma das fontes refere "Comité" e outra "Movimento"; ambas indicam "BLAC" como sigla

Referências

  1. a b c Thomas, Jomo (26 de junho de 2020). «Race And Class In SVG». The Vincentian (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2020 
  2. Mars, Perry (1998). Ideology and Change: The Transformation of the Caribbean Left. Col: African American life series (em inglês). Detroit: Wayne State University Press. p. 59. ISBN 9780814327692. Consultado em 27 de julho de 2020 
  3. Gonsalves, Ralph E. (27 de outubro de 2004). «Twenty-Five Years of Nationhood for St. Vincent and the Granadines» (PDF). Government of Saint Vincent and the Grenadines (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2020. Arquivado do original (PDF) em 12 de dezembro de 2007 
  4. a b c Rose, Renwick (9 de agosto de 2019). «40th anniversary of UPM». Searchlight (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2020 
  5. Maingot, Anthony (2018) [1994]. The United States And The Caribbean: Challenges Of An Asymmetrical Relationship (em inglês). [S.l.]: Routledge. p. 130. 260 páginas. ISBN 9780429975424. Consultado em 20 de agosto de 2020 
  6. Rose, Renwick (16 de agosto de 2019). «Fortieth anniversary of the United People's Movement (UPM) – Part 2». Searchlight (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2020 
  7. Rose, Renwick (3 de dezembro de 2004). «The UPM and the 1979 elections – some reflections». Searchlight (em inglês). Consultado em 13 de agosto de 2020 
  8. Gonsalves, Ralph (14 de março de 2016). «"The Grenada Revolution: Historical Context, Impact And Continuing Significance"» (PDF). Office of the Prime Minister - St. Vincent and the Grenadines (em inglês). p. 12. 44 páginas. Consultado em 18 de agosto de 2020 
  9. «St Vincent and the Grenadines profile - Leaders». BBC (em inglês). 27 de novembro de 2014. Consultado em 17 de agosto de 2020