Abrir menu principal

National Association Opposed to Woman Suffrage

Headquarters of the National Association Opposed to Woman Suffrage in New York City.
Sede da Associação Nacional de Oposição ao Sufrágio da Mulher, em Nova York.

A Associação Nacional de Oposição ao Sufrágio feminino. Em ingles: The National Association Opposed to Women Suffrage (NAOWS) foi fundada nos Estados Unidos por mulheres que se opunham ao movimento sufrágista , em 1911. Foi a organização anti-sufragio mais popular em cidades do nordeste dos EUA.[1] A NAOWS tinha influentes divisões locais em muitos estados, incluindo o Texas e Virgínia.

HistóriaEditar

A Associação Nacional de Oposição ao sufrágio das Mulheres, sigla em inglês (NAOWS) foi estabelecida por Josephine Jewell Dodge na Cidade de Nova Iorque em 1911.[1] Dodge fez a primeira reunião em sua casa, e as mulheres vieram de Nova Iorque e estados vizinhos.[2] Dodge era naquela época a presidente da Associação de Oposição ao Sufrágio da Mulher do Estado de Nova Iorque (NYSAOWS).[3] Dodge renunciou a NYSAOWS para assumir o cargo de presidente da NAOWS.[4] A sede em Washington, D.C., foi aberta, em 1913.[5][6]

Tal como outras organizações anti-sufrágio, NAOWS publicou um boletim de notícias, bem como outras publicações, contendo suas opiniões sobre as questões políticas e atuais da época. O boletim da associação foi chamada de Woman's Protest (mais tarde renomeado Woman Patriot , em 1918).[7] Dodge também percorreu o país, espalhando a visão anti-sufrágio para outros estados.[8]

As mulheres da NAOWS normalmente pertenciam a famílias ricas, que temiam que sufrágio iria perturbar o status quo. Josephine Dodge, presidente e fundadora, foi substituída, em 1917,[9] por Alice Hay Wadsworth, esposa do Senador James W. Wadsworth, Jr. de Nova York.[10] Após a alteração da constituição do Estado de Nova Iorque que concedia às mulheres o direito ao voto, o foco da NAOWS foi deslocado do âmbito estadual para o federal. A organização também começou a tentar conseguir que homens se juntassem a NAOWS .[11] A sede foi movida exclusivamente para Washington e se fundiu com a Woman Patriot Publishing Company [12] A organização foi dissolvida em 1920, como resultado da aprovação da decima nona emenda da constituição estadunidense.[13]

Associação de Oposição ao Sufrágio da Mulher no TexasEditar

Em Março de 1916, a Associação de Oposição ao Sufrágio da Mulher no Texas(Texas Association Opposed to Woman Suffrage ) (TAOWS) foi criada como uma divisão da NAOWS em Houston e teve Pauline Wells como a sua presidente.[14][15] Eles acreditavam que o sufrágio das mulheres estava vinculada ao "antagonismo sexual, o socialismo, a anarquia e o Mormonismo."[14] Como a sua organização mãe, TAOWS tinha divisões locais nas principais cidades do Texas.[16] TAOWS lutou contra a Associação para Igualdade de Sufrágio do Texas (Texas Equal Suffrage Association) que estavam trazendo para o Texas, o direito das mulheres ao voto, em eleições primárias, em 1918.[14] Em abril de 1919, a sede mudou-se para Fort Worth.[17] Em 1919, TAOWS teve êxito contra uma medida estatal para as conceder as mulheres, o voto que foi derrotado por 25.000 votos em Maio.[14] No entanto, em junho de 1919, o Texas passou por uma alteração no sufrágio, permitindo que as mulheres votassem e a TAOWS parou de lutar contra o sufrágio das mulheres.[14]

Associação de Oposição ao Sufrágio da Mulher da VirginiaEditar

Um grupo intitulado Associação de Oposição ao Sufrágio da Mulher na Virginia(Virginia Association Opposed to Woman Suffrage ) (VAOWS) foi formado em Richmond , em Março de 1912 e filiados com NAOWS.[18] Jane Rutherford serviu como a presidente da VAOWS.[19] Filiais locais em diferentes cidades foram formadas em 1913 e a organização distribuía literatura anti-sufrágio .[20][21] Em 1915, a VAOWS ajudou a arrecadar dinheiro para o Fundo Belga de Socorro durante a I Guerra Mundial.[22] em Maio de 1917, a VAOWS tinha dobrado de tamanho e continuou a crescer em 1918.[23][24] Cerca de 8.000 mulheres já haviam se associado com a causa anti-sufrágio em Richmond em 1919.[25]

Como a Associação de Oposição ao Sufrágio da Mulher do Texas, a VAOWS também sugeriu que os conflitos étnicos, o voto negro e o sufrágio das mulheres estavam ligados.[25]

Pontos de vista políticosEditar

 
Panfleto distribuído pela Associação Nacional de Oposição ao Sufrágio da Mulher (NAOWS). por volta de 1910, contendo alguns dos motivos contra o sufrágio feminino.

Uma das publicações da NAOWS incluí um folheto, Algumas razões por que somos contra o voto para as Mulheres,[26] que, como o título sugere, descreve algumas das razões do por que elas se opõem ao sufrágio das mulheres. Elas acreditavam que era irrelevante para o sucesso do país, como afirmou em seu panfleto:

"Porque o grande avanço das mulheres no século passado— moral, intelectual e econômica, tem sido feito sem o voto; o que prova que ele não é necessário para o seu avanço ao longo das mesmas linhas."[26]

A Associação Nacional de Oposição para o sufrágio das Mulheres se opunham ao voto das mulheres, porque que a maioria das mulheres não queriam o direito de votar,[27] e porque elas acreditavam que os homens em suas vidas representavam com precisão a vontade política das mulheres. A NAOWS submetia panfletos como estes para o público em geral, mas também para funcionários do governo, e para figuras políticas que iriam ver que as mulheres se opunham a decima nona emenda da constituição dos Estados Unidos. Elas faziam isto para neutralizar a retórica das sufragistas da época.

Citações de algumas das razões do por que somos contra o voto para MulheresEditar

"Nós acreditamos que a política da igualdade vai nos privar de privilégios especiais até então concedidos a nós mulheres por lei."[26]

"[Nós nos opomos ao sufrágio] Porque ela significa simplesmente dobrar o voto, e, especialmente, os indesejáveis e corruptos votos de nossas grandes cidades." [26]

Membros notáveisEditar

ReferênciasEditar

CitaçõesEditar

  1. a b «National Association Opposed to Woman Suffrage». National Women's History Museum 
  2. «National Anti-Vote Society» (em inglês) – via Newspapers.com 
  3. Goodier 2013, p. 44.
  4. «The new president of the State Asso-» (em inglês) – via Newspapers.com 
  5. «Anti-Suffragists Ready» (em inglês) – via Newspapers.com 
  6. «Hits Votes for Women» (em inglês) – via Newspapers.com 
  7. «National Association Opposed to Woman Suffrage» (em inglês) 
  8. «Antisuffragists Busy» (em inglês) – via Newspapers.com 
  9. Goodier 2013, p. 31.
  10. «Women Miffed at Suff Bill Quit Council» (em inglês) – via Newspapers.com 
  11. «When Patriots Protest: The Anti-Suffrage Discursive Transformation of 1917». Rhetoric & Public Affairs. Consultado em 4 de janeiro de 2019. Arquivado do original em 18 de novembro de 2018 – via HighBeam Research. (pede subscrição (ajuda)) 
  12. Goodier 2013, p. 13.
  13. E.,, Marshall, Susan (2010). Splintered Sisterhood Gender and Class in the Campaign Against Woman Suffrage. [S.l.: s.n.] ISBN 9780299154639. OCLC 934667338 
  14. a b c d e «Texas Association Opposed to Woman Suffrage». Handbook of Texas Online 
  15. «Mrs. Wells Expected» (em inglês) – via Newspapers.com 
  16. «Women Organize Local Branch To Oppose Suffrage» (em inglês) – via Newspapers.com 
  17. «State Campaign Against Suffrage Is On In Earnest» (em inglês) – via Newspapers.com 
  18. «Women Oppose Women» (em inglês) – via Newspapers.com 
  19. «Suffragists and Antis in Session» (em inglês) – via Newspapers.com 
  20. «Miss Davis the Head» (em inglês) – via Newspapers.com 
  21. «Opposed to Votes for Women» (em inglês) – via Newspapers.com 
  22. «Fund Goes to Belgians» (em inglês) – via Newspapers.com 
  23. «Many Join Antisuffragists» (em inglês) – via Newspapers.com 
  24. «Antisuffragists Gain in Total Membership» (em inglês) – via Newspapers.com 
  25. a b «Shall the State Surrender to the Anthony Amendment?» (em inglês) – via Newspapers.com 
  26. a b c d «Suffrage Collection, 1851-2009 (bulk 1880s-1920s) Finding Aid». Five College Archives & Manuscript Collections 
  27. «Marjorie Benton Cooke, for Votes for Women and Grace Duffield Goodwin, Opposed, the Winners» (em inglês) – via Newspapers.com 
  28. a b «Kate Douglas Wiggin» (em inglês) – via Newspapers.com 

FontesEditar

  • Goodier, Susan. No Votes for Women: The New York State Anti-Suffrage Movement. [S.l.: s.n.] ISBN 9780252094675 

Leitura complementarEditar

  • Freedman, Estelle B. (2003). No Turning Back: The History of Feminism and the Future of Women. [S.l.: s.n.] ISBN 978-0345450531