Neossovietismo

Neossovietismo é o estilo de decisões políticas baseado na União Soviética em alguns Estados pós-soviéticos, bem como um movimento político para reviver a União Soviética no mundo moderno ou reviver aspectos específicos da vida soviética com base na nostalgia pela União Soviética.[1][2] Alguns comentaristas disseram que o atual presidente russo, Vladimir Putin, tem muitos pontos de vista neossoviéticos, especialmente em relação à lei e ordem e à defesa estratégica militar.[3]

Neossovietismo nas políticas estatais russasEditar

De acordo com Pamela Druckerman, do The New York Times, um elemento do neossovietismo é que "o governo administra a sociedade civil, a vida política e a mídia".[4]

De acordo com Mathew Kaminski do, The Wall Street Journal, inclui esforços de Putin para expressar a glória da União Soviética, a fim de gerar apoio para uma "grande potência russa revivida no futuro", trazendo de volta memórias de várias realizações russas que legitimaram o domínio soviético, incluindo a vitória soviética contra a Alemanha Nazista. Kaminski continua dizendo que o neossovietismo "oferece o jingoísmo russo despojado de pretensões marxistas internacionalistas" e o usa para assustar os vizinhos da Rússia e gerar patriotismo russo e antiamericanismo.[5]

Andrew Meier do Los Angeles Times em 2008 listou três pontos que expõem o neosovietismo e como a Rússia moderna se assemelha à União Soviética:[6]

  • A Rússia era uma terra de discurso duplo. Meier afirma que a Rússia distorceu deliberadamente palavras e fatos sobre vários assuntos, particularmente em relação à Guerra Russo-Georgiana na época, alegando que os Estados Unidos instigaram o conflito e que a Geórgia estava cometendo genocídio na Ossétia do Sul.
  • A Rússia estava disposta a aumentar seu poder por todos os meios possíveis, incluindo a dura repressão contra seus próprios cidadãos, com exemplos sendo Mikhail Khodorkovski e as Mães de Beslan.
  • A Rússia continua sendo uma terra na qual "o medo do Estado — e seu alcance sufocante — prevalece", ao introduzir inúmeras leis que limitam a liberdade de expressão e promovem a propaganda.

Ver tambémEditar

Conceitos semelhantes em outros paísesEditar

Referências

BibliografiaEditar