Nick Wirth

Nicholas John Peter "Nick" Wirth (Merton, 26 de março de 1966) é um engenheiro automobilístico britânico e fundador e proprietário da Wirth Research.

Nick Wirth
Nascimento 26 de março de 1966
Merton
Cidadania Reino Unido
Alma mater
  • Sevenoaks School
Ocupação engenheiro, designer
Empregador Wirth Research

BiografiaEditar

Wirth já trabalhou várias vezes na principal categoria do automobilismo mundial: primeiro na March Engineering, depois na Leyton House Racing, em 1994, na Simtek (onde era o dono da equipe), na Benetton e, na Virgin Racing.[1]

SimtekEditar

A Simtek Research foi fundada em 1989 por Max Mosley e Nick Wirth. Originalmente, esteve envolvido em muitas áreas da Fórmula 1, incluindo a construção de túneis de vento e construção de chassis para terceiros. Wirth foi anteriormente contratado pelo proprietário do March Team, Mosley.

De outubro de 1993 a junho de 1995, Wirth foi fundador, proprietário e diretor técnico do Simtek Grand Prix , uma equipe de corrida de Fórmula 1 que apareceu pela primeira vez na temporada de 1994 da Fórmula 1.[2] Simtek Research forneceu à equipe engenharia e design para os carros.

A equipe sofreu o golpe da morte de Roland Ratzenberger durante a qualificação para o Grande Prêmio de San Marino. Simtek sofreu uma primeira temporada difícil e eventualmente desistiu da Fórmula 1 durante a temporada de 1995, o que forçou a Simtek Research à falência.

Benetton e projetos fora da Fórmula UmEditar

De 1996 a 1999, Wirth foi designer-chefe e mais tarde membro do conselho da equipe de Fórmula Um da Benetton.

Em 1999, Wirth fundou a RoboScience e criou o RS-01 RoboDog em 2001.

Em 2003, ele fundou a Wirth Research.

Em 2006, a Wirth Research começou a trabalhar para a FIA no túnel de vento Casumaro, na Itália, no projeto da asa traseira dividida (CDG) que a FIA propôs para a temporada de 2008 da F1.

Em 2007, a Wirth Research envolveu-se com o programa Acura LMP na American Le Mans Series e no projeto do carro da classe LMP1 para a temporada de 2009. Wirth usou amplamente a dinâmica de fluidos computacional para projetar o carro da classe LMP1 .

Virgin RacingEditar

Em 2009, a Wirth Design se uniu a John Booth, da Manor Motorsport, para criar um carro para a temporada de Fórmula Um de 2010. Wirth foi nomeado diretor técnico da equipe. A empresa Virgin, de Richard Branson, tornou-se patrocinadora principal e a equipe foi renomeada como Virgin Racing. O carro que Wirth projetou para uso na temporada de 2010, o Virgin VR-01, é o primeiro carro de corrida de Fórmula Um projetado inteiramente com dinâmica de fluido computacional, sem o uso de túneis de vento tradicionais durante o processo de design ou construção.[3]

Wirth também projetou o segundo carro de F1 da Virgin, o MVR-02, mas seu desempenho foi decepcionante, pois não conseguiu diminuir a diferença para os líderes em relação ao VR-01. Em junho de 2011, a Virgin anunciou que havia se separado da Wirth e abandonado sua política de usar apenas CFD.[4]

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 19 de janeiro de 2017. Arquivado do original em 18 de dezembro de 2009 
  2. «Heartland of Formula One». The Independent (em inglês). 23 de outubro de 2011. Consultado em 26 de março de 2021 
  3. «Wirth Research breaks new ground | Teams | Racecar Engineering». web.archive.org. 17 de fevereiro de 2010. Consultado em 26 de março de 2021 
  4. «Virgin parts company with Wirth». www.autosport.com (em inglês). Consultado em 26 de março de 2021 
  Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.