Nicolò Avancini

Nicolò Avancini (Brez, 1611 - Roma, 1686) foi um jesuíta, professor, poeta e dramaturgo trentino.

Brasão da família Avancini.

Filho de Pietro e Domenica Avancini, de uma família nobre e abastada, fez seus primeiros estudos em Graz, onde ensinava um parente seu, o também jesuíta Floriano Avancini. Decidido a abraçar a vida religiosa, em 1677 entrou para a Companhia de Jesus, onde completou seus estudos superiores. Foi provincial da Áustria, pregador e visitador na Boêmia, capelão de Leopoldo I e no fim da vida chegou a ser assistente da Ordem para a Germânia. Deu aulas em Trieste, Luibliana e na Universidade de Viena, onde foi deão da faculdade de teologia, e foi reitor dos colégios jesuítas de Passau, Viena e Graz.[1][2]

É mais lembrado pela sua obra literária, sendo prolífico autor de poemas, panegíricos, sermões, meditações, textos de cunho político, filosófico e moral e peças para o teatro, servindo por muitos anos a corte imperial, onde tornou-se um favorito especialmente pelos seus quarenta dramas latinos, dos quais 27 são tragédias, sendo Cyrus a mais conhecida. Sua obra dramática foi reunida em cinco volumes, traduzidos para várias línguas e reimpressos várias vezes. O restante da sua produção tem um valor menor, mas sua Vita et doctrina Jesu Christi foi muito popular em seu tempo.[1][3][4] Seus dramas seguiam o modelo retórico, didático e moralizante do teatro jesuíta, faziam uso abundante de alegorias e imagens simbólicas, tinham uma encenação suntuosa e cheia de efeitos especiais típicos do Barroco, entremeada de música e interlúdios dançados, e quase sempre terminavam com uma glorificação dos Habsburgo, representados como governantes ideais e virtuosos.[5][6]

Referências

  1. a b "Nicolò Avancini (drammaturgo)". Comune Novella.
  2. "Niccolò Avancini (1611-1686)". Bibliothèque nationale de France
  3. Spillane, E. "Nicola Avancini". In: The Catholic Encyclopedia. Appleton, 1907
  4. Bautz, Friedrich Wilhelm, "Avancinus, Nicolaus". In: Biographisch-Bibliographisches Kirchenlexikon, Band 1. Hamm, 1975
  5. Concetti, Riccardo. Eccletismo e Dialogo Intertestuale nel Teatro Hoffmansthaliano, un Esempio su Jedermann. Università degli Studi di Peruggia, 1999, p. 82
  6. Schnitzler, Henry. "The School Theatre of the Jesuits". In: The Theatre Annual, 1943: 46-58