Novo normal

Um novo normal é um estado ao qual uma economia, sociedade, etc. se instala após uma crise, quando esta difere da situação que prevalecia antes do início da crise. O termo foi empregado em relação à Primeira Guerra Mundial, crise financeira de 2007–2008, ataques de 11 de setembro de 2001, o rescaldo da recessão global de 2008-2012, a pandemia de COVID-19 e outros eventos.[1]

Histórico de usoEditar

Mundo pós-grande guerraEditar

Em 1918, Henry A. Wise Wood postou um dilema:

Para considerar os problemas que temos pela frente, devemos dividir nossa época em três períodos, o da guerra, o da transição, o do novo normal, que sem dúvida substituirá o antigo. As questões diante de nós, portanto, são, em termos gerais, duas: Como podemos passar da guerra para o novo normal com o mínimo de jarro, no menor tempo? Nesse aspecto, o novo normal deve ser moldado para ser diferente do antigo?[2]

Bolha da internet da década de 1990Editar

A frase foi amplamente usada por Roger McNamee em sua entrevista de 2003 para a Fast Company enquanto descrevia o novo padrão no desenvolvimento de tecnologia em relação a negócios e finanças após o estouro da bolha da internet.

Esqueça a próxima grande coisa, a próxima coisa começou. É chamado de novo normal, e 2003 será o primeiro ano completo dele. O novo normal não é onde você espera pelo próximo boom. É sobre o resto da sua vida. Havia tanta urgência que todos os padrões — para devida diligência, liderança, recrutamento e investimento — foram relaxados. O novo normal é sobre a vida real — e tempo real. Acertar na primeira vez é mais importante do que fazer as coisas rapidamente.[3]

Gripe aviária de 2005Editar

A frase foi usada em 2005 por Peter M. Sandman e Jody Lanard em relação aos métodos de manipulação de atitudes do público em relação à gripe aviária. Eles explicaram que o medo inicial, tipicamente temporário, de um risco novo como uma pandemia de gripe é algo a ser orientado, que este período inicial é um "momento de ensino" e oferece a oportunidade de estabelecer um "novo normal".[4]

Crise financeira de 2008Editar

A frase foi usada no contexto de advertir a crença de economistas e formuladores de políticas de que as economias industrializadas voltariam aos seus meios mais recentes após a crise financeira de 2007-2008.[5]

Em 29 de janeiro de 2009, o Philadelphia City Paper citou o ativista Paul Glover, referindo-se à necessidade de "novos padrões" no desenvolvimento da comunidade, ao apresentar sua matéria de capa "Prepare-se para o Melhor".[6]

A palestra Per Jacobsson de 2010, proferida por Mohamed A. El-Erian no Fundo Monetário Internacional, foi intitulada "Navegando no Novo Normal dos Países Industriais". Na palestra, El-Erian afirmou que "nosso uso do termo foi uma tentativa de mover a discussão além da noção de que a crise era uma mera ferida na carne; em vez disso, a crise cortou até o osso. Foi o resultado inevitável de um período extraordinário de vários anos que foi tudo menos normal".[5][7] A palestra de El-Erian cita um artigo da Bloomberg News de 18 de maio de 2008 escrito pelos jornalistas Rich Miller e Matthew Benjamin pela primeira vez usando o termo: "Economia pós-subprime significa crescimento abaixo da média como novo normal nos EUA".[8]

Debate para as eleições presidenciais americanas de 2012Editar

A frase foi posteriormente usada pela ABC News,[9] BBC News,[10] pelo New York Times, e fez parte de uma pergunta de Candy Crowley, moderadora do segundo debate para as eleições presidenciais americanas de 2012.[11]

Desaceleração econômica da China em 2012Editar

Desde 2012, a economia da China tem mostrado uma desaceleração acentuada, com taxas de crescimento caindo de níveis de dois dígitos (antes da crise financeira de 2007-2009) para cerca de 7% em 2014. Em 2014, uma declaração de Xi Jinping, Secretário-Geral do Partido Comunista da China, indicou que a China estava entrando em um 'novo normal' (em chinês: 新常态).[12] Este termo foi posteriormente popularizado pela imprensa e passou a se referir a expectativas de taxas de crescimento de 7% na China para o futuro previsível. Foi um indicativo da expectativa do governo chinês de um crescimento econômico moderado, mas talvez mais estável, no médio a longo prazo.

Pandemia de COVID-19Editar

Durante a pandemia de COVID-19, o termo "novo normal" tem sido cada vez mais usado para se referir às mudanças no comportamento humano durante ou após a pandemia.[13][14][15][16][17][18][19]

Os médicos do sistema de saúde da Universidade do Kansas prevêem que a pandemia mudará a vida diária da maioria das pessoas. Isso inclui limitar o contato pessoal, como apertos de mão e abraços. Além disso, manter distância de outras pessoas ou distanciamento social provavelmente permanecerá.[20]

RepercussãoEditar

Alguns comentaristas se opuseram ao uso excessivo e indevido da frase pela mídia ao descrever situações ou comportamentos atípicos, que a transformaram em um clichê.[21][7][22]

Bring Back Normal foi formado para demonstrar como 'retornar ao normal' pós-COVID é possível contrariar a narrativa do 'novo normal'.

Na cultura popularEditar

The Moon Is a Harsh MistressEditar

O autor Robert A. Heinlein usou a frase em seu romance de 1966, The Moon Is a Harsh Mistress, com um personagem dizendo aos colonos lunares:

Cidadãos, os pedidos podem chegar até vocês por meio de seus camaradas vizinhos. Espero que você concorde de boa vontade; vai acelerar o dia em que posso me retirar e a vida pode voltar ao normal — um novo normal, livre da Autoridade, livre de guardas, livre de tropas estacionadas sobre nós, livre de passaportes e revistas e prisões arbitrárias.[23]

The New Normal (série de televisão)Editar

The New Normal é uma sitcom americana que foi ao ar na NBC de 10 de setembro de 2012 a 2 de abril de 2013.

The New Normal (filme)Editar

Uma comédia dramática produzida pelo cineasta nigeriano Teniola Olatoni Ojigbede em 2020.[24][25]

Referências

  1. «There's nothing new about the 'new normal' - and here's why». World Economic Forum (em inglês). Consultado em 26 de setembro de 2020 
  2. Beware!, N.E.L.A. Bulletin, Volume 5, 1918, pp. 604-605
  3. LaBarre, Polly. The New Normal: From Boom to Bust to War to Whatever Comes Next. Superstar investor Roger McNamee defines the new era of business and finance and shows where the smart money is headed. Here’s what you need to know about investing, competing, and winning today — and for the rest of your life, Fast Company, April 30, 2003.
  4. Peter M. Sandman and Jody Lanard (2005). «Bird Flu: Communicating the Risk». Pan american Health Organisation / World Health Organisation. 5 páginas. Consultado em 25 de agosto de 2020 
  5. a b Navigating the New Normal in Industrial Countries. [S.l.]: International Monetary Fund. 15 de dezembro de 2010. pp. 12–. ISBN 978-1-4552-1168-5. Consultado em 18 de outubro de 2012 
  6. "Gotta Find a Better Way", Philadelphia City Paper, January 29, 2009 paragraph 3
  7. a b Josie Cox. COVID-19 And The Corporate Cliché: Why We Need To Stop Talking About ‘The New Normal’, Forbes, April 22, 2020
  8. «Post-Subprime Economy Means Subpar Growth as New Normal in U.S.». www.bloomberg.com. 18 de maio de 2008. Consultado em 26 de setembro de 2020 
  9. Gomstyn, Alice (15 de junho de 2009). «Finance: Americans adapt to the 'New Normal'». ABC News 
  10. «Is America's high jobless rate the new normal?». BBC News Online. 10 de agosto de 2012 
  11. Johnson, Glen (16 de outubro de 2012). «Candidates aggressive in 2nd debate». Boston Globe 
  12. Saggu, A.; Anukoonwattaka, W. (2015). «China's 'New Normal': Challenges Ahead for Asia-Pacific Trade». United Nations ESCAP. SSRN 2628613  
  13. Saeed Elnaj. The 'New Normal' And The Future Of Technology After The Covid-19 Pandemic, Forbes, Jan 25, 2021
  14. David Hochman. The New Normal: What Comes After COVID-19? Experts predict how the pandemic will change our lives, AARP, June 8, 2020.
  15. The New Normal After the Coronavirus Pandemic, Bloomberg, 2020
  16. Sharon Kirkey. After the COVID-19 crisis ends, what does our 'new normal' look like?, national Post, May 2, 2020
  17. Brian O'Keefe. What comes next: How leaders can cope with America’s ‘new normal’, Fortune, February 4, 2021
  18. Eric Lloyd and Kaleb Vinton. Special Report: The New Normal – The Changes That Will Outlast COVID-19, WWTV/WWUP-TV 9&10 News, February 18, 2021
  19. Survey XII: Digital New Normal 2025 – After the Outbreak: Hopes and worries for the evolution of humans and digital life in the wake of the arrival of the COVID-19 pandemic, Elon University/Pew Research Center
  20. «The 'new normal' after coronavirus». Kansas Capitol Bureau. 1 de maio de 2020. Cópia arquivada em 30 de novembro de 2020 
  21. Catherine Rampell. The New Normal is Actually Pretty Old, The New York Times, January 11, 2011
  22. «There's nothing new about the 'new normal' - and here's why». World Economic Forum (em inglês). Consultado em 26 de setembro de 2020 
  23. Robert A. Heinlein, The Moon Is a Harsh Mistress (1966), p. 152.
  24. Laura Berger. American Black Film Fest 2020 Women Directors: Meet Teniola Olatoni Ojigbede – “The New Normal”, Women and Hollywood, August 24, 2020
  25. Nigerian Filmmaker, Teniola Olatoni Premieres “The New Normal” to Rave Reviews, AP, November 18, 2020

BibliografiaEditar

Ligações externasEditar