Nyonin Geijutsu

Nyonin Geijutsu
女人芸術
Capa da primeira edição.
Categoria revista literária
País  Japão
Idioma japonês
Fundador(a) Hasegawa Shigure
Primeira edição julho de 1928
Última edição junho de 1932

Nyonin Geijutsu (女人芸術 lit. "Artes das Mulheres"?), foi uma revista literária dedicada à mulher publicada entre julho de 1928 e junho de 1932. Era publicada por Hasegawa Shigure. A revista de carácter feminista foi publicada em quarenta e oito edições, focadas na arte e literatura das mulheres. Foi considerada uma das revistas literárias femininas japonesas mais influentes desde a revista Seitō.[1]

HistóriaEditar

Nyonin Geijutsu foi publicada pela primeira vez por Hasegawa Shigure em julho de 1928. A revista era escrita, editada, elaborada e publicada por mulheres, e o seu objetivo era a libertação das mulheres. A revista foi financiada pelo marido de Hasegawa, o autor popular, Mikami Otokichi.[2]

Quando a revista começou a ser publicada, Hasegawa estava encarregada da publicação, Sogawa Kinuko era a editora, e a tipógrafa era Ikuta Hanayo. Elas publicavam na casa de Hasegawa, situada na atual Shinjuku. Posteriormente, Hasegawa também ficou responsável pela edição, e o local da publicação passou a ser na atual Akasaka.[3]

As edições de maio e junho de 1930 foram proibidas.[3] A edição de outubro de 1931 também foi proibida. A publicação da revista continuou a ser feita, após o incidente de Mukden, mas em junho de 1932 foi interrompida por causa do agravamento das condições já precárias de saúde de Hasegawa. Apesar da edição de junho daquele ano ter sido impressa, ela acabou sendo destruída. Após este acontecimento, os editores da Nyonin Geijutsu publicaram uma nova revista intitulada Kagayaku.[4]

Contribuidores notóriosEditar

Entre os escritores da revista, encontram-se: Yaeko Nogami, Ichiko Kamichika, Yamakawa Kikue, Takamure Itsue, Yoshiko Yuasa, Miyamoto Yuriko, Fumiko Hayashi, Ineko Sata, Taiko Hirabayashi, Sasaki, Fumiko Enchi, e Yōko Ōta.[1] Nos últimos anos da revista, também contribuíram autores como Hajime Kawakami, Kiyoshi Miki, Eitaro Noro e Takiji Kobayashi.[3]

Inicialmente, eram publicados romances, poemas, ensaios e resenhas individualizadas, e posteriormente foram publicadas mais leituras e ficção proletária. No entanto, a revista permaneceu a ser publicada fundamentalmente com carácter político de esquerda, relatando a União Soviética, o movimento operário, e as questões internacionais.[2] Na revista também eram publicados os artigos de anarquistas como Yuriko Mochizuki e Aki Yagi,[5] e de comunistas como Yukiko Nakashima.[3]

BibliografiaEditar

  • Ogata, Akiko (1993). Nyonin-geijutsu-no-sekai Hasegawa Shigure to sono shūhen (em japonês) 2 satsu ed. Tóquio: Domesu Shuppan. ISBN 4810701174. OCLC 1106630001 
  • Ogata, Akiko (1981). Nyonin Geijutsu no hitobito (em japonês). Tóquio: Domesu Shuppan 

Notas e referências

Notas

* Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Nyonin Geijutsu», especificamente desta versão.

Referências

  1. a b Ericson, Joan E. (1997). Be a Woman: Hayashi Fumiko and Modern Japanese Women's Literature (em inglês). [S.l.]: University of Hawaii Press. ISBN 9780824818845 
  2. a b Frederick, Sarah (2006). Turning Pages: Reading And Writing Women's Magazines in Interwar Japan (em inglês). [S.l.]: University of Hawaii Press. ISBN 9780824829971 
  3. a b c d 高見順『昭和文学盛衰史』講談社 1965年 (em japonês)
  4. Frederick, Sarah (2013). «Beyond Nyonin Geijutsu, beyond Japan: writings by women travellers in Kagayaku (1933–1941)». Japan Forum (em inglês). 25 (3): 395–413. ISSN 0955-5803. doi:10.1080/09555803.2013.804108 
  5. Coutts, Angela (2013). «How do we write a revolution? Debating the masses and the vanguard in the literary reviews of Nyonin geijutsu». Japan Forum (em inglês). 25 (3): 362–378. ISSN 0955-5803. doi:10.1080/09555803.2013.804106