O Olho e a Faca

filme de 2019 dirigido por Paulo Sacramento

O Olho e a Faca é um filme brasileiro do gênero drama de 2019. Dirigido por Paulo Sacramento, que também assume o roteiro junto com Eduardo Benaim, o filme conta com Rodrigo Lombardi, Maria Luísa Mendonça, Caco Ciocler e Débora Nascimento nos papéis principais.[2]

O Olho e a Faca
Pôster oficial do filme.
 Brasil
2019 •  cor •  99 min 
Direção Paulo Sacramento
Elenco Rodrigo Lombardi
Maria Luísa Mendonça
Caco Ciocler
Roberto Birindelli
Luís Melo
Débora Nascimento
Gênero drama
Edição Paulo Sacramento
Companhia(s) produtora(s) Gullane Filmes
TC Filmes
Olhos de Cão Filmes
Distribuição California Filmes
Lançamento 27 de junho de 2019 (Brasil)[1]
Idioma português

SinopseEditar

Roberto (Rodrigo Lombardi) é funcionário de uma plataforma de petróleo onde fez muitas amizades. Certo dia, uma inesperada promoção desestabiliza suas relações profissionais entre seus colegas de trabalho ao mesmo tempo que ele passa por crises em sua vida pessoal.[3]

ElencoEditar

Ator/Atriz Personagem
Rodrigo Lombardi Roberto Araújo
Maria Luísa Mendonça Cris
Caco Ciocler Zé Carlos
Roberto Birindelli Vagner
Luís Melo Dutra
Débora Nascimento Camila
Ester Góes Eulália
Vinicius Zinn Deco
Lourinelson Vladmir Luisão
Roberto Audio Silas
Genézio de Barros Dr. Antunes
Simone Iliescu Juju

ProduçãoEditar

O filme é produzido pelos estúdios Gullane Filmes, TC Filmes e Olhos de Cão em uma coprodução com a HBO Latin America. Conta com distribuição nacioanal pela Califórnia Filmes.[4]

As filmagens do filme ocorreram em São Paulo e Rio de Janeiro, mas mais da metade do longa foi rodado em uma plataforma de petróleo em alto mar.[4]

LançamentoEditar

O Olho e a Faca foi exibido inicialmente Mostra Internacional de Cinema e no Festival do Rio nas edições de 2018.[4] Foi lançado comercialmente no Brasil pela California Filmes em 27 de junho de 2019.[1]

RecepçãoEditar

Marcelo Müller, do Papo de Cinema, escreveu: "O Olho e a Faca perde potência quando em terra, ao focar distúrbios familiares comezinhos. [...] É no registro das interações, e de tudo o que as intermedia em boa medida, que o conjunto deixa expostas suas principais fragilidades, conceituais e de mera execução."[5]

Vinícius Volcof, do Cinema com Rapadura, disse: "História conduzida pelo talentoso Paulo Sacramento nos leva por uma jornada metafórica entre o mar e a terra para falar de solidão e pertencimento."[6]

André Miranda, do O Globo, escreveu: "Essas várias situações vão adicionando camadas de tragédia para o protagonista, porém de um jeito pouco fluido. A trajetória de Roberto aponta para direções diferentes antes que se compreenda onde o filme pretende chegar."[7]

Referências

  1. a b «O Olho e a Faca». Portal Exibidor. Consultado em 20 de outubro de 2022 
  2. «O Olho e a Faca - Gullane». gullane.com.br. Consultado em 30 de março de 2021 
  3. AdoroCinema, O Olho e a Faca, consultado em 30 de março de 2021 
  4. a b c Silva, José Antonio (28 de junho de 2019). «"O olho e a faca", que mostra a realidade entre a terra e o mar, entra em cartaz no CineBancários». Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região. Consultado em 30 de março de 2021 
  5. «O Olho e a Faca». Consultado em 30 de março de 2021 
  6. «Crítica | O Olho e a Faca (2018): o desenraizamento». Cinema com Rapadura. 1 de julho de 2019. Consultado em 30 de março de 2021 
  7. AdoroCinema, O Olho e a Faca: Críticas imprensa, consultado em 30 de março de 2021