Abrir menu principal
Olivia Manning
Nascimento 2 de março de 1908
Portsmouth, Reino Unido
Morte 23 de julho de 1980 (72 anos)
Ilha de Wight, Reino Unido
Nacionalidade britânica
Cônjuge Reginald Smith
Ocupação Escritora, poetisa e crítica literária
Género literário Novela
Carreira musical
Período musical 1937 — 1980

Olivia Manning (Portsmouth, 2 de março de 1908Ilha de Wight, 23 de julho de 1980) foi uma novelista, poetisa, escritora e crítica literária britânica. Os enredos de seus livros giravam em torno de viagens e odisseias pessoais, ambientadas principalmente na Europa (sobretudo na Inglaterra e Irlanda) e no Oriente Médio. Apenas escrevia sobre experiências próprias e, em algumas ocasiões, utilizava também a imaginação.[1][2]

Durante sua infância, Manning viveu em Portsmouth e Irlanda, pelos quais adquiriu o que descrevia como "habitual sensação anglo-irlandesa de não pertencer a nenhuma parte". Frequentou uma escola de arte e logo se mudou para Londres, onde publicou sua primeira novela em 1937: The Wind Changes.[1][3] Em agosto de 1939, casou-se com Reginald Smith, um comandante do British Council que, posteriormente, foi enviado a Bucareste, e mais tarde a Grécia, Egito e Palestina[4] à medida que os nazistas foram invadindo o leste europeu.[5] Tais experiências serviram de base para sua obra mais reconhecida, as seis novelas intituladas Fortunes of War. Os críticos catalogaram como irregular a qualidade de sua produção em geral,[6] mas Anthony Burgess descreveu esta série, em particular, publicada entre 1960 e 1980, como "a melhor constância fictícia escrita da guerra que já foi produzida por um britânico".[7]

Manning regressou a Londres após a guerra e viveu nessa região até sua morte; durante o resto de sua vida, escreveu poesias, curtos relatos, obras verídicas, críticas literárias e obras de teatros para a BBC.[8] Tanto Manning quanto seu marido foram infiéis, mas jamais se divorciaram.[9][10] Ela teve uma relação de amizade controversa com as escritoras Stevie Smith e Iris Murdoch. Como havia pensado, sua fama e maior reconhecimento chegou depois de sua morte, em 1980, quando suas obras foram adaptadas para a televisão.[11]

Referências

  1. a b Dick, Kay; rev. Taylor, Clare L. (2004). «Manning, Olivia Mary (1908-1980)». Oxford Dictionary of National Biography. [S.l.]: Oxford University Press. ISBN 978–0198614111 Verifique |isbn= (ajuda). doi:10.1093/ref:odnb/31408. Consultado em 22 de abril de 2010 
  2. Braybrooke & Braybrooke 2004, p. 24
  3. Spalding 1988, p. 106
  4. Braybrooke & Braybrooke 2004, pp. 92-93
  5. Braybrooke & Braybrooke 2004, pp. 47-49
  6. Braybrooke & Braybrooke 2004, pp. 96-97
  7. Braybrooke & Braybrooke 2004, pp. 1, 49
  8. Braybrooke & Braybrooke 2004, pp. 10-13, 23
  9. Bowen 1995, pp. 39, 48
  10. Braybrooke & Braybrooke 2004, pp. 94-95
  11. Miss Olivia Manning: Author of the 'Balkan Trilogy' (Obituary). [S.l.]: The Times. 24 de julho de 1980. p. 1 

BibliografiaEditar