Ondjaki

Escritor angolano

Ondjaki (Luanda, 5 de julho de 1977), é um poeta e escritor angolano.

Ndalu de Almeida
Ondjaki
Ondjaki em 2012
Pseudónimo(s) Ondjaki
Nascimento 05 de julho de 1977 (47 anos)
Luanda, Angola
Nacionalidade Angolana
Ocupação Escritor
Prémios Prémio Literário António Paulouro (2005)

Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco (2007)
Grinzane for Africa Prize (2008)
Prêmio Jabuti de Literatura (2010)
Prémio José Saramago (2013)
Prémio Littérature-Monde (2016)

Magnum opus Os Transparentes

Biografia

editar

Fez ensino primário e secundário em Luanda. Estudou em Lisboa onde se licenciou em sociologia. Fez o doutoramento em estudos africanos em Itália em 2010. Obteve o segundo lugar no prémio António Jacinto realizado em Angola, e publica o primeiro livro.

Depois de estudar por seis meses em Nova Iorque na Universidade de Colúmbia, filma com Kiluanje Liberdade o documentário Oxalá cresçam pitangas - histórias da Luanda.[1]

Sua trajetória artística passa também pela atuação teatral e pela pintura. Aproveitou a sua estadia em Lisboa para cursar teatro amador e taiji quan.

As suas obras foram traduzidas para diversas línguas, entre elas francês, inglês, alemão, italiano, espanhol e chinês. Como por exemplo "a bicicleta que tinha bigodes". Em 2000, o grande poeta conquistou a segunda posição no concurso literário angolano António Jacinto, e lançou seu primeiro volume poético, Actu Sanguíneu. Ele integra antologias de cunho internacional, publicadas no Brasil, Uruguai e em Portugal. Foi laureado pelo Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco em 2007, pelo seu livro Os da Minha Rua. Recebeu, na Etiópia, o prémio Grinzane por melhor escritor africano de 2008.

Em Outubro de 2010 ganhou, no Brasil, o Prêmio Jabuti de Literatura, na categoria Juvenil, com o romance Avó Dezanove e o Segredo do Soviético. O Jabuti é um dos mais importantes prémios literários brasileiros atribuído em 21 categorias.[2] Em 2013, recebeu o Prémio Literário José Saramago por seu romance Os Transparentes.[3]

Em 2023, recebeu o Prémio Vergílio Ferreira (Universidade de Évora). Atualmente mora em Luanda, Angola.[4] É filho de Júlio de Almeida "Jujú",[5] e de Elsa "Njolela".

Referências

Ligações externas

editar