Operação Bagration

A Operação Bagration ( /bʌɡrʌtiˈɒn/; em russo: Операция Багратио́н, Operatsiya Bagration; ou ainda "Operação Ofensiva Estratégica Bielorrussa") foi o codinome para uma grande ofensiva militar lançada pelo Exército Vermelho entre junho e agosto de 1944 focada principalmente na antiga Bielorrússia Soviética na Frente Oriental durante a Segunda Guerra Mundial. A ofensiva foi muito bem sucedida, com as forças da União Soviética destruindo 28 das 34 divisões do Grupo de Exércitos Centro da Wehrmacht e estraçalhando a linha de frente alemã.[16] Foi uma das maiores derrotas na história militar alemã e a quinta campanha mais sangrenta da guerra na Europa, matando cerca de 450 000 soldados (ambos os lados),[17] enquanto outros 300 000 homens foram isolados no Bolsão de Courland.[18]

Operação Bagration
Frente Oriental, Segunda Guerra Mundial
194407 abandoned german vehicles belarus (revised).jpg
Equipamentos militares alemães abandonados aos soviéticos na Bielorrússia após a retirada das tropas da região.
Data 23 de junho19 de agosto de 1944
Local Bielorrússia, Países Bálticos, Ucrânia e leste da Polônia
Desfecho Vitória soviética; destruição quase completa do Grupo de Exércitos Centro alemão
Beligerantes
 União Soviética
 Polônia
Flag of Germany 1935.svg Alemanha Nazista
Flag of Hungary 1940.svg Reino da Hungria
Comandantes
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Gueorgui Júkov
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Aleksandr Vasilevsky
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Hovhannes Bagramyan
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Ivan Chernyakhovsky
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Konstantin Rokossovsky
União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Georgiy Zakharov
Flag of Germany 1935.svg Ernst Busch (até 28 de junho)
Flag of Germany 1935.svg Walter Model (Grupo de Exércitos Centro)
Flag of Germany 1935.svg Hans Jordan (9º Exército)
Flag of Germany 1935.svg Georg-Hans Reinhardt (3º Exército Panzer)
Flag of Germany 1935.svg Kurt von Tippelskirch (4º Exército)
Flag of Germany 1935.svg Walter Weiss (2º Exército)
Forças
2 331 700 soldados soviéticos
79 900 poloneses
2 715 tanques[1]
24 363 armas pesadas[2]
5 327 aeronaves[3]
849 000 soldados[4]
118 tanques[5]
2 589 armas pesadas[6]
602 aeronaves[7]
Baixas
382 040 mortos ou desaparecidos
590 848 feridos ou doentes
2 957 armas pesadas perdidas[10]
822 aeronaves abatidas[11]
Fontes soviéticas:[12]
381 000 mortos
158 480 capturados
Isayev:[13]
500 000 baixas
Zaloga:
300 000-350 000 mortos ou desaparecidos (incluindo 150 000 capturados)[14]
Frieser:
26 397 mortos
109 776 feridos
262 929 desaparecidos ou capturados
399 102 perdas totais[15]

Em 23 de junho de 1944, o Exército Soviético atacou o Grupo de Exércitos Centro alemão na Bielorrússia, com o objetivo de cercar e destruir o maior número de unidades do exército alemão quanto possível. Em 28 de junho, o 4º Corpo da Wehrmacht foi virtualmente destruído, junto com quase todo o 3º Grupamento Panzer e o 9º Exército alemão.[19][20] Os soviéticos exploraram o colapso das linhas de frente alemãs para cercar os exércitos nazistas que se aglomeraram ao redor de Minsk e lançaram uma nova ofensiva e os destruiu, com a própria cidade de Minsk sendo libertada em 4 de julho. Nos dias seguintes, o exército alemão na Bielorrússia foi quebrado e sua resistência desfaleceu, com os soviéticos renovando suas ofensivas agora em direção à Lituânia, Polônia e Romênia, entre julho e agosto.[21]

O exército soviético utilizou de forma bem sucedida as táticas de "batalha profunda soviética" e maskirovka ("enganação") em nível total pela primeira vez, embora tenham sofrido pesadas baixas no processo. Para tentar tapar os buracos abertos no Fronte Oriental, Hitler ordenou que milhares de soldados alemães fossem mandados para o leste para engrossar as defesas, enquanto divisões móveis da reserva foram deslocadas para os setores centrais, abandonando as linhas nas áreas de Lublin-Brest e LvovSandomierz, com os soviéticos lançando mais duas grandes ofensivas simultâneas,[22][23] como a de Lviv-Sandomir. Isso permitiu ao Exército Vermelho alcançar o Rio Vístula e a cidade de Varsóvia, que colocou as forças soviéticas em posição de atacar diretamente a capital alemã de Berlim, em conformidade com o conceito de operações profundas soviéticas.[24]

Referências

  1. (Frieser 2007, p. 534)
  2. (Frieser 2007, p. 534)
  3. (Glantz & House 1995, p. 201)
  4. (Frieser 2007, p. 531)
  5. (Frieser 2007, p. 534)
  6. (Frieser 2007, p. 534)
  7. (Frieser 2007, p. 534)
  8. (Bergstrom 2008, p. 82)
  9. (Glantz & House 1995, p. 298)
  10. (Krivosheev 1997, p. 371)
  11. (Krivosheev 1997, p. 203)
  12. Glantz&Oreinstein 2004, p. 176.
  13. Алексей Исаев. [Цена Победы. Операция «Багратион» http://echo.msk.ru/programs/victory/612713-echo/]// Эхо Москвы. 17.08.2009
  14. Zaloga 1996, p. 71
  15. Frieser p. 593–594
  16. Buchner, Alex. Ostfront 1944: The German Defensive Battles on the Russian Front 1944. Schiffer Publishing, Ltd. 1995, p. 212.
  17. Norman Davies, "Europe at War", Swedish ISBN 978-91-37-13109-2, capitulo 1, p. 40.
  18. Frieser 2007, p. 661.
  19. Willmott 1984, p. 154.
  20. Zaloga 1996, p. 7.
  21. Glantz, David M.; Orenstein, Harold S., eds. (2001). Belorussia 1944: The Soviet General Staff Study. [S.l.]: Routledge. ISBN 0714651028 
  22. Watt 2008, p. 699.
  23. Watt 2008, p. 669.
  24. Watt 2008, p. 670.

BibliografiaEditar

  • Frieser, Karl-Heinz (2007). Das Deutsche Reich und der Zweite Weltkrieg - Vol. 8: Karl-Heinz Frieser, Klaus Schmider, Klaus Schönherr, Gerhard Schreiber, Kristián Ungváry, Bernd Wegner: Die Ostfront 1943/44 - Der Krieg im Osten und an den Nebenfronten (em alemão). Munique: Deutsche Verlags-Anstalt. ISBN 978-3-421-06235-2 
  • Krivosheev, G.F. (1997). Soviet Casualties and Combat Losses in the Twentieth Century (em inglês). Londres: Greenhill Books. ISBN 1-85367-280-7 
  • Glantz, David M.; House, Jonathan (1997). When Titans Clashed: How the Red Army Stopped Hitler (em inglês). Lawrence, Kansas: University Press of Kansas. ISBN 0-7006-0899-0 
  • Adair, Paul (2004) [1994]. Hitler's Greatest Defeat: The collapse of Army Group Centre, June 1944. [S.l.]: Weidenfeld Military. ISBN 1-85409-232-4 
  • Citino, Robert (2017). The Wehrmacht's Last Stand: The German Campaigns of 1944–1945. [S.l.]: University Press of Kansas. ISBN 9780700624942 
  • Connor, William M. (1987). «Analysis of Deep Attack Operations: Operation Bagration, Belorussia, 22 June – 29 August 1944» (PDF). Fort Leavenworth, KS: Combat Studies Institute. Consultado em 9 de maio de 2017 
  • Dunn, Walter S. (2000). Soviet Blitzkrieg: The Battle for White Russia, 1944. [S.l.]: Lynne Riener. ISBN 9781555878801 
  • Glantz, David M. (1989). Soviet Military Deception in the Second World War. London: Frank Cass. ISBN 0-7146-3347-X 
  • Glantz, David M. (2002). The Battle for L'vov, July 1944. [S.l.]: Routledge Press. ISBN 978-0-7146-5201-6 
  • Niepold, Gerd (1987). Battle for White Russia: The Destruction of Army Group Centre June 1944. Traduzido por Simpkin, R. London: Brassey's. ISBN 0-08-033606-X 
  • Watt, Robert N. (Dezembro de 2008). «Feeling the Full Force of a Four Front Offensive: Re-Interpreting the Red Army's 1944 Belorussian and L'vov-Peremshyl' Operations». Routledge Taylor & Francis Group. The Journal of Slavic Military Studies. 21 (4): 669–705. doi:10.1080/13518040802497564 
  • Willmott, H. P. (1984). June, 1944. [S.l.]: Blandford Press. ISBN 0-7137-1446-8 
  • Zaloga, S. (1996). Bagration 1944: The Destruction of Army Group Centre. [S.l.]: Osprey. ISBN 978-1-85532-478-7 
  • Ziemke, Earl F. (1969). Battle For Berlin: End of the Third Reich. London: Macdonald 
  • Zimmerman, Joshua D. (2015). The Polish Underground and the Jews, 1939–1945. London, New York City: Cambridge University Press. ISBN 978-1108432740 

Leitura adicionalEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Operação Bagration