Operação Recomeço

Operação Recomeço é uma operação da Polícia Federal do Brasil em parceria com o Ministério Público Federal deflagrada em 24 de junho de 2016 e prendeu pessoas suspeitas de envolvimento em desvios de recursos dos fundos de pensão Petros, da Petrobras e Postalis, dos Correios.[1] Os desvios podem chegar a 100 milhões de reais.[2]

As investigações encontraram indícios de que o dinheiro captado foi ilegalmente desviado em especial para contas bancárias dos investigados, de terceiros e de pessoas jurídicas relacionadas aos investigados, o que levou à quebra definitiva da Gama Filho e da UniverCidade (Centro Universitário da Cidade), também mantida pelo grupo, e ao descredenciamento delas pelo Ministério da Educação em 2014, com danos a professores, funcionários e alunos.[3]

A operação investiga a compra de 100 milhões de reais em debêntures emitidas pelo Grupo Galileo Educacional para a recuperação da Gama Filho e da UniverCidade. Os recursos, entre eles os desembolsos feitos pelo Postalis e pela Petros, deveriam ser aplicados na Gama Filho e na UniverCidade, porém isso não aconteceu. A Gama Filho e a UniverCidade começaram a ser controladas pela Galileo no final de 2011; sendo que a UniverCidade, controlada pela Associação Educacional São Paulo Apóstolo (Assespa), era do empresário Ronald Guimarães Levinsohn.[4]

A justiça bloqueou 1,35 bilhão de reais de recursos de 46 envolvidos no caso.[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Prisão é recomeço para ex-diretor de fundo, diz filho de militar que o salvou». Folha de S.Paulo. 27 de junho de 2016. Consultado em 28 de junho de 2016 
  2. Akemi Nitahara. «Operação Recomeço prende três envolvidos em desvios de fundos de pensão». Agencia Brasil. EBC. Consultado em 28 de junho de 2016 
  3. «Operação Recomeço: ex-advogado de Eduardo Cunha se entrega à Polícia Federal». sputnik. 27 de junho de 2016. Consultado em 28 de junho de 2016 
  4. a b «Operação Recomeço já teve três prisões, diz PF». Exame. Abril. 24 de junho de 2016. Consultado em 28 de junho de 2016 

Ligações externasEditar