Ordem DeMolay

(Redirecionado de Ordem da Cavalaria)
Ordem DeMolay
Bandeira DeMolay
Países onde a Ordem DeMolay está presente
Dados gerais
Tipo de organização Para-maçônica, filosófica, filantrópica
Fundador Frank Sherman Land
Data de fundação 24 de março de 1919 (101 anos)
Local de fundação Estados Unidos Kansas City, MO
Mártir Jacques de Molay
Diretório DeMolay Internacional
Sede Kansas City, MO
Órgão patrocinador Maçonaria
Países  Albânia
 Alemanha
 Aruba
 Argentina
 Austrália
 Bolívia
 Brasil
 Bósnia e Herzegovina
 Canadá
 Croácia
Equador
 Grécia (afiliado à jurisdição da Romênia)
 Estados Unidos
 França
 Itália
 Japão
 México
 Panamá
 Paraguai
 Peru
Filipinas
Roménia
 Sérvia
Uruguai
Número de membros 4 milhões em todo o mundo[1]
Página oficial demolay.org

A Ordem DeMolay é uma sociedade discreta criada por Frank S. Land a partir de princípios filosóficos, fraternais, iniciáticos e filantrópicos, para jovens do sexo masculino com idade compreendida entre os 12 e os 21 anos incompletos. A Ordem DeMolay é a maior entidade juvenil do mundo. É uma organização para-maçônica fundada nos Estados Unidos, em 24 de Março de 1919, pelo maçom Frank S. Land patrocinada e mantida pela Maçonaria,[2] oficialmente desde 1919, que na maioria dos casos cede espaço para as reuniões dos capítulos DeMolays e conventos (ou priorados) da Ordem da Cavalaria — denominações das células da organização.

A Ordem é inspirada na vida e morte do nobre francês Jacques de Molay, 23º e último Grão-Mestre da Ordem dos Templários, morto em 18 de março de 1314 queimado na fogueira junto a 3 de seus preceptores por contestar as falsas acusações de prática de diversas heresias como infidelidade à Igreja, sodomia, adoração de ídolos etc. Pode-se acreditar que o motivo de tais acusações fosse a ambição do Rei Filipe IV, o Belo e o Papa Clemente V, pelas posses da Ordem dos Templários, pois em caso de prisão, os bens do acusado passariam a pertencer ao estado francês.

A Ordem DeMolay possui cerca de 4 milhões de membros em todo o mundo[3] e mais de 300 mil no Brasil. O DeMolay que completa 21 anos de idade, é denominado Sênior DeMolay, perde seu direito a voto e o de ocupar cargos efetivo e passa a poder acompanhar os trabalhos do capítulo através da "Associação DeMolay Alumni". No Brasil, a Ordem é distribuída em mais de setecentos e noventa capítulos, sendo que os milhares de DeMolays regulares de todos os Estados da federação se reúnem frequentemente.

No mundo, a Ordem DeMolay pode ser encontrada em vários países, estando presente na Alemanha, Albânia, Argentina, Aruba, Austrália, Bolívia, Brasil, Bósnia, Canadá, Croácia, Equador, Estados Unidos, Filipinas, França, Itália, Japão, México, Panamá, Paraguai, Peru, Romênia, Sérvia e Uruguai.[4]

No dia 8 de abril de 2008, o estado de São Paulo estabeleceu o Dia do DeMolay, através da Lei Estadual nº 12.905, a ser comemorado anualmente no dia 18 de março (embora a Ordem DeMolay tenha sido criada no dia 24 de março de 1919, a sua comemoração é feita seis dias antes, a fim de que a data possa coincidir com o martírio de Jacques de Molay). Em 19 de janeiro de 2010, foi promulgada a Lei Federal nº 12.208 que insituiu o dia 24 de março como o Dia Nacional do DeMolay, seguindo o exemplo paulista, sendo que a escolha da data marca o falecimento de Jacques de Molay, herói e mártir que inspirou o nome da Ordem.

PrincípiosEditar

Os princípios da Ordem são baseados em sete Virtudes Cardeais, que, durante as cerimônias, são simbolizadas por sete velas. São elas:

  1. Amor filial: é o amor e carinho que devemos ter por nossos pais, que nos semearam, geraram, nos ensinaram as primeiras lições de nossas vidas e se sacrificaram por nós. Através deles nós tivemos as primeiras lições de educação, respeito e na crença em Deus;
  2. Reverência pelas coisas sagradas: significa a crença em Deus e o respeito pela crença do outro, não importando a sua religião. Para ser um DeMolay o jovem tem que ter praticar alguma fé;
  3. Cortesia: educação, respeito e solidariedade são princípios que um DeMolay procura por em prática usando a filantropia, mas somente válida quando é feita com sentimento, colocando o coração naquilo que faz. Os DeMolays possuem o seguinte pensamento: "Para ser útil à sociedade não é necessário ser um DeMolay, mas para ser um DeMolay é necessário ser útil à sociedade";
  4. Companheirismo: é ser um amigo leal, tanto nas horas boas quanto nas ruins. O verdadeiro companheiro e amigo é aquele que estende a mão para um Irmão em momentos de dificuldade. Companheirismo é levar uma chama de amizade no coração, para que, quando um amigo estiver no meio do túnel, ela possa iluminar e mostrar onde está a saída;
  5. Fidelidade: é sempre acreditar em seus ideais e virtudes, mantendo em segredo tudo aquilo que lhe for confiado. É ser fiel a Deus, à sua Pátria e a seus amigos, seguindo o exemplo de fidelidade de Jacques de Molay, que preferiu morrer a trair seus Irmãos ou faltar com seu juramento;
  6. Pureza: é ser um cidadão idôneo, puro de alma e de coração; é sempre estar de bem com a própria consciência. É manter a mente longe de tudo que vá contra os princípios de um bom cidadão;
  7. Patriotismo: é respeitar e defender a nossa pátria, nossa democracia, nosso estado e nossa cidade e, além disso, conservar tudo que diz respeito ao patrimônio público, como escolas, asilos, orfanatos e hospitais, que prestam ajuda às pessoas mais carentes de nossa sociedade;

Cada membro é incentivado a trilhar seu caminho seguindo esses preceitos, que são considerados pela Ordem como diferenciais na vida de um líder e de um homem de bem, também como determinantes para seu destino.

Os baluartes da Ordem são a defesa das liberdades:

  • Religiosa: representada pelo livro sagrado. (Pode ser representado por qualquer livro sagrado independente da religião);
  • Civil: representada pela bandeira nacional;
  • Intelectual: representada pelos livros escolares;

FilantropiaEditar

A Ordem DeMolay é uma organização filantrópica, isto significa que os Capítulos devem realizar filantropias regularmente. As filantropias mais comuns incluem: pintura de escolas públicas, participação em eventos para arrecadação de fundos e donativos para instituições de caridade, plantio de hortas comunitárias, entre outros. Para realizar estes projetos, é comum aos Capítulos pedirem apoio financeiro, logístico e técnico às lojas maçônicas e empresas locais.

GrausEditar

Assim como a Maçonaria possui o corpo das Lojas de Perfeição após as Lojas Simbólicas, a Ordem DeMolay também se divide em dois corpos. O primeiro, envolve os dois primeiros graus: o grau iniciático e o grau DeMolay, podendo ser comparado às Lojas Simbólicas. O segundo envolve os graus históricos, filosóficos e honoríficos, que compõe da Ordem da Cavalaria. Os graus básicos da Ordem DeMolay são o grau iniciático e o Grau DeMolay. Os DeMolays desses graus trabalham em capítulos.

Grau IniciáticoEditar

Primeiro grau da Ordem DeMolay, em que os DeMolays recém iniciados ingressam quando são admitidos em um capítulo e refletem sobre a cerimônia de iniciação. Denominado grau iniciático, é baseado nas sete Virtudes Cardeais de um DeMolay. O ingresso na Ordem DeMolay exige do candidato no mínimo um esboço dessas sete virtudes, sendo esse Grau responsável por esculpi-las e valorizá-las, fazendo com que o jovem as honre e dignifique ainda mais em sua vida diária. É ainda nesse grau que o jovem possui o primeiro contato com o esoterismo oferecido pela Ordem, através de toda a simbologia incutida na disposição dos objetos dentro da sala capitular. Despertar o interesse sobre a Ordem da forma correta nesses iniciáticos é um trabalho delicado e muito importante para que se possa colher bons resultados dos ensinamentos oferecidos no dia a dia de seus membros.

Grau DeMolayEditar

Segundo grau da Ordem, alcançado somente pelos DeMolays mais esforçados, que após demonstrarem merecimento e conhecimentos adquiridos na convivência capitular e estudos pertinentes ao grau iniciático. Antes de receber o grau DeMolay, deve-se fazer um exame de proficiência no qual são testados os conhecimentos do iniciático sobre os princípios básicos da Ordem.

CargosEditar

Cada capítulo DeMolay, como é chamado cada unidade organizacional, possui uma organização para o bom funcionamento desta entidade. Apenas DeMolays ativos (DeMolays entre 12 e 21 anos) assumem cargos ritualísticos, com apenas algumas exceções para cargos administrativos (Escrivão e Tesoureiro). Os cargos de um capítulo são nomeados pelo Mestre Conselheiro, com exceção dos cargos eletivos.

Os cargos administrativos em um capítulo são:

  • Mestre Conselheiro; efetivamente o 'presidente' da organização, sendo seu líder e representante. É um cargo eletivo.
  • Primeiro Conselheiro; efetivamente o 'vice-presidente' da organização. É um cargo eletivo.
  • Segundo Conselheiro; assim como o Mestre Conselheiro e Primeiro Conselheiro é um cargo eletivo.
  • Escrivão; responsável por toda a burocracia e administração documental de um capítulo, é efetivamente um 'secretário'. É um cargo nominal.
  • Tesoureiro; responsável por todo o arcabouço financeiro de um capítulo. É um cargo eletivo.
  • Hospitaleiro; responsável pela execução das filantropias e da destinação de fundos do capítulo para atividades sociais. É um cargo nominal.

Outros cargos ritualísticos são:

  • Primeiro Diácono
  • Segundo Diácono
  • Primeiro Mordomo
  • Segundo Mordomo
  • Capelão
  • Mestre de Cerimônias
  • Porta Bandeira/Porta-Estandarte
  • Preceptores (em número de sete)
  • Orador
  • Sentinela
  • Organista/Mestre de Harmonia

Referências

  1. «What Is DeMolay? - DeMolay International». DeMolay International (em inglês). Consultado em 22 de fevereiro de 2018 
  2. E. Duncan, Ewing (1994). Hi Dad. [S.l.]: SCIOD. 211 páginas 
  3. «DeMolay International History». DeMolay International (em inglês). Consultado em 6 de fevereiro de 2020 
  4. «History - DeMolay International Celebrates its Centennial Year». DeMolay International (em inglês) 

Ligações externasEditar