Oryx (sítio eletrônico)

 Nota: Para o gênero de mamíferos bovídeos, veja Oryx.

Oryx, ou Oryxspioenkop, é um sítio eletrônico neerlandês de informação de fontes abertas e análise de temas militares e de defesa.[1] É dirigido por Stijn Mitzer e Joost Oliemans, ambos já havendo trabalhado no também neerlandês Bellingcat.[2][3][4] Ademais, Oliemans já foi empregado por um tempo na companhia britânica Janes Information Services.[4]

Oryx
Oryxspioenkop
Oryx (sítio eletrônico)
Tipo de sítio Jornalismo investigativo
Fundador(es) Stijn Mitzer
Joost Oliemans
País de origem Países Baixos
Idioma(s)
Lançamento 2013; há 10 anos
Endereço eletrônico oryxspioenkop.com

Oryx teve início em 2013, focando à época na Síria. Mitzer e Oliemans colaboraram também na publicação de dois livros que se debruçam a respeito do Exército Popular da Coreia.[5] De acordo com o site, o spioenkop ("colina de espionagem" em africâner) de seu nome se "refere a um lugar a partir do qual é possível assistir eventos desenrolarem ao redor do mundo".[6]

O site ganhou notoriedade internacional graças a sua cobertura da invasão da Ucrânia pela Rússia em 2022 ao se dedicar a catalogar todo equipamento militar perdido nesse conflito através de informação obtida via fotos e vídeos postados online. Oryxspioenkop é regularmente citado por grandes jornais, como por exemplo a Reuters,[7] BBC News,[8] The Guardian,[9] The Economist,[10] Newsweek,[11] CNN,[12] e CBS News.[13] A Forbes categorizou o website como "a mais confiável fonte do conflito até agora", considerando-o "extraordinário". Já que suas listas de perdas de equipamento reportam somente o que pode ser visualmente confirmado, a Forbes alegou que é possível depreender o número mínimo de material militar perdido na invasão.[14]

Referências

  1. «Russia Is Exaggerating Ukraine's Military Losses». Forbes (em inglês). 5 de abril de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  2. «The Taliban is flaunting captured U.S. weapons that may be worth billions. Can it use them?». The Washington Post (em inglês). 20 de agosto de 2021. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  3. «Stijn Mitzer». helion.co.uk (em inglês). Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  4. a b «Joost Oliemans». helion.co.uk (em inglês). Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  5. «Observing the battlefields of the world with "Oryx Blog"». osservatorioglobalizzazione.it (em inglês). 16 de dezembro de 2020. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  6. «@oryxspioenkop no Twitter». Twitter (em inglês). 26 de outubro de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  7. «Fact Check-No evidence photo shows a Ukrainian soldier who 'blew up 52 Russian tanks'». Reuters (em inglês). 19 de abril de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  8. «Ukraine conflict: Why is Russia losing so many tanks?». BBC News (em inglês). 11 de abril de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  9. «As Ukraine war enters new phase, can western arms turn the tide?». The Guardian (em inglês). 6 de abril de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  10. «How Ukraine is winning the drone-jamming war». The Economist (em inglês). 18 de maio de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  11. «Russia Unable To Fight Another War After Catastrophic Military Losses». Newsweek (em inglês). 27 de abril de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  12. «Russia's tanks in Ukraine have a 'jack-in-the-box' design flaw. And the West has known about it since the Gulf war». CNN (em inglês). 28 de abril de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  13. «Why Russia keeps losing so many armored vehicles in Ukraine: "It's finders keepers for these farmers"». CBS News (em inglês). 23 de abril de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023 
  14. «How Heavy Are Russian Losses, And What Does It Mean For Their Offensive?». Forbes (em inglês). 26 de abril de 2022. Consultado em 21 de Fevereiro de 2023