Abrir menu principal
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde janeiro de 2010). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Otávio Augusto Teixeira Mendes
Nascimento 1907
Piracicaba
Morte 1988 (81 anos)
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade de São Paulo
Ocupação arquiteto

Octavio Augusto Teixeira Mendes (Piracicaba, 1907 - São Paulo, 1988) Engenheiro agrônomo e arquiteto paisagista. Filho de uma das famílias fundadoras e principais frequentadoras da Escola Superior de Agronomia Luiz de Queiroz (ESALQ-USP), Augusto, era pianista por vocação, cursou a faculdade de agronomia a pedido de seu pai, o engenheiro mecânico Octavio Teixeira Mendes, como a maioria de seus irmãos o fez. Seguiu carreira no Instituto Florestal do Estado de São Paulo, estando à frente de inúmeros projetos de extrema relevância ainda hoje na área ambiental, entre eles a criação do Parque Turístico da Cantareira, por cuja implantação lutou arduamente.

Sua vocação artística, sempre expressou na música, que nunca abandonou, o levou em 1950 a um mestrado em paisagismo pela Universidade de Columbia, em Nova York, na época presidida pelo próprio Dwight Eisenhower. De volta ao Brasil, reassume a chefia do Serviço Florestal do Estado, órgão que foi o precursor da maioria das iniciativas ambientais no país. Entre os maiores expoentes do legado de Otávio Augusto Teixeira Mendes estão o Parque do Ibirapuera, criado para as comemorações do Quarto Centenário da Cidade de São Paulo e cujo projeto inicialmente fora encomendado a Burle Marx, além da Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, no bairro do Morumbi, em São Paulo, uma verdadeira obra prima do moderno paisagismo brasileiro, recentemente restaurada e aberta à visitação pública.

Motivos políticos afastaram Teixeira Mendes do serviço público no final da vida e ele se recolheu ao seu apartamento no Largo do Arouche, onde passou os últimos anos dedicando-se à música e aos poucos amigos íntimos. Lamentou ver o Parque do Ibirapuera ser gradeado e perder parte de sua área para a construção da Assembleia Legislativa durante a gestão do prefeito Faria Lima. E, mais ainda, lamentou ver até o fim de seus dias o nome de Burle Marx associado ao seu mais famoso projeto.

BibliografiaEditar

  • MARIANO, Cássia. Preservação e Paisagismo em São Paulo: Otavio Augusto Teixeira Mendes. São Paulo, Annablume, FAPESP, Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, 2005. ISBN 85-7419-523-5.

Ver tambémEditar