Otão IV do Sacro Império Romano-Germânico

(Redirecionado de Otão IV de Brunsvique)

Otão IV (Brunsvique, 1175Bad Harzburg, 19 de maio de 1218), também chamado de Otão de Brunsvique, foi o Imperador Romano-Germânico de 1209 até sua abdicação forçada em 1215,[1][2] além de Rei dos Romanos, Rei de Arles e Rei da Itália. Era filho de Henrique, o Leão[3] e Matilde da Inglaterra, tendo sido o único imperador da Casa de Guelfo. O reinado de Otão foi marcado por conflitos contra Filipe da Suábia e o papa Inocêncio III, que o excomungou em 1210.

Otão IV
Imperador Romano-Germânico
Reinado 4 de outubro de 1209
a 5 de julho de 1215
Coroação 4 de outubro de 1209
Antecessor(a) Henrique VI
Sucessor(a) Frederico II
Rei da Itália
Reinado 1208 a 1212
Coroação 1209
Predecessor Henrique VI
Sucessor Henrique VII
Rei de Arles
Reinado 1208 a 1215
Predecessor Filipe
Sucessor Frederico II
Rei dos Romanos
Reinado 9 de junho de 1198
a 5 de julho de 1215
Coroação 12 de julho de 1198
Predecessor Henrique VI
Sucessor Frederico II
Co-monarca Filipe (1198–1208)
 
Nascimento 1175
  Brunsvique, Saxônia, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 19 de maio de 1218 (43 anos)
  Bad Harzburg, Saxônia, Sacro Império Romano-Germânico
Sepultado em Catedral de Brunsvique, Brunsvique, Alemanha
Esposas Beatriz de Hohenstaufen
Maria de Brabante
Casa Guelfo
Pai Henrique, o Leão
Mãe Matilde da Inglaterra
Religião Catolicismo

BiografiaEditar

Otão era filhos de Henrique, o Leão, Duque da Baviera e da Saxônia, e de Matilde de Inglaterra, Duquesa da Saxônia. Ele cresceu na Inglaterra sob os cuidados de seu avô o rei Henrique II. Otão tornou-se amigo de Ricardo I de Inglaterra, que tentou fazê-lo Conde de Iorque, e, através de casamento, rei da Escócia. Ambos falharam e em 1196 ele foi feito Conde de Poitou por Ricardo quando participava na guerra contra a França no lado dele.

 
Otão IV e o papa Inocêncio III se cumprimentando.

Após a morte do imperador Henrique VI, alguns dos príncipes do império elegeram seu irmão, Filipe da Suábia, rei em março de 1198. O papado, sob a direcção do Inocêncio III, aproveitou a oportunidade para estender suas influência e aproveitar a vulnerabilidade do império e usou seu poder para eleger Oto, cuja família era oposta à casa de Hohenstaufen. Otão também parecia disposto a conceder quaisquer reivindicações que Inocêncio fizesse. Esses príncipes de oposição à dinastia Hohenstaufen também decidiram, por iniciativa de Ricardo da Inglaterra, eleger um membro da dinastia dos Guelfos. O irmão mais velho de Oto, Henrique V, conde palatino da Renânia, estava em uma cruzada na época, e por isso a escolha caiu sob Otão. O favorito papal, logo reconhecido ao longo de todo o império, foi eleito rei pelos príncipes do norte da Alemanha, em Colônia em 9 de junho de 1198.

Otão assumiu o controle de Aquisgrano, o lugar da coroação, e foi coroada pelo Arcebispo de Colônia, em 12 de julho daquele ano. A coroação foi feita com a falsa coroa, porque os poderes reais estavam nas mãos dos Hohenstaufen.

AncestraisEditar

Referências

  1. Schroeder, Theodore (1928). Al. Smith, the Pope, and the Presidency: A Sober Discussion of the Church-state Issue (em inglês). [S.l.]: The author. p. 57 
  2. The Military Engineer (em inglês). Alexandria: Society of American Military Engineers. 1953. p. 37 
  3. Halsey, William Darrach (1984). Collier's Encyclopedia: With Bibliography and Index (em inglês). Londres: Macmillan Educational Company. p. 204 


Precedido por
Henrique VI
Imperador Romano-Germânico
1198 - 1215
Sucedido por
Frederico II