Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outros significados, veja Procyon (desambiguação).

PROCYON (Proximate Object Close flyby with Optical Navigation) é uma sonda espacial para sobrevoo de asteroide que foi lançada juntamente com a Hayabusa 2 no dia 4 de dezembro de 2014. Ela foi desenvolvida pela Universidade de Tóquio em parceria com a JAXA. É uma espaçonave pequena (aprox. 60 centímetros cubo) de baixo custo (500 milhões de ienes).[1]

Foi destinado a sobrevoar o asteroide (185851) 2000 DP107 em 2016,[2] mas o plano foi abandonado devido ao mau funcionamento do propulsor de íons.[1]

Índice

Visão geral da missãoEditar

A sonda PROCYON foi lançada como carga secundária, juntamente com a sonda pousadora de asteroide Hayabusa 2. Após a separação do foguete transportador, a PROCYON foi deixada em órbita heliocêntrica, onde se vai executar uma manobra para ir em direção ao espaço profundo, utilizando um propulsor de íons experimental. Depois de conferir 95 m/s de delta-v e gastos 20% do propulsor xenônio a bordo, a PROCYON irá realizar um sobrevoo da Terra em dezembro de 2015. Este sobrevoo permitirá a PROCYON fazer a transição para uma trajetória que passa mais perto do cinturão principal de asteroides. Antes do voo rasante, um asteroide específico será selecionado, e os parâmetros do voo rasante da Terra será ajustados em conformidade. O resto do propulsor de xenônio será usado entre a Terra e o sobrevoo do asteroide para assegurar uma distância de passagem controlada de 30 km.[3]

Ela usa um sistema combinado leve (10 kg) para propulsão e controle de atitude, utilizando o mesmo tanque de xenônio para o propulsor de íons principal e 8 propulsores de controle de atitude a gás frio.

FalhaEditar

Após ser lançada todos os sistemas a bordo da sonda espacial foram implantados em órbita e o propulsor de íons foi iniciado. Mas ele parou de funcionar em meados de março de 2015. A causa do incidente é desconhecida. A hipótese considerando o mais provável é que os restos de metal ficou preso entre as duas portas do fabricante do dispositivo de íons. A agência espacial japonesa anunciou em meados de abril do mesmo ano que o destino selecionado para a PROCYON; foi o asteroide binário Apollo cruzador de Marte (185851) 2000 DP107, o asteroide primário tem 800 metros e o secundário tem 300 metros.[4] No início de maio, um relatório publicado na imprensa japonesa anunciou o fim das tentativas para reiniciar o propulsor de íons. A sonda não será capaz de voar sobre o asteroide selecionado. No entanto, irá continuar sendo utilizada para validar a operação de vários equipamentos a bordo.[5] A sonda PROCYON passou voando perto da Terra em 3 de dezembro de 2015, mas foi incapaz de fazer uma mudança de órbita controlada.

InstrumentosEditar

  • Um telescópio pequeno para a navegação para o asteroide e coleta de dados.
  • Câmera Lyman-alpha de imagem para observar a geocorona.[6]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «プロキオン:小惑星への接近観測断念» (em japonês). Consultado em 20 de julho de 2015. Arquivado do original em 18 de maio de 2015 
  2. «超小型探査機「PROCYON」 二重小惑星を目指して航行中» (em japonês). Consultado em 20 de julho de 2015. Arquivado do original em 16 de março de 2017 
  3. «50kg- class Deep Space Exploration Technology Demonstration Micro-spacecraft PROCYON» (em inglês). digitalcommons.edu. Consultado em 20 de julho de 2015 
  4. «PROCYON update: Asteroid 2000 DP107 target selected, ion engine stopped» (em inglês). The Planetary Society. Consultado em 20 de julho de 2015 
  5. «Due to ion engine failure, PROCYON will not fly by an asteroid» (em inglês). The Planetary Society. Consultado em 20 de julho de 2015 
  6. «超小型深宇宙探査機 PROCYON(プロキオン)» (PDF) (em japonês). Consultado em 20 de julho de 2015 

Ligações externasEditar