Parágrafo 175 (filme)

filme de 2000 dirigido por Jeffrey Friedman e Rob Epstein

Parágrafo 175 (Paragraph 175) é um documentário LGBT em filme distribuído no ano 2000, realizado por Rob Epstein e Jeffrey Friedman, e narrado por Rupert Everett. O filme descreve as vidas de alguns homens e mulheres que foram aprisionados pelos Nazis acusados de homossexualidade ao abrigo do Parágrafo 175, a legislação sobre sodomia do Código Penal Alemão de 1871.

Parágrafo 175
Paragraph 175
 Reino Unido,  Estados Unidos
 Alemanha
2000 •  p&b/cor •  81 min 
Direção Rob Epstein
Jeffrey Friedman
Produção Rob Epstein
Jeffrey Friedman
Janet Cole
Michael Ehrenzweig
John Hoffman
Coprodução Howard Ronsenman
Produção executiva Sheila Nevins
Roteiro Sharon Wood
Narração Rupert Everett
Género documentário
Música Tibor Szemzo
Direção de fotografia Bernd Meiners
Edição Dawn Logsdon
Idioma inglês
alemão
francês

SinopseEditar

Entre 1933 e 1945, 100.000 homens foram presos ao abrigo do Parágrafo 175. Alguns foram enviados para campos de concentração. Somente 4.000 sobreviveram.

Em 2000, estavam vivos menos de dez desses sobreviventes. Cinco tiveram a coragem de descrever as suas histórias pela primeira vez para este documentário, no que constituiu a divulgação de um dos últimos segredos do Terceiro Reich.

O Parágrafo 175 ajudou a preencher essa grave falha do registo histórico, revelando as consequências duradouras para os homens e as mulheres que tiveram o infortúnio de o viver, através dos relatos pessoais destes cinco homens: um ativista da resistência meio-judeu gay que passou a guerra a ajudar refugiados em Berlim; Annette Eick, uma lésbica judia que escapou para Inglaterra com a ajuda da mulher que amava; o fotógrafo alemão cristão que foi preso por homossexualidade e que depois, ao ser libertado, se alistou no Exército porque "queria estar entre homens"; Pierre Seel, o adolescente alsaciano francês que assistiu à morte do seu amante, comido vivo por cães.

Após a guerra, todos os perseguidos pelos nazistas sob o parágrafo 175 foram considerados criminosos. No fim do século XX nenhum havia recebido reconhecimento legal como vítima do regime nazista.

PrêmiosEditar

Ligações externasEditar