Parque Ecológico São Sebastião

O Parque Ecológico São Sebastião é uma Área de Preservação Permanente localizada em Mococa, cidade do interior de São Paulo. Criada em 1996, pela iniciativa dos moradores da Vila Quintino e da Fundação Ecologia e Vida. Possui uma área de aproximadamente 98.000 m2. É uma das principais, e mais importantes, áreas verdes urbanas do município em questão, tendo uma grande diversidade de fauna e flora. É dividido em duas partes: A área I e área II, sendo a diferença principal entre as duas: o tipo de vegetação, animais presentes e as intervenções humanas.[1]

Logotipo do Parque Ecológico.

HistóriaEditar

Na segunda metade da década de 90, os moradores do bairro Vila Quintino se reuniram para discutir sobre uma extensa área verde localizada nas proximidades, cuja falta de cuidados e manutenção, estava começando a se tornar um espaço de tráfico de drogas, andarilhos e descarte de lixo. Foi nesta primeira reunião, liderada pelo Dr. Wilson Saboya, em que a ideia de se angariar recursos, cercamento e plantio de mudas foi posta em prática. O Parque Ecológico São Sebastião foi oficialmente criado, através do Decreto Municipal n° 3.184, no dia 27 de Agosto de 1996.

 
Fauna e Flora do Parque Ecológico.

A população dos bairros Vila Quintino e Jardim Lavínia aderiram maçicamente ao projeto, apoiado pela Associação de Moradores, vindo a criar a Fundação Ecologia e Vida, responsável pela recuperação, revitalização e manutenções ao Parque. Com a presidência do Dr. Saboya na recém-criada Fundação, diversas parcerias foram firmadas, acarretando no cercamento da Área um do Parque no ano de 2001.

Na Ocasião, os moradores realizaram a doação dos alambrados, a empresa Laticínios Mococa doou a rede hidráulica e a AES Pardo, as mudas e mão de obra. Sendo plantadas 4000 árvores nos próximos meses, a Área I (com 40.000 metros quadrados) hoje se encontra totalmente conversada, com um bosque formado e uma Mina D'Água preservada.[2]

Entre os anos de 2008 e 2009, após a consolidação da Área I. Os diretores da Fundação na época, sob a liderança de Dr. Wilson Saboya, firmaram parceria com a Universidade Uniararas para a execução de um projeto de revitalização para o Parque, dando continuidade a recuperação da Área II, além de resolver questões pendentes no outro lado. Após a devida aprovação da Cetesb, visando a obtenção de recursos no Fehidro, na cidade de Ribeirão Preto, formalizou-se a intenção de obter o financiamento em duas oportunidades, nos anos de 2009 e 2011. Porém, não houve a aprovação necessária e o projeto permaneceu sem novas intervenções.

 
Mutirão de revitalização em 2014.

Alguns anos depois, no ano de 2013, através da iniciativa do Sr. Jeferson de Freitas, houve uma oportunidade de se contar com o apoio e colaboração de um empresário. Este último, interessado pela causa, realizou uma reunião com a então Prefeita da época, solicitando apenas que se contivesse quatro erosões no entorno do parque, porém, pela falta de resposta da Prefeitura, o promisso apoiador desistiu de sua iniciativa.

Em setembro de 2014, a porção frontal do parque localizada na Rua Guatemala (Área II) começou a ser re-florestada por um dos vizinhos, o atual presidente da fundação Guilherme Ferracioli, recebendo diversas mudas de árvores num espaço que se encontrava degradado. Contando ainda com uma Mina d'Água no local, a intervenção foi bem-sucedida, graças ao apoio de Reginaldo Monteiro, pela doação da grande maioria das mudas ali plantadas, além de muitos outros apoiadores e entusiastas da causa ambiental.[3]

 
Plantio de 750 mudas na Área II, Rua Niterói.

Atualmente, a nova diretoria, assumindo em Junho de 2017, e reeleita em 2019, por intermédio e iniciativa do então secretário, vem realizando iniciativas para divulgação e promoção do Parque Ecológico, além de realizar melhorias e intervenções na Área I, com a pintura e renovação dos quatro portões, instalação de um pórtico rústico e de diversas placas informativas nas entradas do local.

No dia 21 de Janeiro de 2018, iniciou-se a revitalização da Área II, com o plantio de mais de 750 mudas de árvores nativas e frutíferas, contanto com mais de trinta espécies diferentes. A maioria já com um bom tamanho e desenvolvimento. Fator que acelerará o re-florestamento daquele espaço, localizado na Rua Niterói.[4]

Um novo plantio foi iniciado a Novembro de 2018, buscando finalizar o re-florestamento daquela porção do parque, localizada na rua mencionada acima. Foram, aproximadamente, 1000 mudas plantadas naquele mês, sendo executado em lotes de 320 e 340 mudas, a cada semana do período.

A partir de Fevereiro de 2019, a empresa Elecnor, ao cumprir uma contra-medida ambiental por ocasião da instalação de torres de energia, linhas de transmissão, na área rural de Mococa, realizou-se o plantio de 500 mudas na área II do Parque, porém na extensão da R.Florianópolis, cujo local também se encontrava sem intervenção. A referida empresa, além de efetuar o plantio, realizará a manutenção das plantas pelo período de 3 anos.

O cercamento da Área II voltou a pauta graças a uma nova intimação do promotor local a Prefeitura, exigindo tal feito por ocasião de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) de governos anteriores.[5]

O projeto iniciou sua execução nas últimas semanas de Abril de 2018, após longo processo licitatório. Tendo como empresa vencedora Mococa Engenharia.[6]

A Fundação vem buscando também parcerias no setor privado, objetivando melhorias e revitalizações para as duas áreas deste santuário ecológico.

Fauna e FloraEditar

Atualmente, o Parque Ecológico conta com grande diversidade em fauna e flora, tanto na Área I[7], quanto na II. Segue abaixo uma lista de certas espécies ali encontradas, de origens nativas e exóticas, de ambos os segmentos mencionados:

Fauna:

  • Capivaras, Tucanos, João de Barro, Lebres, Lagartos, Preás, Macaquinhos Sagui, Gaviões Carcará, Canários da Terra, Tatus, Gambás, Ouriços, Seriemas, Saracuras, Alma de Gato, Anu-Preto, Maritacas, Coruja-Buraqueira, entre muitos outros.

Flora:

  • Araucária, Angico, Amoreira, Aroeira, Bálsamo, Barbatimão, Canafístula, Cedro, Embaúba, Jerivá, Ipê-Roxo, Ipê-Amarelo, Ipê-Branco, Ficheira, Ingá, Jacarandá, Paineira, Pau-Brasil, Pau-Ferro, Jatobá, Saboeiro, Chichá, Tucaneiro, Mutambo, Mangueira, Sangra D'Água, Timburi e muitas outras espécies.

Galeria de FotosEditar

Fundação Ecologia e VidaEditar

O Parque Ecológico São Sebastião é administrado pela Fundação Ecologia e Vida, responsável por realizar manutenções, plantios e monitoria, além de servir também como guia para receber visitas de escolas, turistas, interessados, entre outros. Tendo na composição total de sua diretoria dezesseis membros, as antigas diretorias, geralmente, eram compostas de membros cuja residência se localizava majoritariamente nos bairros do entorno, ou seja: Vila Quintino, Chico Piscina e Jardim Lavínia.

Entretanto, a diretoria atual inclui, entre seus participantes, residentes de diversos outros bairros que representam variadas entidades dos segmentos ambiental, social e educacional. Segue abaixo a lista de membros da atual diretoria:

Diretoria Fundação Ecologia e Vida - Biênio 2017/2018

  • Presidente: Guilherme Ferracioli
  • Vice-Presidente: Reginaldo Monteiro
  • Diretora Executiva: Rosani Rigamonte
  • Vice-Diretor Executivo: Sebastião Santolin
  • Diretor Secretário: Amandio Gomes da Fonseca
  • Diretor de Patrimônio: Pedro Gustavo de Moura
  • Diretora Social: Maria Amato
  • Conselho Fiscal: Wilson Saboya, Antônio Vitorino, Luiz Ricciopo.

Diretoria Fundação Ecologia e Vida - Biênio 2019/2020Editar

  • Presidente: Guilherme Ferracioli
  • Vice Presidente: Reginaldo Alves Monteiro
  • Diretor Executivo: Rosani Cristina Rigamonte
  • Vice Diretor Executivo: Luis Fernando Franzoni
  • Diretora Secretária: Neyre Adriana Gonçalves de Almeida
  • Vice Diretora Secretária: Clarice da Silva
  • Diretora Tesoureira: Neyre Adriana Gonçalves de Almeida
  • Vice Diretor Tesoureiro: Caio César Zito Siqueira
  • Diretora de Patrimônio: Maria Amato C. Bueno da Silva
  • Diretora Social: Iracema Gambassi

Educação AmbientalEditar

 
Alunos da Escola SESI visitando o Parque.

O projeto de Educação Ambiental no Parque Ecológico São Sebastião visa a conscientização ecológica e contato com a natureza, por meio de uma vivência prática com explicações abordando as questões mais relativas, como as características únicas das árvores, as diferenças entre os biomas, o desenvolvimento e a conexão da floresta, observação dos espécimes da fauna que ali habitam, além de uma ampla reflexão sobre as nascentes e sua importância para a vida.[8]

Visitas

A entrada de alunos, famílias, turistas e outros visitantes é recebida, e guiada, por um dos membros da Fundação Ecologia e Vida.[9] Sendo totalmente gratuita. Aqueles que desejarem realizar alguma visita necessitam, primeiramente, de agendar previamente com algum dos membros da Fundação, para que se combine um horário viável a todos os envolvidos.

 
Alunos da escola estadual Dr.Carlos Lima Dias.

É possível usufruir das trilhas e minas d'água durante o percurso da visita, conhecer diversas curiosidades sobre o bioma local e suas características singulares, como já dito acima, podendo também observar e fotografar a bio-diversidade de Fauna e Flora no local.[10]

Parcerias

Visando obter uma maior eficiência no re-florestamento da área II, a Fundação Ecologia e Vida, vem firmando parcerias com as escolas locais. Mais notadamente com a escola SESI, que desde Outubro de 2017, iniciou a recuperação de um espaço da área II localizado na R.Florianópolis. Foram plantadas 50 mudas pelo Ensino Médio, recebendo manutenções após o plantio.

Com o sucesso, novas parcerias com escolas Municipais e Estaduais estão sendo estudadas com os devidos responsáveis.

Lista de Escolas e Grupos já recebidos:

  • Escola Estadual Oscar Villares
  • Escola SESI Pedro Sukadolnik
  • Escola Municipal Dalva Yasbeck Bosco
  • FUNVIC Faculdade de Mococa
  • Projeto Escola da Família
  • Escola Municipal Alice Rezende Bernardes
  • Escola Estadual Dr.Carlos Lima Dias
  • Escola Municipal Hermelinda Vieira
  • Escola Municipal Barreto Coelho
  • Escola Estadual Barão de Monte Santo
  • Escola Municipal Carlindo Parolli

Endereço e Localização:

  • Área 1: Rua Chile - Jardim Lavínia.
  • Área 2: Rua Florianópolis - Vila Quintino

Contato para VisitasEditar

Para agendar as visitas, basta fazer contato:

19 99399-4523 - Guilherme Ferracioli

E-mail: ecologiaevida@outlook.com.br


Referências

  1. Uililopes (10 de junho de 2008), Área para reflorestamento em Mococa/ UNIARARAS, consultado em 31 de agosto de 2017 
  2. «Parque São Sebastião / Mococa-SP». py.geoview.info (em inglês). Consultado em 31 de agosto de 2017 
  3. Aun, Heloisa (12 de abril de 2016). «Jovem cria financiamento coletivo para revitalizar parque no interior de sp.». Catraca Livre. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  4. «Fundação Ecologia e Vida realiza Plantio de Mudas». Tv Direta. 24 de Janeiro de 2018. Consultado em 16 de fevereiro de 2018 
  5. A Mococa, Jornal (19 de agosto de 2017). «Revitalização do Parque São Sebastião». Jornal A Mococa. Consultado em 31 de agosto de 2017 
  6. «Instalação de alambrados na área II». TV Direta. 5 de maio de 2018 
  7. Uililopes (10 de junho de 2008), Recuperação ambiental em Mococa / Gestão S.A. - UNIARARAS, consultado em 31 de agosto de 2017 
  8. «Alunos da Escola Barão visitam o Parque Ecológico São Sebastião». TV Direta. 9 de agosto de 2018 
  9. «Alunos da escola Sesi visitam o Parque São Sebastião». TV Direta. 28 de março de 2018 
  10. «Visita da FUNVIC no Parque São Sebastião.». FUNVIC - Faculdade de Mococa. 16 de novembro de 2017