Abrir menu principal

Partido Nacional Republicano (Portugal)

Partido Nacional Republicano
Partido Sidonista
Fundação 1918
Dissolução 1923
Ideologia Sidonismo
Nacionalismo português
Conservadorismo social
Espectro político Direita
Sucessor Partido Republicano Nacionalista
Sidónio Paes, fundador do partdo.

O Partido Nacional Republicano (informalmente chamado de Partido Sidonista) foi um partido político português, do tempo da I República, fundado em Abril de 1918 para participar nas triplas eleições (legislativas, senatoriais e presidenciais) marcadas para o dia 28 do mesmo mês, centrando-se em torno do seu líder, o golpista Sidónio Pais.

O Partido dispunha do auxílio dos Unionistas, dos Centristas (que se viriam a fundir com os sidonistas pouco antes das eleições), dos Monárquicos e dos Católicos, tendo acabado por vencer as eleições com ampla maioria.

Assassinado o seu líder em Dezembro de 1918, o partido, órfão, entrou na decadência e no marasmo, e já na década de 1920 juntou-se aos Liberais e aos Reconstituintes para formar o Partido Republicano Nacionalista.

HistóriaEditar

Em 5 de Dezembro de 1917, Sidónio Paes forçou a renúncia e o exílio de Bernardino Machado. Paes suspendeu a constituição e tentou estabelecer uma "Nova República" (não confundir com o "Estado Novo"), um estado militarista com um presidente ("chefe") forte. Paes era um político carismático e populista e assim, em certo sentido, já antecipou o Salazar. Para dar ao seu novo sistema estatal o verniz da legitimidade democrática, Paes prepara, para 28 de abril de 1918, as eleições presidenciais e parlamentares. As eleições presidenciais planejadas foram uma novidade, já que de acordo com a antiga Constituição, o presidente não foi eleito diretamente pelo povo, mas pelo parlamento. Com dois decretos de 11 e 30 de março de 1918, Sidónio Pais mudou isso e também deixou as terceiras eleições gerais da Primeira República, com eleições para a Câmara dos Deputados e o Senado. Para esta eleição, ele fundou o Partido Republicano Nacional na primavera de 1918.

Além de seu partido, Paes também foi apoiado pelos monarquistas, unionistas e outros partidos de direita. Seu partido ganhou as eleições por esmagadora maioria (108 cadeiras na Câmara dos Deputados e 31 no Senado). Os democratas, principais opositores de Paes, boicotaram as eleições.

Em 14 de dezembro de 1918, Paes foi baleado em um ataque à Estação do Rossio, em Lisboa. O agora republicano Partido Nacional Republicano logo caiu em insignificância política. Seus remanescentes acabaram se fundindo à União Republicana Liberal e ao Partido Republicano Nacional de Reconstrução para formar o Partido Nacionalista Republicano. Em 1923, o partido foi dissolvido.

Resultados eleitoraisEditar

Data Votos % Deputados +/- Senadores +/- Status
1918 N/D 70,0 (1.º)
108 / 155
32 / 73
Governo
1919 Não concorreu
1921
1922

Eleições presidenciaisEditar

Data Candidato
apoiado
1ª Volta 2ª Volta 3ª Volta Notas
Votos % Votos % Votos %
4/1918 Sidónio Pais 470 831 91,6 (1.º)
12/1918 João do Canto e Castro 121 96,8 (1.º) 137 99,3 (1.º)
1919 Não concorreu
  Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.