Eleições presidenciais portuguesas de Abril de 1918

As quartas eleições presidenciais portuguesas, primeiras eleições presidenciais directas e únicas durante a Primeira República, tiveram lugar a 28 de Abril de 1918, no mesmo dia em que tiveram lugar as eleições legislativas de 1918.

Eleição presidencial de Portugal de Abril de 1918
  1915 (Agosto) ← Flag of Portugal.svg → 1918 (Dezembro)
28 de Abril de 1918
Sidonio Pais.jpg
Candidato Sidónio Pais


Partido Partido Nacional Republicano


Votos 470 831
Porcentagem 91,61%


Coat of arms of Portugal.svg
Presidente de Portugal

Estas eleições não correram pelo Congresso da República, como previsto pela Constituição Política Portuguesa de 1911. A 27 de Dezembro de 1917, a República Nova de Sidónio Pais decretou unilateralmente alterações à Constituição, introduzindo um regime presidencialista. Em 1918, foi estabelecido o sufrágio universal e directo para a eleição do Presidente da República, regulamentado pelo Decreto n.º 3997, de 30 de Março.[1]

Sidónio Pais é o único candidato a Presidente da República e o seu partido recém-criado, o Partido Nacional Republicano é o único partido republicano que apresenta listas para o Congresso. Os três principais partidos republicanos (Democrático, Evolucionista, e Unionista) não concorrem, e decidem-se pela abstenção.[2] Este facto gerou uma perturbação do acto eleitoral, na medida em que nenhuma das assembleias de voto pôde começar o seu funcionamento à hora regulamentar (9 horas), porquanto a lei eleitoral consignava que os cargos de presidentes e vice-presidentes das assembleias seriam exercidos por vereadores da última vereação camarária; como, neste caso, as últimas vereações eram quase exclusivamente constituída por democráticos, unionistas e evolucionistas, estes não compareceram para constituir as mesas. Os lugares vagos tiveram de ser preenchidos ad hoc, por indivíduos escolhidos entre si e, por este motivo, a votação só pôde ser iniciada por volta das 11 horas, terminando depois das 14 e das 15 horas. Por volta das 12h30, o próprio Sidónio Pais (vestido à civil, e de calça, casaca, gravata e cartola pretas, de luto pela morte recente do irmão Aureliano) apresentou-se no seu lugar de voto na 3.ª Secção de Belém (nos claustros da Casa Pia), tendo recebido "uma carinhosa manifestação pelos eleitores presentes".[2]

Conforme expectável, foi eleito para Presidente da República Sidónio Bernardino da Silva Pais, tendo sido proclamado em 9 de Maio desse mesmo ano.[3]

ResultadosEditar

Candidato Partidos apoiantes 1ª Volta
Votos %
Sidónio Pais PNR 470 831
91,61 / 100,00
Votos Inválidos 43 127
8,39 / 100,00
Total 513 958
100,00 / 100,00
Eleitorado/Participação 900 000 ~
57,10 / 100,00
Fonte [4]; [5]

GráficoEditar

Eleição de abril de 1918 (número de votos)
Sidónio Pais
  
470 831

Referências

  1. «"Eleições Presidenciais - Eleição do Presidente da República Sidónio Pais, em 28 de Abril de 1918"». Arquivo Histórico Parlamentar. Consultado em 5 de Dezembro de 2015 
  2. a b Silva, Armando Malheiro da (2006). História de um caso político. Volume 2 - Sidónio e sidonismo 1.ª ed. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra. ISBN 972-8704-54-2 
  3. «"Presidentes Anteriores - Sidónio Pais"». Página oficial da Presidência da República Portuguesa. Consultado em 5 de Dezembro de 2015 
  4. http://www.presidencia.pt/?idc=13&idi=34 Presidência da República Portuguesa
  5. http://www.iscsp.ulisboa.pt/~cepp/eleicoes_portuguesas/1918.htm Arquivado em 8 de dezembro de 2015, no Wayback Machine. ISCSP-ULisboa