Partido Nacionalista da Catalunha

Partido Nacionalista da Catalunha (PNC; em catalão: Partit Nacionalista de Catalunya; em castelhano: Partido Nacionalista de Cataluña) é um partido político da Catalunha. Fundado em 2020, atualmente sua secretária-geral é Marta Pascal.[1]

Partido Nacionalista da Catalunha
Partit Nacionalista de Catalunya
Presidente Olga Tortosa Marín
Secretário-geral Marta Pascal
Fundação 13 de abril de 2020
Sede Barcelona, Catalunha, Espanha
Ideologia Nacionalismo catalão
Social liberalismo
Democracia cristã
Europeísmo
Catalanismo
Independentismo catalão (setor interno)
Espectro político Centro liberal
Página oficial
ww.pnc.cat

HistóriaEditar

O PNC nasceu a partir do think tank "El Pais de Demà" (O país de amanhã, em português), que se formou em 21 de setembro de 2019, durante o que ficou conhecido como "Reunião de Poblet".[2] Cerca de 200 pessoas participaram deste evento, sendo o seu principal promotor o engenheiro Antoni Garrell.[3] Também participaram do evento políticos provenientes do âmbito convergente como Marta Pascal, Carles Campuzano, Jordi Xuclà, Marta Pigem, e Lluis Recoder. Além destes, também foram contactados os ex-secretários regionais do Governo da Catalunha Jordi Baiget, Santi Vila, e Jordi Jané. Outros nomes que estiveram ligados ao projeto incluem Josep Soler (diretor do Instituto Catalão de Estudos Financeiros), o ex-conselheiro do PSC Ramon García Bragado, a professora da UAB Carme Casablanca, o sociólogo Oriol Homs, o filósofo José María Lozano e o jurista Antoni Bayona.[4][5] O principal objetivo é reunir estes partidos catalães dispersos em uma eventual candidatura unitária.

A formação realizou seu congresso fundador em 27 de junho de 2020, elegendo Marta Pascal como secretária-geral do partido, Àlex Moga como secretário organizacional, Oriol Puig como porta-voz do partido e Pep García como tesoureiro.[6] Como presidente do partido, Olga Tortosa foi eleita com 84% dos votos a favor.[6] No manifesto político aprovado, eles dizem apostarem em um referendo acordado como solução para a Catalunha.[7]

Seis dias antes do evento, o jornal La Vanguardia entrevistou Albert Batlle, vereador municipal de Barcelona pelo Units per Avançar (em coalizão com o PSC), quando ele ofereceu-se a liderar uma eventual candidatura unitária desses partidos catalães (incluindo o PNC) nas próximas eleições para o Parlamento Catalão.[8]

IdeologiaEditar

O partido quer ocupar o espaço de centro liberal abandonado pela CiU, trabalhando com pessoas de todas as esferas políticas e sociais para formar um projeto catalão, liberal, europeísta, moderado e pacífico, tendo como modelo político o Partido Nacionalista Basco.[1][2][9]

O PNC assegura que rejeita os blocos ou coalizões de partidos, que a Catalunha é uma nação com o direito a decidir por sua autodeterminação e é a favor de trabalhar para um acordo com o Estado para colocar as urnas de votação seguindo o modelo escocês.[10] Contrários do unilateralismo, eles não descartam o independentismo, apostando na recuperação do que havia sido recortado do Estatuto de Autonomia de 2006, e assim atingir o maior grau possível de autogoverno.[4] Eles se mostraram contra a prisão de políticos pró-independência após os acontecimentos do Referendo sobre a independência da Catalunha em 2017. O ideólogo da plataforma tem enfatizado que eles são um movimento "transversal, ideologicamente pluralista" que quer "trabalhar para fazer propostas para o país".[4]

Referências

  1. a b «Marta Pascal, elegida secretaria general del nuevo Partit Nacionalista de Catalunya». 27 de junho de 2020 
  2. a b «El partido del grupo de Poblet se llamará Partit Nacionalista de Catalunya» (em espanhol). La Vanguardia. 12 de maio de 2020. Consultado em 13 de julho de 2020 
  3. «El sector moderado del PDECat se cita en Poblet para debatir sobre su futuro» (em espanhol). El Periódico. 19 de agosto de 2019. Consultado em 13 de julho de 2020 
  4. a b c «El grup de Poblet celebra la seva primera reunió amb la presència destacada d'exdirigents del PDECat» (em catalão). Ara. 21 de setembro de 2019. Consultado em 13 de julho de 2020 
  5. «Tots els colors del centre nacionalista fan una auditoria al procés» (em catalão). Nació Digital. 21 de setembro de 2019. Consultado em 13 de julho de 2020 
  6. a b «Pascal lidera el PNC con un mensaje integrador y de diálogo» (em espanhol). El Periódico. 27 de junho de 2020. Consultado em 13 de junho de 2020 
  7. «El PNC echa a andar con Pascal como líder y defendiendo el referéndum pactado» (em espanhol). La Vanguardia. 27 de junho de 2020. Consultado em 13 de julho de 2020 
  8. «Albert Batlle: "Estoy dispuesto a liderar un proyecto frente al independentismo"» (em espanhol). La Vanguardia. 21 de junho de 2020. Consultado em 13 de junho de 2020 
  9. «El PNC lanza su proyecto político, con la vía escocesa como bandera» (em espanhol). La Vanguardia. 17 de junho de 2020. Consultado em 13 de julho de 2020 
  10. «El Partit Nacionalista de Catalunya pugnará por el voto catalanista en las autonómicas» (em espanhol). El País. 27 de junho de 2020. Consultado em 13 de junho de 2020