Abrir menu principal

Partido da Pátria

Partido da Pátria
Anavatan Partisi
Líder İbrahim Çelebi
Fundação 1983 (original)
2011 (refundação)
Sede  Turquia, Istambul
Ideologia Conservadorismo liberal
Liberalismo económico
Conservadorismo social
Nacionalismo turco
Espectro político Centro-direita
Cores Dourado

O Partido da Pátria (em turco: Anavatan Partisi; sigla: ANAP) foi um partido político da Turquia. Foi fundado em 20 de maio de 1983 por Turgut Özal e fundido com o Partido Democrático (DP) em 31 de outubro de 2009. O ANAP era considerado um partido de centro-direita nacionalista que apoiava restrições ao papel desempenhado pelo governo na economia, que favorecia o capital e iniciativa provada. Embora não fosse islamista, não era tão intransigente como os partidos kemalistas no que tocava à defesa do laicismo, admitindo algumas formas públicas de expressão religiosa. Por vezes é apresentado como um sucessor do antigo Partido Democrático de Adnan Menderes.

Resumo históricoEditar

O ANAP manteve uma maioria no governo turco de 1983 a 1991. O seu líder e fundador Turgut Özal foi primeiro-ministro de 1983 a 1989 e presidente da república de 1989 a 1993. Durante o tempo em que estiveram no poder, os dirigentes do ANAP transformaram a economia turca iniciando reformas económicas no sentido de liberalizar os mercados, nomeadamente diminuindo o setor económico estatal. Em 1987 o governo liderado pelo ANAP apresentou a candidatura da Turquia à então Comunidade Económica Europeia (CEE), antecessora da União Europeia. No entanto, esta tentativa de adesão terminou quando a ANAP criticou a união aduaneira da CEE e decidiu que os termos para a admissão prescritos por aquela organização não satisfaziam os interesses da Turquia.

Após 1991, o ANAP regressou poucas vezes à lidernça do poder. Em 1995 formou uma breve coligação com o Partido da Via Justa (Doğru Yol Partisi, DYP), outro partido de centro-direita, que lhe permitiu estar no governo por um breve período. Entre julho de 1997 e novembro de 1998, o ANAP esteve novamente à frente de um governo com o seu líder Mesut Yılmaz como primeiro-ministro. No entanto, em abril de 1999 o partido sofreu uma severa derrota nas eleições parlamentares, passando a ser a quarta força política da Turquia, com apenas 14% dos votos. Nas eleições de 2002 obteve apenas 5,12% dos votos e nenhum assento parlamentar.

Em maio de 2007 foi anunciado que o ANAP e o Partido da Via Justa se iriam fundir no Partido Democrático, o que não chegou a concretizar-se. O partido não se candidatou nas eleições desse ano. De 2008 a 2009, o ANAP foi liderado por Salih Uzun.

LíderesEditar

O líder executivo do partido era designado Genel Başkan e era eleito por delegados do partido em congressos bianuais. O partido teve sete líderes desde a sua fundação até à sua extinção em 2009:

  1. Turgut Özal (20 de maio de 1983 — 31 de outubro de 198)
  2. Yıldırım Akbulut (16 de novembro de 1989 — 15 de junho de 1991)
  3. Mesut Yılmaz (15 de junho de 1991 — 4 de novembro de 2002)
  4. Ali Talip Özdemir (18 de novembro de 2002 — 3 de outubro de 2003)
  5. Nesrin Nas (15 de outubro de 2003 — 21 de março de 2005)
  6. Erkan Mumcu (2 de abril de 2005 — 26 de outubro de 2008)
  7. Salih Uzun (26 de outubro de 2008 — 31 de outubro de 2009)

Durante os períodos entre a resignação ou incapacitação de um líder e a eleição de um novo, o comité central assumia a liderança de forma coletiva.

Resultados eleitoraisEditar

Eleições legislativasEditar

Data CI. Votos % +/- Deputados +/- Status
1983 1.º 7 833 148
45,1 / 100,0
211 / 400
Governo
1987 1.º 8 704 335
36,3 / 100,0
 8,8
292 / 450
 81 Governo
1991 2.º 5 862 623
24,0 / 100,0
 12,3
115 / 450
 177 Oposição
1995 2.º 5 527 288
19,7 / 100,0
 5,3
132 / 550
 17 Oposição
1999 4.º 4 122 929
13,2 / 100,0
 6,5
86 / 550
 46 Governo
2002 7.º 1 618 465
5,1 / 100,0
 8,1
0 / 550
 86 Extra-parlamentar
2007 Não concorreu
2011
06/2015
11/2015
2018 (a)

(a) O partido não concorreu mas apoiou a coligação liderada pelo Partido da Justiça e Desenvolvimento

FontesEditar