Pascal Dagnan-Bouveret

pintor francês

Pascal-Adolphe-Jean Dagnan-Bouveret (Paris, 7 de janeiro de 1852 - Quincey, 3 de julho de 1929) foi um dos principais artistas franceses do academicismo.

Pascal Dagnan-Bouveret
Nascimento Pascal-Adolphe-Jean Dagnan-Bouveret
7 de janeiro de 1852 (171 anos)
Paris, França.
Morte 3 de julho de 1929 (77 anos)
Quincey, França.
Sepultamento Cemitério de Passy
Nacionalidade  França
Cidadania França
Alma mater
  • Escola Nacional Superior das Belas-Artes
Ocupação Artista plástico.
Prêmios
Obras destacadas Horses at the watering trough, In the forest, Les Bretonnes au Pardon
Movimento estético naturalismo

BiografiaEditar

Nascido em Paris, era filho de um alfaiate, foi criado por seu avô quando seu pai emigrou para o Brasil. Mais tarde, o nome de seu avô, Bouveret, foi adicionado ao seu.

A partir de 1869, ele estudou na Escola de Belas Artes, sendo seus professores Alexandre Cabanel e Jean-Léon Gérôme. Em 1873, ele abriu seu próprio estúdio com um parceiro Gustave-Claude Courtois-Etienne. Em 1880 ele ganhou a medalha de primeira classe pela pintura Um acidente, e uma medalha de honra em 1885 por Cavalos no charco.

Desde a década de 1880, Dagnan-Bouveret junto com Gustave Courtois, mantiveram um estúdio em Neuilly-sur-Seine, no subúrbio de Paris. Naquela época, ele foi reconhecido como um artista modernista de primeira linha, conhecido tanto por suas telas de camponeses, quanto por suas composições místicas-religiosas. Sua pintura A Última Ceia foi exposta no Salão de Champ de Mars, em 1896.[1] Ele também pintou retratos para clientes ricos, como o colecionador britânico George McCulloch. Foi um dos primeiros a usar a fotografia então novo meio artístico, para dar mais realismo às suas pinturas.

Em 1891 foi nomeado oficial da Legião de Honra, e em 1900 tornou-se membro do Instituto da França. Faleceu em 3 de julho de 1929 em Quincey (Haute-Saône), em sua casa em Chalk Street.

GaleriaEditar

Notas e referênciasEditar

  1. New York Times. 25 de abril de 1896.