Abrir menu principal
Patife Band
Informação geral
Origem São Paulo, São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Pós punk
Art rock
Rock experimental
Math rock
Período em atividade 1983 - 1990
2003 - Atualmente
Gravadora(s) independente
Afiliação(ões) Arrigo Barnabé - Itamar Assumpção - Vanguarda Paulista
Integrantes Patife Band é o alter-ego do compositor Paulo Barnabe, norte-paranaense radicado em São Paulo sendo a banda formada por musicos em rotatividade.
Ex-integrantes
Maurício Biazzi (baixo)
James Müller (bateria)
Cidão Trindade (bateria)
Paulo Mello (bateria)
Eduardo Batistella (bateria) André Fonseca,guit.Sidney Giovenazzi baixo e vocal,Emerson Villani guit.
Página oficial www.myspace.com/patifeband

Patife Band é um projeto do musico e compositor Paulo Barnabe norte- paranaense radicado em São Paulo, formada em 1984 na cidade de São Paulo.O compositor usa técnicas de composição erudita contemporânea onde surgem ritmos assimétricos, células atonais e algumas séries dodecafônicas.Há também assumida influência de do jazz,hard-rock e ritmos brasileiros.[1]

tornando-se um dos expoentes do movimento que ficou conhecido como Vanguarda Paulista que se somou a um movimento global de inovações ocorridas na década de 1980, principalmente nos países mais industrializados, nas composições de gênero rock e punk rock incorporando métodos mais rebuscados e experimentais na métrica e ritmo das músicas.

HistóriaEditar

Inicialmente com o nome de Paulo Patife Band, a banda foi formada em 1984 por Paulo Barnabé (voz) com Duda Neves na bateria,Regina Porto piano elétrico,Otavio Fialho baixo e "Tuba" na guitarra,encenando a pseudo-ópera "João Bobo e as Bonecas Infláveis" com texto de Paulo Barnabé e Robinson Borba, onde no palco, Paulo surrava um boneco inflável de borracha de 1.70 m de altura o João Bobo, com o seu característico movimento pendular ao som da musica "Tô Tenso" (Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção e Paulo Barnabé).[2] Paulo Barnabé foi quem, depois de experiências com o irmão Arrigo Barnabé e Itamar Assumpção, já em busca de linguagem própria, montou a banda. Após inúmeras formações grava seu primeiro disco solo intitulado apenas de Patife Band com Paulo Barnabe no vocal e piano,Paulo Pagni e James Muller na bateria,André Fonseca na guitarra e convidados como Bozo Barreti DX 7 em To tenso e Pesadelo,Zé Portugues baixo em Noite Feliz,Sidney Giovenazzi baixo em Pregador maldito,musica essa muito executada na Radio Fluminense de Niterói (RJ).

Em 1985 Paulo Barnabe lança seu álbum de estreia,[1] um mini-LP homônimo lançado pelo selo Lira Paulistana[2], que ganhou destaque com a versão para o clássico da Jovem Guarda "Tijolinho", de Wagner Benatti.

Em 1986, Paulo e banda participa da trilha sonora do filme Cidade Oculta, de Chico Botelho, com a música Poema em Linha Reta e "Pregador Maldito" sendo interpretes no filme os músicos André Fonseca guitarra,Alberto Monteiro (Batata) bateria e Sidney Giovenazzi baixo.

Em 1987 Paulo Barnabe lança o álbum Corredor Polonês, pela gravadora WEA,[1] com Paulo Mello e Cidão Trindade na bateria,André Fonseca na guitarra,Sidney Giovenazzi no baixo,Olivier...no sax tenor e alto,Bocato no trombone,Toninho Ferraguti no acordeon,Papete na percussão e mais participações,disco no qual consta entre outras músicas a faixa "Tô Tenso" (regravada pelos Ratos de Porão), "Teu Bem" (regravada por Cássia Eller)[2] e "Vida de Operário" (de autoria dos Excomungados e regravada pelo grupo mineiro Pato Fu). Em 2002, a WEA relançou o álbum na versão CD..[2]

Logo após o laçamento de Corredor Polones(87) em 89 Paulo Barnabe refaz a formação e volta com um som mais jazzístico onde na bateria se destaca Zé Eduardo Nazário (Grupo Um) e Felipe Ávila na guitarra, além de Zé Portugues no baixo e mais pra frente sai Felipe Ávila e entra Emerson Villani e Sandro Albert na guitarra.Esta formação dura um ano e Paulo entra em novo período de pausa e composição.

Em 2003 a banda volta a se reunir com o nome de Paulo Barnabé & Patife Band, e lança o álbum Ao Vivo, gravado no Festival Demo Sul, em Londrina, Paraná com Paulo Barnabé (voz), Emerson Villani (guitarra e voz), Maurício Biazzi (baixo) e Eduardo Batistella (bateria) na formação da banda.[1]

Em 2005, as músicas "Teu Bem" e "Poema em Linha Reta" foram incluídas na coletânea The Sexual Life of the Savages: Underground Post-Punk of São Paulo, Brasil, lançada pelo selo londrino Soul Jazz Records.

DiscografiaEditar

Álbuns de estúdioEditar

Álbuns ao vivoEditar

CompilaçõesEditar

Ligações externasEditar

Referências

   Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.