Abrir menu principal

Penitenciária Federal de Catanduvas

Penitenciária Federal em Catanduvas
Localização Catanduvas
 Paraná
Município de Catanduvas (em vermelho)

A Penitenciária Federal em Catanduvas, localizada a 476 quilômetros de Curitiba, na região oeste do Paraná, foi a primeira prisão federal de segurança máxima inaugurada pela União. Como as demais penitenciárias de segurança máxima, tem 208 celas individuais e 12 de isolamento, sendo de 12.700 metros quadrados sua área construída. Este estabelecimento prisional destina-se exclusivamente a presos de alta periculosidade, líderes de organizações criminosas.

TopônimoEditar

"Catanduvas" é palavra de origem tupi que significa "ajuntamento de mata dura", através da junção dos termos ka'a (mata), atã (duro) e tyba (ajuntamento).[1] É uma referência à vegetação com árvores de troncos e galhos retorcidos recobertos por casca grossa e resistente ao fogo. Este nome designava a fisionomia mais característica do cerrado brasileiro.

HistóriaEditar

A penitenciária foi inaugurada em junho de 2006,[2] e logo em julho do mesmo ano recebeu o criminoso Fernandinho Beira-Mar[3]

No fim do ano, diversos líderes do tráfico carioca foram transferidos para lá, após violentos ataques terroristas promovidos por bandidos de diversas facções contra a população, em represália ao crescimento das milícias, que deixaram dezoito mortos[4]

Entre os presos transferidos para Catanduvas na ocasião, estavam: Marcinho VP, Isaías do Borel, Elias Maluco, Porca Russa, Robinho Pinga, Lambari, My Tor, Tchaca, Sapinho e Claudinho da Mineira.

Atualmente abriga o traficante Marcelo "Piloto" que foi extraditado do Paraguai, diretamente para a prisão federal em Catanduvas.

Não há registros de fugas, rebeliões, entrada de celulares e drogas ilícitas na Penitenciária Federal em Catanduvas, sendo considerada uma das mais seguras do Brasil.

Ver tambémEditar

Referências

  1. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. 3ª edição. São Paulo. Global. 2005. p. 56
  2. [1]
  3. [2][ligação inativa]
  4. [3]

Ligações externasEditar