Abrir menu principal

Vida e obraEditar

Pieter Zeeman nasceu em Zonnemaire, uma pequena cidade na ilha de Schouwen-Duiveland, Holanda, filho de Catharinus Forandinus Zeeman, um ministro da Igreja Reformada Holandesa, e de Willemina Worst.[1]

Estudou na Universidade de Leiden, e foi professor em Amesterdão em 1897.[1] Em 1900 foi promovido a professor de física na Universidade de Amsterdã.

Recebeu em 1902 o Nobel de Física, juntamente com Hendrik Lorentz, por seu trabalho sobre as radiações eletromagnéticas.[1]

 
Albert Einstein (centro) visitando Pieter Zeeman (esquerda) em Amsterdam, com seu amigo Paul Ehrenfest (ca. 1920).

Em 1898 Zeeman foi eleito membro da Academia Real das Artes e Ciências dos Países Baixos, em Amsterdã, e serviu como seu secretário-1912-1920. Ele ganhou a Medalha Henry Draper em 1921, e vários outros prêmios e títulos honoríficos. Zeeman também foi eleito membro estrangeiro da Royal Society em 1921.[2] Aposentou-se como professor em 1935.

Zeeman morreu em 9 de Outubro de 1943 em Amesterdão, e foi sepultado em Haarlem.

Referências

  1. a b c «Pieter Zeeman». UFCG. dec.ufcg.edu.br. Consultado em 26 de dezembro de 2012. Arquivado do original em 16 de maio de 2013 
  2. Robert John, Strutt (1944). «Pieter Zeeman. 1865-1943» (PDF). Obituary Notices of Fellows of the Royal Society (em inglês). 4 (13). 591 páginas. doi:10.1098/rsbm.1944.0010. Consultado em 26 de dezembro de 2012  |lingua2= e |idioma= redundantes (ajuda)

Leitura adicionalEditar

  • Paul Forman, "Alfred Landé and the anomalous Zeeman Effect, 1919-1921", Historical Studies in the Physical Sciences, Vol. 2, 1970, 153-261.

Ligações externasEditar