Abrir menu principal

Wikipédia β

Polieucto de Melitene

Disambig grey.svg Nota: Para o patriarca de Constantinopla, veja Polieucto de Constantinopla.
São Polieucto
Iluminura do martírio de São Polieucto no Menológio de Basílio II.
Mártir
Morte 10 de janeiro de 259 em Melitene, Reino da Armênia
Veneração por Igreja Católica
Igreja Ortodoxa
Festa litúrgica 13 de fevereiro (Igreja Católica)
9 de janeiro (Igreja Ortodoxa)
Padroeiro Votos, juramentos e tratados[1]
Gloriole.svg Portal dos Santos

Polieucto de Melitene (m. 259), chamado também de Polieucte, é um santo da Roma Antiga. Segundo a tradição cristã, ele era um rico oficial do exército romano (supostamente na XII Fulminata) que foi martirizado em Melitene, no Reino da Armênia, numa perseguição aos cristãos do imperador Valeriano.

Índice

HistóriaEditar

Simeão Metafrastes escreveu que, movido pelo zelo de seu amigo, São Nearco, Polieucto se converteu abertamente ao cristianismo: "Inflamado pelo zelo, São Polieucto foi à praça da cidade, rasgou o édito de Décio que exigia que todos adorassem os ídolos. Momentos depois, ele encontrou uma procissão carregando doze ídolos pelas ruas da cidade. Ele atirou-os no chão e os pisoteou"[1]. Ele foi torturado pelas autoridades, que ignoraram os apelos de sua esposa, Paulina, de seus filhos e de seu genro, Félix. Acabou decapitado.

VeneraçãoEditar

São Polieucto foi sepultado em Melitene em uma igreja dedicada a ele. Segundo a tradição, os pais de Eutímio, o Grande, pediram a Deus um filho ali e foram atendidos[1]. A Igreja de São Polieucto foi dedicada a ele em Constantinopla por Anícia Juliana entre 524 e 527. As escavações realizadas na década de 1960 revelaram que, na época da ascensão de Justiniano, esta basílica era a maior na capital bizantina e que havia ali algumas das mais excepcionais exibições de luxo e ostentação na cidade, como relevos dourados de pavões e muitos detalhes de caráter oriental.

Referências culturaisEditar

Pierre Corneille, inspirado pelo martírio de Polieucto, utilizou elementos de sua história em sua tragédia "Polyeucte" (1642). Em 1878, ela foi adaptada em uma ópera ("Polyeucte") por Charles Gounod, com o apoio do libretista Jules Barbier. Outras obras baseadas na peça incluem um balé de Marc-Antoine Charpentier (1679) e a ópera Poliuto (1838), de Donizetti (adaptada com Scribe como "Les Martyrs"). Paul Dukas compôs sua abertura "Polyeucte", que estreou em janeiro de 1892.

Referências

  1. a b c «Saint Polyeuctus» (em inglês). Orthodox Church in America 

Ligações externasEditar