Abrir menu principal

Wikipédia β

Ponte Pedonal Circular (Aveiro)

Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A ponte pedonal circular de Aveiro, promovida pela AveiroPolis, une as quatro margens de dois canais, S. Roque e Botirões faz a ligação entre o Canal da Praça do Peixe (canal dos Botirões) e o Canal de São Roque, abrangendo as margens do Cais dos Mercantéis e do Cais dos Botirões.

Ponte Pedonal Circular
Ponte Pedonal Circular
Design Arquitecto Luís Viegas e engenheiro Domingos Moreira
Data de abertura 2006
Tráfego de bicicletas e pedonal
Geografia
Cruza Canal da Praça do Peixe (canal dos Botirões) e o Canal de São Roque
Localização Aveiro
Coordenadas 40° 38' 38.8" N 8° 39' 23" O

A ponte é única em Aveiro pela possibilidade de permitir atravessar dois canais e pela forma e desenho.

O projecto é da autoria do arquitecto Luís Viegas, da Faculdade de Arquitectura do Porto e do engenheiro Domingos Moreira, que desenharam a obra.

A ponte abriu ao público em 2006 e teve um custo total de 400 mil euros.

A geometria em planta da Obra de Arte é composta por um círculo com 26m de perímetro, a eixo, com 2,0m de largura, localizando-se na tangencia às três margens, materializadas pela confluência do Canal de Botirões no canal de S. Roque.

A obra de arte pode ser caracterizada por um tabuleiro circular suspenso por tirantes metálicos desde o seu limite interior até ao mastro inclinado, que por sua vez é sustentado por barras metálicas amarradas a m maciço de betão. A solução adoptada para as fundações indirectas do mastro e do maciço de amarração permitiu a quase completa eliminação de forças horizontais transmitidas ao maciço geotécnico, que não apresenta características competentes de fundação nas suas camadas superficiais.

A ponte permite a circulação a pé, de bicicleta e a utilização por utentes de mobilidade reduzida, pela existência de rampas além do acesso por escadaria. O pavimento de madeira e os tabuleiros encontram-se suspensos por cabos a uma mastro composto por dois elementos que configuram, no ar, o anel de amarração.

Dos materiais utilizados destacam-se o mastro de estrutura metálica de secção variável, o passadiço em estrutura metálica em perfis compostos de forma a fazer a geometria circular e as guardas exteriores em vidro curvo.

Com iluminação nocturna, a guarda do tabuleiro é composta por um vidro laminado curvo e transparente de forma a não constituir um obstáculo visual à leitura espacial da envolvente e a expressar uma condição de conforto ao nível da fruição do utente.

Devido à singularidade da ponte foi efectuada a monitorização da mesma levada a cabo pelo Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Aveiro. A monitorização foi efectuada com ensaios dinâmicos e estáticos, salientando-se a utilização de sensores em fibra óptica.

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ponte Pedonal Circular (Aveiro)
Ícone de esboço Este artigo sobre engenharia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.