Pouca Vogal

Pouca Vogal foi um projeto de rock brasileiro criado em 2008 pelos músicos gaúchos Duca Leindecker, líder e guitarrista da banda Cidadão Quem, e Humberto Gessinger, líder e baixista do grupo Engenheiros do Hawaii. Dois álbuns, um de estúdio e um ao vivo, foram lançados, e uma turnê foi feita entre 2009 e 2012.

Pouca Vogal
Pouca Vogal numa apresentação na Bahia, em 2011
Informação geral
Origem Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Gênero(s) Rock, folk, MPB
Período em atividade 2008–12, 2017
Gravadora(s) Som Livre
Afiliação(ões) Cidadão Quem
Engenheiros do Hawaii
Ex-integrantes Humberto Gessinger
Duca Leindecker
Página oficial poucavogal.com.br

O grupo forma um Power Duo e o nome "Pouca Vogal" é devido ao sobrenomes dos dois vocalistas, "Gessinger" e "Leindecker" - ambos sobrenomes alemães com poucas vogais. A logo, formada por uma vírgula e uma aspas entre parênteses, é uma referência as iniciais de cada sobrenome.[1]

HistóriaEditar

Amigos desde o fim dos anos 80, Humberto Gessinger e Duca Leindecker são band-leaders de duas das maiores bandas do rock gaúcho, os Engenheiros do Hawaii e a Cidadão Quem. No ano de 2008, ambas as bandas encerraram as turnês dos seus respectivos discos (Novos Horizontes, álbum acústico lançado pelos Engenheiros em 2007; e 7, álbum de estúdio da Cidadão Quem, lançado em 2007), interrompendo as atividades das bandas e viabilizando a realização do projeto, há bastante tempo idealizado pelos cantores. A dupla gravou oito canções em arranjos eletro-acústicos, que foram lançados no website oficial do grupo e deram origem ao álbum Pouca Vogal: Gessinger+Leindecker.[2] Posteriormente à gravação das mesmas, a dupla realizou shows por várias cidades do país.

Em março de 2009, o duo gravou o CD e DVD Ao Vivo em Porto Alegre, no teatro do CIEE, na capital gaúcha. O show reúne músicas dos Engenheiros e da Cidadão Quem, além das músicas que a dupla compôs durante o ano de 2008. Em algumas canções, há também a participação da orquestra gaúcha PoA Pops, sob regência do maestro Fernando Cordella, com os arranjos de Tiago Kreutzer; e do baixista Luciano Leindecker (irmão de Duca e baixista do Cidadão Quem), tocando o contrabaixo e um instrumento criado por ele, chamado quince.[3] Gravado de maneira independente, houve um intervalo de nove meses entre sua gravação e seu lançamento, através da gravadora carioca Som Livre.

Em 9 de dezembro de 2012, num show em Vitória da Conquista, Bahia, foi anunciado que este seria o último show do projeto Pouca Vogal. Mais tarde Humberto publicou em seu perfil no Twitter um agradecimento a alguns colaboradores do projeto e aos fãs.[4] Nos anos seguintes, Humberto e Duca passaram a se dedicar a suas carreiras solo.

Em julho de 2017, Humberto afirmou, em uma entrevista, que o duo poderia retornar, e Duca disse o mesmo em setembro.[5][6] Pouco depois, no dia 23 de setembro, o Pouca Vogal fez uma apresentação única durante o Festival Rock Gaúcho, tendo sido a última apresentação ao vivo.[7]

MembrosEditar

Músico convidado

DiscografiaEditar

Referências

  1. «Novidades». Pouca Vogal. 17 de abril de 2011. Consultado em 7 de outubro de 2020. Há quem ache que o logo forma, entre parênteses, o número 96. Na verdade, a vírgula remete ao "g" de Gessinger e a aspas remete ao "l" de Leindecker. 
  2. pouca vogal - gessinger + leindecker - músicas
  3. Gessinger e Leindecker gravam DVD ao vivo a partir de hoje
  4. Humberto Gessinger - Twitter
  5. «Em entrevista, Gessinger cogita volta de Pouca Vogal ao lado de Duca Leindecker». Pioneiro. 28 de julho de 2017. Consultado em 7 de outubro de 2020 
  6. «Banda Pouca Vogal deve fazer turnê pelo Brasil em 2018». social1. 18 de setembro de 2017. Consultado em 7 de outubro de 2020 
  7. «Pouca Vogal retorna após cinco anos para show em Porto Alegre». Rock Gaúcho. 20 de agosto de 2017. Consultado em 7 de outubro de 2020