Prêmio Internacional Al-Gaddafi de Direitos Humanos

O Prêmio Internacional Al-Gaddafi de Direitos Humanos foi um prêmio anual pelo líder líbio Muammar al-Gaddafi e pelo líder anti-globalização suiço Jean Ziegler, e financiado por Gaddafi.

foi um prêmio anual dos direitos humanos instituído pelo Congresso do Povo da Líbia no final de 1988, em "dívida e gratidão por Muammar Gaddafi e em apreciação por seu papel em estabelecer firmemente o princípio da [democracia direta]], sua luta persistente, sua inspiração distintiva e instigação contínua para a consolidação da liberdade humana e para a emissão do Grande Documento Verde na era das massas, para o propósito de conceder tributo a figuras simbólicas de luta e fé nos valores da liberdade a todos os seres humanos, nações, grupos e indivíduos".[1]

Gaddafi fez uma concessão inicial de dez milhões de dólares[2] para a fundação Suíça Norte-Sul XXI que mais tarde administrou a doação de prêmio. A soma do prêmio em dinheiro foi de US $ 250.000 (no caso de vários beneficiários, o dinheiro do prêmio foi compartilhado). O prêmio foi entregue por um comitê internacional, presidido pelo ex-presidente da Argélia, Ahmed Ben Bella.[3][4] O próprio Gaddafi não teve voz na escolha do vencedor.[2]

LaureadosEditar

Ano Laureado(s)
1989 Nelson Mandela
1990 "Crianças da Palestina"
1991 Povos Indígenas da América
1992 Centro Africano de Combate à AIDS
1993 "Crianças da Bósnia e Herzegovina"
1994 The Union of Human Rights Societies and Peoples in Africa
1995 Ahmed Ben Bella, Francisco da Costa Gomes
1996 Louis Farrakhan
1997 Gracelyn Smallwood, Melchior Ndadaye, Melba Hernández, Manal Younes Abdul-Razzak, Doreen McNally
1998 Fidel Castro
1999 "Crianças do Iraque"
2000 Souha Bechara, Joseph Ki-Zerbo, Evo Morales, Movimento de Setembro, Centro do Terceiro Mundo
2002 Mamado Diaye, Roger Garaudy, Ibrahim Alkonie, Jean Ziegler, Nadeem Albetar, Ali M. Almosrati, Khaifa M. Attelisie, Mohamed A. Alsherif, Ali Fahmi Khshiem, Rajab Muftah Abodabos, Mohamed Moftah Elfitori, Ali Sodgy Abdulgader, Ahmed Ibrahim Elfagieh
2003 Papa Shenouda III
2004 Hugo Chávez
2005 Mahathir bin Mohamad
2006 Evo Morales
2007 Bibliotecas de Tombuctu
2008 Dom Mintoff[4]
2009 Daniel Ortega
2010 Recep Tayyip Erdoğan

ReferênciasEditar

LinksEditar