Príncipe Hamzah bin Hussein

aristocrata jordano

O Príncipe Hamzah bin Hussein (em árabe: حمزة بن الحسين‎; 29 de março de 1980), ou também Príncipe Hamzah da Jordânia, é o oitavo filho, quarto varão, do Rei Hussein da Jordânia.

Hamzah bin Hussein

Ele é o filho mais velho de Hussein com sua quarta esposa, a Rainha Noor da Jordânia.[1]

Em abril de 2021, Hamzah acabou se envolvendo numa tentativa de golpe de estado para depor seu meio-irmão, o Rei Abdullah II da Jordânia. Devido ao incidente, acabou preso e renunciou a seu título em abril de 2022.[2][3][4]

BiografiaEditar

NascimentoEditar

Nascido em 29 de março de 1980, Hamzah é o primeiro filho do falecido rei Hussein com sua quarta esposa, a rainha Noor, nascida como Lisa Halaby nos Estados Unidos.

Por parte de pai e mãe ele tem um irmão, Hashem, e duas irmãs, Iman e Raiyah. Além disto, tem outros sete meio-irmãos por parte de pai, incluindo o Rei Abdullah e a Princesa Haya, uma ex-esposa do Emir de Dubai e cujo divórcio ganhou as manchetes de jornais e revistas do mundo inteiro por Haya ter fugido do marido e pedido asilo na Inglaterra.

EducaçãoEditar

Hamzah recebeu sua educação primária em Amã, e depois frequentou a Harrow School, na Inglaterra. Ele também estudou na Real Academia Militar Sandhurst e fez diversos cursos militares na Jordânia, Polônia, Alemanha e nos Estados Unidos.[5]

No ano de 2006, Hamzah se formou na Universidade de Harvard.

Casamento e filhosEditar

Em setembro de 2003, Hamzah casou-se no Palácio Al Baraka com uma prima em segundo grau, a Princesa Noor Bint Asem Ben Nayef. O casal, no entanto, se divorciou em setembro de 2009.[6]

Em 2012, casou-se com a Princesa Basmah Bani-Ahmad.[7][8]

Ele tem uma filha, a Princesa Haya bint Hamzah, com sua primeira esposa, e cinco filhos, as princesas Zein, Noor, Badiya e Nafisa e o Príncipe Hussein, com sua segunda esposa.[8]

Carreira MilitarEditar

Hamzah serviu como oficial da 40ª Brigada Blindada do Exército Árabe da Jordânia e ocupou o posto de Brigadeiro no Exército Árabe da Jordânia, servindo na força Jordânia-Emirados Árabes Unidos que atuou na ex-Iugoslávia para promover a paz.[5]

Funções oficiaisEditar

Hamzah atuou como regente em várias ocasiões e foi representante do rei Abdullah tanto na Jordânia como no exterior. Ele também chefiou o Comitê Consultivo Real do Setor de Energia.

Príncipe herdeiroEditar

Em 7 de fevereiro de 1999, o rei Hussein morreu e seu filho mais velho, o príncipe Abdullah, subiu ao trono. No dia de sua posse, Abdullah, atendendo a um pedido do pai, nomeou Hamzah Príncipe Herdeiro da Jordânia.

Cerca de seis anos depois, em 28 de novembro de 2004, Abdullah revogou o decreto anterior, justificando: "o fato de você manter esta posição simbólica restringiu sua liberdade e impediu que lhe confiássemos certas responsabilidades para as quais você está totalmente qualificado".[9][10]

Nenhum sucessor para o título foi indicado na época, mas anos depois, em julho de 2009, Abdullah nomeou seu filho mais velho, o Príncipe Hussein, como Príncipe Herdeiro.

Tentativa de golpe de estadoEditar

Em 3 de abril de 2021, a imprensa mundial reportou que Hamzah havia se envolvido numa tentativa de golpe de estado com ajuda de algumas autoridades, como Sharif Hasan bin Zaid, um membro da realeza do país, e de Bassem Awadallah, antigo chefe da Casa Real, ex-assessor do rei e ex-ministro de Finanças. Todos eles, além dos outros participantes da tentativa, acabaram presos por ameaçar a segurança e a estabilidade do país.[2][3][8][11]

Outros interessesEditar

Hamzah foi presidente honorário da Federação de Basquete da Jordânia, presidente do conselho de curadores do Royal Automobile Museum, presidente do Royal Aero Sports Club da Jordânia e presidente da Al-Shajarah, uma sociedade ligada ao meio-ambiente.

O Príncipe é piloto de aeronaves de asa fixa e rotor qualificado e gosta de outros esportes, como jiu-jitsu e tiro ao alvo.

Renúncia ao títuloEditar

Hamzah renunciou a seu título de príncipe em abril de 2022, após ficar meses preso no palácio devido a seu envolvimento com a tentativa de golpe. Na carta de renúncia ele disse que não concordava com "as abordagens, tendências e métodos modernos" adotados no país, reportou a CNN Portugal.[4]

ReferênciasEditar

  1. «Hamzah, el príncipe que ha hecho temblar el trono de Jordania: el hijo mayor de la reina Noor a cuya primera boda fueron Letizia y Felipe». Vanity Fair (em espanhol). 4 de abril de 2021. Consultado em 4 de abril de 2021 
  2. a b Reuters. «Meio-irmão do rei Abdullah II da Jordânia em "prisão domiciliária" após movimentações golpistas». PÚBLICO. Consultado em 4 de abril de 2021 
  3. a b «King receives phone calls from Arab leaders». rhc.jo (em inglês). 4 de abril de 2021. Consultado em 4 de abril de 2021 
  4. a b «O príncipe que denunciou a corrupção, esteve preso e agora renuncia ao título». CNN Portugal. Consultado em 12 de abril de 2022 
  5. a b «Prince Hamzah bin Hussein». Wikipedia (em inglês). 4 de abril de 2021. Consultado em 4 de abril de 2021 
  6. «JORDAN'S CROWN PRINCE HAMZAH WEDS». www.hellomagazine.com (em ucraniano). Consultado em 4 de abril de 2021 
  7. «Embassy of The Hashemite Kingdom Of Jordan, The Hague - NL». www.jordanembassy.nl. Consultado em 4 de abril de 2021 
  8. a b c «Hamzah, el príncipe que ha hecho temblar el trono de Jordania: el hijo mayor de la reina Noor a cuya primera boda fueron Letizia y Felipe». Vanity Fair (em espanhol). 4 de abril de 2021. Consultado em 4 de abril de 2021 
  9. «El reinado de Abdalá y Rania de Jordania, en peligro: arresto del hermano del rey y caos». www.vanitatis.elconfidencial.com (em espanhol). 4 de abril de 2021. Consultado em 4 de abril de 2021 
  10. «Jordan crown prince loses title» (em inglês). 29 de novembro de 2004. Consultado em 4 de abril de 2021 
  11. «Jordan's Prince Hamzah bin Hussein 'under house arrest'». BBC News (em inglês). 4 de abril de 2021. Consultado em 4 de abril de 2021