Queda do hidroavião Baby Clipper NC 16933

A queda do hidroavião Baby Clipper NC 16933 foi um acidente aéreo ocorrido no Rio de Janeiro em 13 de agosto de 1939. A aeronave , de propriedade da Pan Am, fazia o voo Miami – Rio, fazendo escalas nas cidades de Antilla, Porto Príncipe, San Pedro de Macorís, San Juan, Port of Spain, Georgetown, Paramaribo, Caiena, Belém, São Luís,Fortaleza, Natal, João Pessoa, Recife, Maceió, Aracaju, Salvador, Caravelas e Vitória. Esse seria o primeiro acidente de uma aeronave da Pan Am no Brasil.[1][2]

Queda do hidroavião Baby Clipper NC 16933
Sikosrky S-43 nas cores da US Navy, exposto no Pima Air & Space Museum em Tucson (Arizona), similar ao avião destruído.
Sumário
Data 13 de agosto de 1939
Causa Falha em motor.
Local Brasil Ilha das Cobras, Rio de Janeiro
Coordenadas Gnome-globe.png Ilha das Cobras
Origem US flag 48 stars.svg Miami
Escala Cuba Antilla,

Haiti Porto Príncipe,

República Dominicana San Pedro de Macorís,

 Porto Rico San Juan,

Flag of Trinidad and Tobago (1889–1958).svg Port of Spain,

Flag of British Guiana (1919-1955).svg Georgetown,

Flag of the Netherlands.svg Paramaribo,

França Caiena,

Brasil Belém, São Luís,Fortaleza, Natal, João Pessoa, Recife, Maceió, Aracaju, Salvador, Caravelas e Vitória

Destino Brasil Aeroporto Santos Dumont, Rio de Janeiro
Passageiros 12
Tripulantes 4
Mortos 14
Feridos 2
Sobreviventes 2
Aeronave
Modelo US flag 48 stars.svg Sikorsky S-43
Operador US flag 48 stars.svg Pan Am
Prefixo NC 16933 Baby Clipper
Primeiro voo 20 de dezembro de 1936

AeronaveEditar

O Sikorsky S-43 era um hidroavião do tipo Flying Boat. A Pan Am encomendaria 10 unidades, que seriam utilizadas em rotas ligando os Estados Unidos ao Caribe e América Latina. A aeronave acidentada foi fabricada na planta industrial da Sikorsky Aircraft em Bridgeport, Connecticut, tendo recebido o número de série 4324.[3] A aeronave seria concluída em 20 de dezembro de 1936. Após ter sido testada e aprovada, receberia o prefixo NC 16933 da Civil Aeronautics Authority. Essas aeronaves seriam batizadas pela Pan Am de Baby Clipper. Os Baby Clipper entraram em serviço na Pam Am em 10 de setembro de 1937 e seriam aposentados em 1945.[4]

AcidenteEditar

O Baby Clipper, prefixo NC 16933, decolaria de Miami, Flórida em 9 de agosto de 1939. Após fazer diversas escalas entre 10 e 13 de agosto, chegaria ao Rio, por volta das 16h. Durante a aproximação para a amerissagem, o hidroavião perderia potência no motor esquerdo, o que provocaria perda de sustentação. O Baby Clipper voaria baixo até atingir um dos diques secos da Ilha das Cobras às 16h20 min, durante malograda tentativa de pouso de emergência. Com o impacto, a aeronave se incendiaria rapidamente e cairia no mar, afundando em poucos segundos. Dos 16 ocupantes, somente 2 sobreviveriam: o advogado Mario Souto Lyra e o engenheiro mecânico Oswaldo Hirth. Entre os passageiros mortos, estava James Harvey Rogers, professor de economia da Universidade Yale e conselheiro econômico do governo dos Estados Unidos.[5]

NacionalidadesEditar

Nacionalidade Tripulação Passageiros Total Sobreviventes
  estadunidense 3 7[1] 10 0
  brasileira 4 4 2
  argentina 1 1 0
Desconhecida 1 1 0
Total 3 13 16 2

InvestigaçõesEditar

Durante as investigações, realizadas pela Civil Aeronautics Authority, foi constatado por testemunhas que houve perda de potência do motor esquerdo (Pratt & Whitney R-1690), fazendo o avião rolar para a esquerda. Por conta do incêndio, o motor ficaria muito danificado para ser examinado. Ainda assim,a CAA descobriu que a aeronave possuía combustível suficiente para o pouso e sugeriu uma falha no duto e ou na válvula dupla que controlava o bombeamento de combustível dos seus 2 tanques da asa esquerda até o motor esquerdo. No projeto original, os tanques compartilhavam o mesmo duto até as válvulas que controlavam a injeção de combustível no motor. Após o acidente, a Pan Am modificaria o sistema dos Sikorsky S-43 , substituindo as válvulas duplas por triplas e efetuando ligações independentes entre os tanques de combustível e as válvulas.[6]

Referências

  1. a b Folha da Manhã (15 de agosto de 1939). «Submergiu na Guanabara um hidroavião repleto de passageiros». Ano XV, número 4734 - página 3. Consultado em 1 de julho de 2012 
  2. Jornal do Brasil (15 de agosto de 1939). «Impressionante desastre de avição na Guanabara». Ano XLIX, Número 191, páginas 1 e 7. Consultado em 1 de julho de 2012 
  3. Golden Years of aviation. «Civil Aircraft Register - United States». Consultado em 1 de julho de 2012. Arquivado do original em 20 de setembro de 2011 
  4. Panamair.org. «Sikorsky S-43 Baby Clipper». Consultado em 1 de julho de 2012. Arquivado do original em 19 de outubro de 2011 
  5. Folha da Manhã (15 de agosto de 1939). «Submergiu na Guanabara um hidroavião repleto de passageiros». Ano XV, número 4734 - página 3. Consultado em 1 de julho de 2012 
  6. Civil Aeronautics Authority (Janeiro de 1940). «INVESTIGATIONS OF AIRCRAFT ACCIDENTS 1934 - 1965 Table of Contents». Consultado em 1 de julho de 2012 [ligação inativa]

Ligações externasEditar