Abrir menu principal

Quinto Cecílio Metelo Crético Silano

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Quinto Cecílio Metelo.
Quinto Cecílio Metelo Crético Silano
Cônsul do Império Romano
Consulado 7 d.C.

Quinto Cecílio Metelo Crético Silano (em latim: Quintus Caecilius Metellus Creticus Silanus), nascido Júnio Silano (em latim: Iunius Silanus), foi um político romano eleito cônsul em 7[1] e governador da Síria entre 13 e 17[2]. Silano era filho biológico de Marco Júnio Silano e foi adotado por Quinto Cecílio Metelo, um descendente do optimate Quinto Cecílio Metelo Crético[2].

Índice

HistóriaEditar

Silano era ligado a Germânico, o herdeiro de Tibério, através de sua filha, que foi, por um tempo, noiva do filho dele, Nero[3]. Já no final de seu mandato na Síria, Vonones tomou o trono da Reino da Armênia, um reino cliente de Roma, mas ele era impopular com o vizinho Império Parta, o que aumentou o risco de uma guerra. Tibério, que não queria o conflito, ordenou que Silano convocasse Vonones até sua corte na Síria em 16. Ao chegar, ele foi colocado sob vigilância, mas pôde manter sua corte e seu título[4].

Logo depois, Silano foi convocado de volta a Roma por Tibério para permitir que Cneu Calpúrnio Pisão assumisse o governo da Síria[3].

Sabe-se que Silano adotou um filho de Marco Escribônio Libão Druso (m. 16), um neto de Pompeu e parente da família imperial, que adotou o nome de Quinto Cecílio Druso Libão[5].

Ver tambémEditar

Referências

  1. Sherk, Robert K. (1984). Rome and the Greek East to the death of Augustus. [S.l.]: Cambridge University Press. 160 páginas. ISBN 978-0-521-27123-3 
  2. a b Swan, Peter Michael (2004). The Augustan succession: an historical commentary on Cassius Dio's Roman history, Books 55-56 (9 B.C.-A.D. 14). [S.l.]: Oxford University Press. 203 páginas. ISBN 978-0-19-516774-0 
  3. a b Tácito, Anais 2.43
  4. Tácito, Anais 2.4
  5. Pettinger (2012), p. 42.

BibliografiaEditar