Quinto Márcio Crispo

Quinto Márcio Crispo (em latim: Quintus Marcius Crispus) foi um político da gente Márcia da República Romana nomeado cônsul sufecto em 36 a.C. com Lúcio Nônio Asprenas.

Quinto Márcio Crispo
Cônsul da República Romana
Consulado 36 a.C.

CarreiraEditar

Crispo era membro da gente plebeia Márcia e foi provavelmente eleito primeiro para o cargo de edil em 58 a.C..[1] Foi depois nomeado como um dos legados de Lúcio Calpúrnio Pisão Cesonino, servindo na Macedônia entre 57 e 56-5 a.C..[2] Em algum momento entre 54 e 47 a.C., Crispo foi eleito pretor[3] e, apesar de não ter nenhum laço forte com ele, já em 46 a.C., Crispo aparece servindo César na África como um de seus legados.[4] Nesta parte da campanha, Crispo recebeu a responsabilidade de atacar a cidade de Thabena, que ele guarneceu com suas tropas depois depois de conquistá-la.[5]

Em 45 a.C., Crispo foi nomeado governador propretorial da Bitínia e Ponto. No ano seguinte, levou três legiões até a província da Síria para ajudar o governador Lúcio Estaio Marco, aliado de César, que estava lutando contras as forças pompeianas do antigo governador Quinto Cecílio Basso.[6] Os dois conseguiram encurralar Basso em Apameia e foram aclamados imperatores pelos soldados no início do ano seguinte.[7]

Crispo foi substituído, em 43 a.C., como governador da Bitínia e, seu comando sobre as três legiões da Síria foi-lhe retirado por Caio Cássio Longino, um dos assassinos de César o novo governador, em 36 a.C..[8] No mesmo ano, em 1 de julho, substituiu Marco Coceio Nerva.[9]

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Marco Vipsânio Agripa

com Tito Estacílio Tauro (suf.)

Lúcio Gélio Publícola
36 a.C.

com Marco Coceio Nerva
com Lúcio Nônio Asprenas (suf.)
com Quinto Márcio Crispo (suf.)

Sucedido por:
'Lúcio Cornifício

com Sexto Pompeu


Referências

  1. Broughton, pg. 138
  2. Broughton II, pg. 295; Ryan, pg. 191
  3. Ryan, pg. 190
  4. Broughton III, pg. 138; Broughton II, pg. 299; Syme, pg. 64
  5. Holmes, T. Rice, The Roman Republic and the Founder of the Empire, Vol. III (1923), pg. 527
  6. Broughton II, pg. 329
  7. Broughton II, pg. 330
  8. Broughton III, pgs. 137-138
  9. Bodel, John, "Chronology and Succession 1: Fasti Capitolini FR. XXXIID, The Sicilian Fasti, and the Suffect Consuls of 36 BC", Zeitschrift für Papyrologie und Epigraphik, 96 (1993), pp. 259–266

BibliografiaEditar