Abrir menu principal
Qwentin
Qwentin2007.JPG
Da esquerda para a direita: Drepopoulos, Qweon, Gospodar, Bárány, Morloch.
Informação geral
Origem Cartaxo
País Portugal Portugal
Gênero(s) Rock alternativo
Lo-fi
Período em atividade 2003 - actualmente
Gravadora(s) Raging Planet (PT)
Integrantes Bárány Qwentinsson
Gospodar Qwentinsson
Morloch Qwentinsson
Qweon Qwentinsson
Drepoupolos Qwentinsson
Página oficial Site oficial

Qwentin é uma banda de rock portuguesa surgida na cidade de Cartaxo, no ano de 2003, e é composta por: Drepopoulos Qwentinsson (baixo), Gospodar Qwentinsson (guitarra, voz), Morloch Qwentinsson (programações, teclados), Qweon Qwentinsson (guitarra, voz) e Bárány Qwentinsson (bateria). Para além da música, a componente visual tem especial relevância no universo dos Qwentin. Em palco, apresentam-se maquilhados e vestidos de fato e saia, com o negro e a teatralidade como temáticas dominantes.

Índice

HistóriaEditar

Nascidos das cinzas de diferentes projectos de rock and roll, punk, metal, hard rock, psicadélia e outras disciplinas do espectro musical, os Qwentin surgiram, em 2003, com a sua própria versão de “alternativo”, situado entre a ficção científica e a fantasia. Praticam um rock de âmbito global e influências cinematográficas, assente na multiplicidade linguística e na criação de temas que progridem como filmes.

Assumindo-se como uma banda europeia, segundo os próprios afirmaram em entrevista ao jornal “O Mirante”,[1] os Qwentin formaram-se no Cartaxo, em 2003, tendo-se estreado no Festival Tejo – um evento de verão dedicado às bandas portuguesas de todos os quadrantes e degraus da escada da ribalta. Assim, em Julho de 2003, Drepopoulos Qwentinsson (baixo), Gospodar Qwentinsson (guitarra, voz), Morloch Qwentinsson (programações, teclados), Qweon Qwentinsson (guitarra, voz) e Vjlasson Qwentinsson (bateria), apresentam-se ao vivo no palco nº 3 do Festival Tejo, na Praia da Casa Branca (Azambuja).

Em Abril de 2004, e com a mesma formação, ganham o concurso AZB002 (organizado pelo Município da Azambuja) que lhes garante a presença no Palco Novos Talentos da edição desse ano do Festival Tejo, realizada em Valada (Cartaxo) – onde partilham o palco com nomes como Zen, Fonzie, Ramp ou Mão Morta. Com esta actuação vieram as primeiras reacções críticas da imprensa portuguesa: “espanto”, “admiração” e “mistério”, foram algumas das palavras escolhidas para classificar o universo em permanente construção dos Qwentin.

As suas actuações ao vivo têm sido descritas como "desafiantes",[2] e a sonoridade como uma "mutação prog com Zeppelin no horizonte",[3] embora difícil de rotular.[4] "Os Qwentin não fazem nada do que se espera e aí reside o seu mérito."[5]

O ano de 2004 leva ainda o nome Qwentin ao Hard Rock Café Lisboa. No início de 2005 é gravado, nos estúdios Toolateman, o primeiro EP da banda – intitulado “Il Commence Ici”. A produção esteve a cargo de Dominique Borde e Ary (Blasted Mechanism). O espectáculo de apresentação é feito no já extinto bar Touro Louco, no Cartaxo, perante uma acotovelada audiência de uma centena de pessoas. Pouco depois desta actuação, Vjlasson deixa a banda, e entra Qartafla Qwentinsson para o lugar de baterista. Segue-se um período marcado por uma série de actuações ao vivo, com passagem por Almeirim, Azambuja, Entroncamento (com Blind Zero), Esposende, Lisboa (Santiago Alquimista), Nazaré (com Blister), Santarém e Viseu. Entre concertos, os Qwentin fazem uma nova incursão nos estúdios Toolateman. De novo com produção de Dominique Borde e Ary, é criado o EP “Uomo-Tutto”, que, para além de melhorar os temas anteriormente gravados, adiciona duas novas faixas: “Uomo-Tutto” e “Chewbacca’s Blues”.

Chegado o Verão, a promotora Código 365 convida os Qwentin para encerrar o palco Blitz daquela que viria a ser a última edição do Festival Tejo, na Azambuja. Moonspell, Kreator, Transglobal Underground e Asian Dub Foundation são alguns dos nomes mais sonantes do cartaz desse ano. Entretanto, os Qwentin produzem o seu primeiro videoclip, para promoção de “Il Commence Ici”, assinado pelo realizador Ricardo Leal Pereira. Em Outubro, a Antena 3 e o Município do Cartaxo convidam os Qwentin para uma entrevista em directo nas “Manhãs da 3”, com Nuno Markl e Ana Galvão.

Os primeiros meses de 2006 são dedicados à criação de “Homem-Tudo”, um espectáculo pluridisciplinar, que funde vídeo, performance, teatro e música. Estreou a 15 de Abril, no Centro Cultural do Cartaxo, e contou com as participações do actor Tiago Graça Nogueira e do cineasta Ricardo Leal Pereira. Durante os trabalhos de preparação para a estreia, Qartafla abandona a banda, e para o seu lugar entra Bárány Qwentinsson, que se estreia em “Homem-Tudo”. Na sequência do sucesso deste espectáculo, os Qwentin são convidados a regressar ao CCC, em Setembro, para uma apresentação menos teatral, mas ainda assim com uma componente performativa e visual bastante forte – que viria a tornar-se, daí em diante, a forma elementar de Qwentin em palco. O mesmo espectáculo que, semanas depois, apresentam em Portalegre, no âmbito do certame “Games 2006”: um evento que trouxe a Portugal alguns dos maiores nomes da indústria de videojogos e programação multimédia. Chegado o mês de Outubro, a banda decide colocar um hiato nas actuações ao vivo, para se dedicar à gravação do seu álbum de estreia, “Première!” (lançado a 15 de Novembro de 2007), produzido por Daniel Cardoso (Head Control System, Del), nos estúdios Ultra Sound, em Braga. O trabalho conta com doze temas, interpretados em castelhano, inglês, português, francês, italiano, holandês e esperanto.

No dia 15 de Fevereiro de 2008, actuaram no Coliseu dos Recreios (Lisboa), como banda de suporte para os norte-americanos 30 Seconds To Mars, perante cerca de 4.000 pessoas. Foi, até à data, a maior audiência registada pela banda.

DiscografiaEditar

  • Il Commence Ici EP (2004)
  1. "Il Commence Ici
  2. "Jornalisma
  3. "N.F.O. Kronikoj
  • Uomo-Tutto EP (2005)
  1. "Uomo-Tutto"
  2. "Il Commence Ici"
  3. "Jornalisma"
  4. "N.F.O. Kronikoj"
  5. "Chewbacca’s Blues"

FormaçõesEditar

Ano Banda Título
Baixo Guitarra, Voz Guitarra, Voz Samples, Programações Bateria
2003 Drepopoulos Qwentinsson Gospodar Qwentinsson Qweon Qwentinsson Morloch Qwentinsson Vjlasson Qwentinsson Curta-Metragem Demo
2004 Drepopoulos Qwentinsson Gospodar Qwentinsson Qweon Qwentinsson Morloch Qwentinsson Vjlasson Qwentinsson Il Commence Ici EP
2005 Drepopoulos Qwentinsson Gospodar Qwentinsson Qweon Qwentinsson Morloch Qwentinsson Qartafla Qwentinsson Uomo-Tutto EP
2006 Drepopoulos Qwentinsson Gospodar Qwentinsson Qweon Qwentinsson Morloch Qwentinsson Bárány Qwentinsson Première!

Referências

  1. Santiago, Ana (29 de julho de 2004). «Cada Música É Um Pequeno Filme». O Mirante. 26 páginas 
  2. Amaral, Hugo (27 de julho de 2004). «Festival Tejo: Os Últimos Talentos» 
  3. Lopes, Mário (27 de julho de 2004). «Encerramento perfeito assinado pelos Mão Morta». Diário de Notícias. 37 páginas 
  4. «Programa da Manhã, com Nuno Markl e Ana Galvão». 13 de outubro de 2005 
  5. Guerreiro, Rita (27 de julho de 2004). «Festival Tejo» 

Ligações externasEditar