Raimundo Lopes

geógrafo brasileiro

Raimundo Lopes da Cunha (Viana, 28 de setembro de 1894Rio de Janeiro, 08 de setembro de 1941) foi um jornalista e geógrafo maranhense. [1].

Raimundo Lopes
Nome completo Raimundo Lopes da Cunha
Nascimento 28 de setembro de 1894
Viana (MA)
Morte 8 de setembro de 1941 (46 anos)
Rio de Janeiro (RJ)
Nacionalidade brasileiro
Cônjuge Graziella Rabelo da Costa (1930-1941)
Ocupação Jornalista e geógrafo
Magnum opus O Torrão Maranhense (1916)

BiografiaEditar

Filho do Promotor Público Manuel Lopes da Cunha (1855-1924) e de Maria de Jesus Sousa Lopes da Cunha, sendo seus avôs paternos o ex-deputado provincial pelo Maranhão, na legislatura de(1848/1849), José Mariano da Cunha e de Maria Quitéria Magalhães da Cunha[2]. Aos seis anos de idade, Raimundo em companhia da família,muda-se de Viana para residir em São Luís. Já na capital maranhense, foi matriculado na Escola Modelo Benedito Leite, onde estudou até o ano letivo de 1903. Após isso sua família decidiu mudar para o Rio de Janeiro, onde Raimundo permaneceu um período e retornando ao Maranhão onde estudaria no Liceu Maranhense.

Era bacharel em Letras. Assinou colunas em jornais como O Diário do Maranhão e a Pacotilha.

Era também sobrinho de Celso de Magalhães. Foi membro da Academia Maranhense de Letras, tendo fundado a cadeira de nº 21, do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão e da Sociedade de Geografia do Rio de Janeiro. Sob a orientação de Raimundo Lopes, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) fez o primeiro tombamento nacional no Maranhão. Trata-se do sítio arqueológico sambaqui do Pindaí.

Faleceu no Rio de Janeiro, no dia 8 de setembro de 1941.

ObrasEditar

  • O Torrão Maranhense (1916, 1ª ed.; 1960, 2ª ed.; 2017, 3ª ed.)[3]
  • Os Fortes Coloniais de São Luís (1917) [4]
  • O Ciclo da Independência (1923)[4]
  • A Civilização Lacustre do Brasil (1924) [4]
  • Um Aparelho Sintético de Antropologia (1925) [4]
  • Aspectos da Formação Sertaneja (1926) [4]
  • Entre a Amazônia e o Sertão (1931) [4]
  • Os Tupis do Gurupi (1932) [4]
  • O Homem em Face da Natureza (1933) [4]
  • Ouro Preto e a Conjuração Mineira (1934) [4]
  • Pesquisa Etnológica sobre a Pesca Brasileira no Maranhão (1938) [4]
  • Ensaio Etnológico sobre o Povo Brasileiro (s/d) [4]
  • As Regiões Brasileiras (s/d)
  • Uma Região Tropical (s/d)
  • Peito de Moça (romance)
  • Antropogeografia

Referências

  1. «Raimundo Lopes». AVL. Consultado em 24 de setembro de 2018 
  2. «Manuel Lopes da Cunha». AVL. Consultado em 24 de setembro de 2018 
  3. «"O TORRÃO MARANHENSE" EM TERCEIRA EDIÇÃO». AML. 29 de abril de 2017. Consultado em 24 de setembro de 2018 
  4. a b c d e f g h i j k Meireles, Mário M. (1955). Panorama da Literatura Maranhense 1.ª ed. São Luís - Maranhão: Imprensa Oficial. 251 páginas 


Precedido por
Maranhão Sobrinho
(patrono)
  AML - fundador da cadeira 21
1917 — 1941
Sucedido por
Isaac Ferreira