Abrir menu principal
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido de «Platonic realism» na Wikipédia em inglês. Ajude e colabore com a tradução.
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia
Platão
Πλάτων
Busto de Platão
Nascimento 428/27 a.C.
Atenas, Grécia Antiga
Morte 348/347 a.C.
Atenas
Ocupação Filósofo
Escola/tradição Platonismo
Principais interesses Retórica, Arte, Literatura, Epistemologia, Justiça, Virtude, Política, Educação, Militarismo, Filosofia

Realismo platônico é um termo filosófico usado para se referir ao realismo em relação à existência de "universais", conforme o filósofo Platão (427 a.C. - 347 a.C.), discípulo de Sócrates e mestre de Aristóteles. Como os Universais eram considerados por Platão formas ideais, eles também são chamados de idealismo platônico.

Índice

UniversaisEditar

Para o Realismo platônico os Universais não existem da forma como os objetos físicos existem, mas são considerados como possuindo uma forma divina de existência.

Teorias dos universaisEditar

As teoria dos universais, incluindo o realismo platônico, são desafiadas a satisfazer certas limitações [1]

FormasEditar

Um tipo de universal definido por Platão é a forma !Artigos com ligações precisando de desambiguação[desambiguação necessária] ou a ideia.

ParticularidadesEditar

No realismo platônico, formas são relacionadas com particulares (intâncias de objetos e propriedades) de tal modo que um particular é visto como uma cópia da sua forma. Por exemplo, diz-se que uma maçã em particular é uma cópia da "classe maçã" e sua cor vermelha, por exemplo, é uma instância da tonalidade vermelha.

CríticasEditar

Duas críticas ao Realismo platônico se relacionam com a Inerência[2]. Apesar das críticas, no entanto, o Realismo platônico tem veementes defensores. Sua popularidade através dos tempos é cíclica.


Ver tambémEditar

Referências

BibliografiaEditar

  • Sriraman, B. (2004). The influence of Platonism on mathematics research and theological beliefs. Theology and Science, vol. 2, no.1, pp. 131-147
  • [1]

Ligações externasEditar