Referendo da União Soviética de 1991

O Referendo da União Soviética foi uma votação popular histórica acerca do futuro do Estado soviético. A votação foi realizada em nove das quinze repúblicas que faziam parte da união, e em todas elas, o resultado foi categoricamente a favor da preservação do país como uma Federação renovada. As demais nações, Armênia, Estônia, Geórgia, Letônia, Lituânia e Moldávia, não participaram por conta de um boicote por parte das autoridades, mas ainda assim, a participação foi de 80% da população soviética da época. As regiões da Abecásia, Ossétia do Sul, Transnístria e Gagaúzia, driblaram o boicote e fizeram questão de votar. Esse foi o único referendo de toda a história da URSS.[1][2][3][4][5][6]

Referendo na União Soviética, 1991
17 de março de 1991

State Emblem of the Soviet Union.svg
Questão: Você considera indispensável a manutenção da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas como uma Federação renovada de repúblicas iguais e soberanas na qual, sob quaisquer circunstâncias, os direitos e liberdades dos cidadãos de qualquer nacionalidade serão totalmente garantidos?
Resultados
Resposta
Votos %
Sim 113 512 812 77,85%
Não 32 303 977 22,15%
Votos válidos 145 816 789 98,14%
Inválidos ou brancos 2 757 817 1,86%
Votos totais 148 574 606 100.00%
Eleitores registados/afluência 185 647 355 80.03%

Soviet Union referendum, 1991 results.svg
Resultados por república
Referendo realizado a 17 de março de 1991

A questão do referendo era a seguinte:

Você considera indispensável a manutenção da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas como uma Federação renovada de repúblicas iguais e soberanas na qual, sob quaisquer circunstâncias, os direitos e liberdade do cidadão de qualquer nacionalidade serão totalmente garantidos?[7]

As respostas possíveis eram Sim e Não.

O referendo confirmou o desejo popular de manter a União Soviética. Contudo, diante das crises, o presidente soviético, Mikhail Gorbatchov, perdia cada vez mais apoio, enquanto o líder da oposição liberal, Boris Iéltsin, articulava um golpe para derrubar o presidente. Em dezembro de 1991, Iéltsin se reúne com os chefes da oposição das demais repúblicas que compunham a URSS, e assina o Pacto de Belaveja, que garantia a independência às nações integrantes e dava fim ao Estado soviético, contrariando o referendo, o que rendeu diversas críticas a Iéltsin e seus aliados.[8] O referendo, portanto, teve apenas uma função simbólica, e foi utilizado por Gorbatchov, em seu discurso de renúncia, para criticar o modo como foi conduzido o processo de dissolução da União Soviética.[9]

ResultadosEditar

GeralEditar

Votos Número de votos %
A favor (Sim) 113,512,812 77.8%
Contra (Não) 32,303,977 22.2%
Nulos 2,757,817
Total 148,574,606 100%
Eleitorado (% de eleitores) 185,647,355 80%

Fonte: Nohlen & Stöver[10]

Por repúblicaEditar

República Votos a favor Votos contra Votos inválidos Total de votos Eleitorado Participação
Votos % Votos %
República Soviética Azeri 2,709,246 94.12 169,225 5.88 25,326 2,903,797 3,866,659 75.10
República Soviética Bielorrussa 5,069,313 83.72 986,079 16.28 71,591 6,126,983 7,354,796 83.31
República Soviética Cazaque 8,295,519 95.00 436,560 5.00 84,464 8,816,543 9,999,433 88.17
República Soviética Quirguiz 2,057,971 95.98 86,246 4.02 30,377 2,174,593 2,341,646 92.87
Federação Soviética Russa 56,860,783 73.00 21,030,753 27.00 1,809,633 79,701,169 105,643,364 75.44
República Soviética Tadique 2,315,755 96.85 75,300 3.15 16,497 2,407,552 2,549,096 94.45
República Soviética Turcomena 1,766,584 98.26 31,203 1.74 6,531 1,804,310 1,846,310 97.66
República Soviética Ucraniana 22,110,899 71.48 8,820,089 28.52 583,256 31,514,244 37,732,178 83.52
República Soviética Uzbeque 9,196,848 94.73 511,373 5.27 108,112 9,816,333 10,287,938 95.42

Fonte: Direct Democracy


ReferênciasEditar

<references>