Remismundo

Remismundo, filho de Maldras, tornou-se rei dos Suevos em 459 e reinou até à sua morte em 469.[1][2][3] Pouco depois da morte do seu pai foi destronado por Frumário e teve de travar um guerra civil contra este e contra Requimundo que só terminou com as mortes destes últimos em 463.[2][3] O reino suevo foi então reunificado sob um único rei, Remismundo.[2][3]

Casou-se com a filha do rei visigodo Teodorico II. Converteu-se ao Arianismo em 465 e em 467, após o assassinato de Teodorico pelo seu irmão Eurico, mandou saquear Conímbriga. Em 468, ocupou Lisboa, acrescentando a cidade ao seu domínio sobre Coimbra, Egitânia e, por conseguinte, boa parte da Lusitânia. Com a sua morte em 469, inicia-se um período obscuro na história dos Suevos, do qual existem poucos vestígios ou informações.

Referências

  1. Estallo, Ignasi Garces (1999). Historia antigua de Hispania (em espanhol). Barcelona: Edicions Universitat Barcelona. p. 178 
  2. a b c Rovira, José Orlandis (2003). Historia del reino visigodo español (em espanhol). Madrid: Ediciones Rialp. p. 30 
  3. a b c Rubia, Beatriz Moya de la (2006). Vigilantes de Archivos, Bibliotecas Y Museos de la Xunta de Galicia Grupo V. Temario Y Test.e-book. (em espanhol). Sevilha: MAD-Eduforma. p. 136 

Ligações externasEditar

Precedido por
Maldras
Rei dos Suevos
457459
Sucedido por
Frumário
Precedido por
Frumário e Requimundo
Rei dos Suevos
463469
Sucedido por
Veremundo
  Este artigo sobre história ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.