Representação do ACNUR na Índia

A sede da missão do ACNUR na Índia está localizada em Deli, com um escritório de campo em Chennai. O ACNUR também tem serviços de registo em Jammu, além de um centro de determinação de status e registo de refugiados em Hyderabad. O actor John Abraham é uma celebridade apoiante do ACNUR em Índia. O actual chefe de missão é Yasuko Shimizu. O ACNUR ganhou o Prémio Indira Gandhi para a Paz, o Desarmamento e o Desenvolvimento, em 2015.[1][2][3]

História editar

A Índia foi o local para onde se dirigiu o maior afluxo de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, quando cerca de 10 milhões de pessoas cruzaram a fronteira do Paquistão Oriental para a Índia, em 1971. A maioria dos refugiados estava em Bengala Ocidental, Tripura, Meghalaya e Assam. A maioria foi repatriada após a guerra, com o apoio do ACNUR em Daca. O ACNUR foi autorizado a operar na Índia desde 1995, embora a Índia não tenha assinado a Convenção de 1951 sobre o Estatuto dos Refugiados ou o Protocolo de 1967 sobre o Estatuto dos Refugiados.[4][5][6]

Trabalho editar

O ACNUR trabalha com várias Organizações Não-Governamentais, incluindo Bosco, o Centro de Informação Jurídica Sócio Legal (SLIC), a Sociedade Memorial Nacional Gandhi, a Confederação de Agências Voluntárias e a Iniciativa de Desenvolvimento e Justiça (DAJI), ACCESS, e Save the Children (SCF), para prestar apoio aos refugiados e a requerentes de asilo. A maioria dos refugiados do Sri Lanka e do Tibete é directamente assistida pelo Governo da Índia. O ACNUR esforça-se para melhorar as vidas dos refugiados sob seu mandato, a maioria dos quais são refugiados de Myanmar e afegãos.[7][8][9][10]

O projecto "Ilham", um serviço de catering dirigido por mulheres refugiadas afegãs, com a ajuda do ACNUR da Índia e dos seus parceiros ACCESS Development Services, tem recebido críticas favoráveis. O projecto deu um novo raio de esperança para as mulheres, que encontraram um meio confiável de sustentar suas famílias, além de poderem lidar com os problemas físicos e psicológicos da vida de refugiados.[11][12]

Financiamento editar

O ACNUR na Índia tinha um orçamento de 15,1 milhões de dólares para 2016, dos quais apenas 608 500 dólares foram canalizados em Outubro de 2016. A Uniqlo foi o único grande doador para o financiamento.[13]

Referências

  1. «Plight of refugees moves UNHCR ambassador John Abraham - The Hindu». thehindu.com. Consultado em 27 de Novembro de 2016 
  2. «UNHCR unveils new campaign to solicit support for refugees | The Indian Express». indianexpress.com. Consultado em 27 de Novembro de 2016 
  3. «UNHCR to be Awarded 2015 Indira Gandhi Prize for Peace». ndtv.com. Consultado em 27 de Novembro de 2016 
  4. «Is The Government's Aim To Integrate Neighbouring Minority Asylum Seekers Hindu-Centric?». swarajyamag.com. Consultado em 27 de Novembro de 2016 
  5. http://blogs.mcgill.ca/humanrightsinterns/2014/07/28/india-and-its-1971-refugee-problem/
  6. http://www.unhcr.org/3ebf9bab0.pdf
  7. http://www.unhcr.org/50001ec69.pdf
  8. «BOSCO, UNHCR'S initiative helping Afghan students in education | The Indian Express». indianexpress.com. Consultado em 27 de Novembro de 2016 
  9. S.N. «India's only school for Rohingya refugee holds out hope for a better life for stateless community». scroll.in. Consultado em 27 de Novembro de 2016 
  10. «Afghan refugees are cooking up a better future in India | Global Development Professionals Network | The Guardian». theguardian.com. Consultado em 27 de Novembro de 2016 
  11. http://www.hindustantimes.com/more-lifestyle/courage-of-these-afghani-women-will-make-you-salute-them/story-7r2QprxSZfU9Vgaoj1vxZP.html
  12. http://www.cbsnews.com/news/afghan-refugees-build-new-lives-new-delhi-india-with-food/
  13. http://reporting.unhcr.org/sites/default/files/South%20Asia%20Funding%20Update%2025%20October%202016.pdf