Abrir menu principal

Roberto Manuel Coutinho de Oliveira Charters d'Azevedo (Leiria, 17 de abril de 1915Lisboa, 15 de novembro de 2015) foi um engenheiro civil e radioamador português.

Nascido na Villa Portela, diante dos Paços do Concelho da cidade de Leiria — um chalet mandado construir pelo seu avô homónimo (Roberto Charters d'Azevedo) —, Roberto Manuel Charters d'Azevedo frequentou o Liceu Camões e, mais tarde, o Instituto Superior Técnico, onde se licenciou em Engenharia Civil.

Foi um dos projetistas do Estádio Nacional do Jamor, inaugurado em 1944, integrando em seguida a Comissão das Construções Hospitalares (1948-1951). Depois, foi nomeado secretário-geral do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, até 1956. Ingressou em 1957 na Fundação Calouste Gulbenkian, onde foi sucessivamente, diretor de serviços e inspetor-geral.

Também colaborou no Serviço de Obras do Metropolitano de Lisboa, elaborando o projeto do troço do Marquês de Pombal aos Restauradores, hoje Linha Azul, que foi inaugurada em 1963.

É no entanto como radioamador que Roberto Manuel Charters d'Azevedo passa à história, concretamente pelo facto ter sido autor das primeiras emissões de televisão realizadas na Península Ibérica. O feito aconteceu em 1954, quando ainda faltavam três anos para a RTP iniciar o serviço regular de emissões de televisão. As transmissões fizeram-se entre o Alto da Serafina, e a casa do seu amigo Levy de Carvalho, radioamador como ele, na Estrada da Luz, a poucos quilómetros de distância. Roberto Manuel Charters d'Azevedo começou por transmitir imagens fixas, como se fossem diapositivos, através do processo de slow-scan, utilizando aparelhagem construída por si.

Foi assim que ganhou o cognome de «Senhor Televisão»[1].

Foi agraciado com a Oficial da Ordem do Mérito (Classe Industrial)[2].

Referências