Roberto Pompeu de Toledo

jornalista brasileiro

Roberto Pompeu de Toledo (São Paulo, 1944) (78 anos) é um jornalista brasileiro.[1] É filho do falecido Cícero Pompeu de Toledo, ex-presidente do São Paulo.

Roberto Pompeu de Toledo
Nascimento 1944
Cidadania Brasil
Ocupação jornalista
Género literário romance, conto
Magnum opus A Capital da Solidão

Carreira editar

Formado em 1966, trabalhou por pouco tempo na Rádio Bandeirantes e depois na Rádio Eldorado, ambas na cidade de São Paulo. Após trabalhou no Jornal da Tarde e em seguida, foi para a revista Veja.[1]

Depois trabalhou no efêmero Jornal da República e na revista IstoÉ, nesta como redator-chefe. Voltou para a Veja e saiu novamente, para ser o editor-executivo do Jornal do Brasil. Retornou à Veja pela terceira vez, sendo o editor da seção Internacional, editor-executivo e correspondente em Paris.[1]

Em 2007, passou a ser editor especial da Veja. Fez reportagens especiais e manteve uma coluna na revista, publicada na última página, a cada dois números, até 2021, quando deixou a revista[2], sendo substituído por Dora Kramer.

Bibliografia parcial editar

  • À Sombra da Escravidão
  • Surpresa
  • A Capital da Solidão (2003)
  • O Presidente Segundo o Sociólogo
  • Leda (2006)
  • A Capital da vertigem - Uma história de São Paulo de 1900 a 1954 (2015)[1]

Referências

  1. a b c d «Roberto Pompeu de Toledo - Grupo Companhia das Letras». www.companhiadasletras.com.br. Consultado em 28 de fevereiro de 2020 
  2. «Acabou,mas...». veja.com.br. Consultado em 28 de dezembro de 2020 
  Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.