Sérvio Cornélio Lêntulo Maluginense

Sérvio Cornélio Lêntulo Maluginense (em latim: Servius Cornelius Lentulus Maluginensis; m. 23) foi um senador romano da gente Cornélia nomeado cônsul sufecto em 10 com Quinto Júnio Bleso. Conhecido por ter sido o primeiro flâmine dial indicado no período imperial depois de um longo tempo de vacância no cargo.

Sérvio Cornélio Lêntulo Maluginense
Cônsul do Império Romano
Consulado 10 d.C.
Morte 23 d.C.

HistóriaEditar

Depois de um longo tempo vago (entre 87 e 15 a.C. ou entre 82 e 10 a.C., dependendo da fonte), Maluginense foi nomeado flâmine dial pelo imperador Augusto. Segundo Tácito, ele queria ser procônsul da Ásia em 22, mas suas obrigações religiosas aparentemente o impediam de sair de Roma[1]. O assunto foi levado ao imperador Tibério, que decidiu que o flâmine dial não podia sair de Roma e obrigou Maluginense a desistir da candidatura.

A data exata da nomeação é disputada. Dião Cássio afirma que foi por volta de 11 a.C. e muitos autores modernos aceitam esta data sem questionamentos[2]. Porém, Tácito indica que a data teria sido 72 anos depois do suicídio do último flâmine dial, Lúcio Cornélio Mérula, em 87 a.C.[3]. Alguns tradutores modernos (incluindo Rex Warner, mas não Wood) alteram o texto de Tácito para que se conforme ao relato de Dião Cássio e não o contrário, mesmo sendo o primeiro geralmente considerado mais confiável que o segundo. Gaius Stern afirma que Tácito está provavelmente correto, o que significa que Maluginense se tornou flâmine dial entre 16 e 15, durante o longo mandato de Lépido como pontífice máximo, o que o obrigaria a supervisionar Maluginense.

Maluginense morreu logo depois, em 23, e seu filho, de mesmo nome, foi selecionado para assumir sua função.

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Caio Popeu Sabino

com Quinto Sulpício Camerino
com Marco Pápio Mutilo (suf.)
com Quinto Popeu Segundo (suf.)

Públio Cornélio Dolabela
10

com Caio Júnio Silano
com Sérvio Cornélio Lêntulo Maluginense (suf.)
com Quinto Júnio Bleso (suf.)

Sucedido por:
'Mânio Emílio Lépido

com Tito Estacílio Tauro
com Lúcio Cássio Longino (suf.)


Referências

  1. Tácito, Anais 3.58, 71
  2. Dião Cássio, História Romana 54.36
  3. Tácito, Anais 3.58