Abrir menu principal
Samba Esquema Novo
Álbum de estúdio de Jorge Ben Jor
Lançamento 1963 (1963)
Gravação 1963
Gênero(s) Sambalanço, bossa nova, samba jazz
Duração 28:57
Idioma(s) Português
Formato(s) LP, CD (relançamento)[1]
Gravadora(s) Philips Records, Universal (relançamento)[1]
Polysom[2] (relançamento em LP)
Produção Armando Pittigliani
Cronologia de Jorge Ben Jor
Sacundin Ben Samba
(1964)

Samba Esquema Novo é o álbum de estreia do cantor, violonista e compositor brasileiro Jorge Ben Jor. Foi lançado em LP em 1963, contando com o grupo de samba jazz Meirelles e os Copa 5 como banda de apoio.[3]

Em 1994, a banda Mundo Livre S/A fez uma referência ao título do álbum no seu primeiro disco Samba Esquema Noise.

FaixasEditar

Todas as canções escritas por Jorge Ben Jor, exceto onde indicado.

Lado A
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Mas que Nada"    3:01
2. "Tim, Dom, Dom"  João Mello, Codó 2:21
3. "Balança Pema"    1:29
4. "Vem, Morena, Vem"    1:59
5. "Chove Chuva"    3:02
6. "É Só Sambar"    2:06
Lado B
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Rosa, Menina Rosa"    2:15
2. "Quero Esquecer Você"    2:22
3. "Uala Uala-la"    2:09
4. "A Tamba"    3:04
5. "Menina Bonita Não Chora"    2:11
6. "Por Causa de Você Menina"    2:58

Recepção da críticaEditar

Críticas profissionais
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic       link

Esse álbum está na lista dos 100 melhores discos da música brasileira na 15º posição.[4] Na época do lançamento, a crítica do jornal O Estado de S. Paulo acreditou que o disco desapareceria rápido das lojas, tal como os 78 rotações lançados anteriormente por ele.[5]

Músicos participantesEditar

Ficha dada pelo allmusic[6]

Ficha técnicaEditar

Ficha dada pela página oficial do artista[7] e pelo allmusic:[6]

  • Produção: Armando Pittigliani
  • Técnico de som: Célio Martins
  • Engenharia de som: Sylvio Rabello
  • Capa: Paulo Breves
  • Foto: Mafra
  • Arranjos: Carlos Monteiro de Souza, Gaya, J. T. Meirelles, Luís Carlos Vinhas e Jorge Ben Jor
  • Condução: Carlos Monteiro de Souza e Gaya

Remasterização:[6]

  • Coordenação, supervisão e conceito: Charles Gavin
  • Supervisão: Maria Cecilia "Xixa" Nunes
  • Coordenador gráfico: Geraldo Alves Pinto
  • Design gráfico: Val Ayres
  • Edição digital: Guilherme Calicchio
  • Remasterização: Ricardo Garcia
  • Assistente de estúdio: Ségio Chataigner

Referências

  1. a b PRETO, Marcus. "Caixa revê período mais criativo de Jorge Ben". Caderno Ilustrada, 10 de janeiro de 2010. Página visitada em 17 de agosto de 2012.
  2. Clicrbs. «Polysom relança dois álbuns de Jorge Ben». Consultado em 11 de março de 2014 
  3. Tárik de Souza. Editora 34, ed. Tem mais samba: das raízes à eletrônica. 2003. [S.l.: s.n.] 16 páginas. ISBN 9788573262872 
  4. Spessoto, Toninho (Outubro de 2007). «Os 100 Maiores Discos da Música Brasileira - Samba Esquema Novo - Jorge Ben (1963, Philips)». Rolling Stone Brasil. Spring. Consultado em 28 de janeiro de 2016. Arquivado do original em 22 de janeiro de 2016 
  5. Leite, Edmundo (31 de agosto de 2012). «Alguns discos clássicos já nascem grandes». Acervo Estadão. Grupo Estado. Consultado em 28 de janeiro de 2016 
  6. a b c "Samba Esquema Novo - Jorge Ben". Página visitada em 17 de agosto de 2012.
  7. "Jorge Ben Jor - Samba esquema novo"[ligação inativa]. Página visitada em 17 de agosto de 2012.

BibliografiaEditar