Abrir menu principal
Satena
IATA 9F
ICAO NSE
Indicativo de chamada Satena
Fundada em 12 de abril de 1962 (57 anos)
Principais centros
de operações
Outros centros
de operações
Destinos 34
Companhia
administradora
Força Aérea Colombiana

A SATENA (acrónimo de: Serviço Aéreo a Territórios Nacionais) é uma companhia aérea comercial de passageiros, propriedade do Estado Colombiano, fundada a 12 de Abril de 1962. Está sediada em Fontibón, Bogotá.[1][2] Cobre rotas nacionais e regionais a partir do Aeroporto Internacional El Dorado em Bogotá; do Aeroporto Olaya Herrera de Medellín; e do Aeroporto Internacional Alfonso Bonilla Aragón de Palmira (que serve a Santiago de Cáli).[3]

Em finais de 2007, a SATENA tornou-se na terceira companhia aérea da Colômbia, transportando mais de um milhão (1.000.000) de passageiros num ano.[4]

HistóriaEditar

A SATENA nasceu com a assinatura do decreto 940 de 12 de Abril de 1962, aprovado por Alberto Lleras Camargo, então Presidente de Colômbia. Desde então, a empresa é controlada pela Força Aérea Colombiana. Iniciou operações com uma frota composta por um Douglas C-54 Skymaster, dois Douglas C-47 Skytrain, dois Beaver L-20 e dois PBY Catalina anfibios nas rotas: Bogotá - Leticia, Leticia - Tarapacá - El Encanto - Porto Leguízamo. Em 1964 chegaram mais três C-47 e dois C-54, doados pela United States Agency for International Development. A SATENA passava assim a ter um total de 12 aeronaves.[5]

Quatro anos mais tarde, Carlos Lleras Restrepo aprovou a lei 80 de 12 de Dezembro de 1968, na qual se decretou que a companhia aérea funcionaria como estabelecimento público, com um próprio património e que estaria unida ao Ministério da Defesa. Em 1972 fez-se a transição de aviões a pistão para aeronaves a turboélice adquirindo assim quatro Avro 748 com capacidade para 48 passageiros. Entre 1984 e 1985 juntaram-se à frota dois Fokker F28, cada um podendo transportar até 65 pessoas. Depois do terramoto de 6 de Junho de 1994 e com aviões CASA C-212 Aviocar, a SATENA colaborou nas buscas, resgate e transporte de pessoas dos departamentos de Cauca e Huila.[5]

Com a chegada de seis Dornier 328 em 1996, a frota aérea regional da companhia começou a ser renovada, bem como a sua imagem corporativa.[6] Cinco anos mais tarde, em 2001, a SATENA registou 6,5% de participação no mercado aéreo nacional de Colômbia.[5] No período entre 2002 e 2005, a frota expandiu-se com cinco Embraer ERJ-145ER com capacidade para 50 passageiros. Em finais de 2006, foram adquiridos dois Embraer ERJ-170LR.[7][8]

No final do ano 2010, a SATENA sofreu de problemas financeiros, na forma de dívidas bancárias de biliões de pesos (120 biliões, concretamente) e prejuízos de 25 biliões de pesos. Desta forma, o Governo nacional propôs uma lei para a companhia aérea poder sair da crise e ser competitiva no mercado de transporte aéreo nacional. O objectivo passava pela recapitalização da SATENA em 98 biliões de pesos, com a venda proposta de 49 por cento das acções. O processo, democrático, deveria estender-se por dois anos. O Estado continuaria como accionista maioritário (51 por cento das acções).[9]

FrotaEditar

Actualmente, a SATENA possui 20 aeronaves. Os últimos aviões a entrar, a 11 de Dezembro de 2010, foram dois ATR 42-500, significando o fim das operações de três Embraer ERJ-145EP, dando-se início a uma renovação de frota.[10][11] Em 2015, a sua frota encontra-se distribuída da seguinte maneira:[10]

 
ERJ 170
 
Embraer ERJ-170LR no aeroporto La Flórida de Tumaco.
Avião Total Encomendados (Armazenados)


Passageiros(Classe económica)
ATR 42-500
9
-
48
ATR 72-500
1
-

(1)

70
Embraer ERJ 145
2
-
50
Embraer ERJ-170-100SL
1
-
76
Total 13 ' Última actualização: 14 de Setembro de 2015

DestinosEditar

A companhia aérea cobre 33 destinos em 19 departamentos (em Abril de 2017).[3]

Cidade Cód.
IATA
Cód.
ICAO
Aeroporto
Destinos na   Colômbia (33 destinos)
Apartadó APO SKLC Aeroporto Antonio Roldán Betancourt
Arauca AUC SKUC Aeroporto Santiago Pérez
Araracuara ACR SKAC Aeroporto de de Araracuara
Bahía Solano BSC SKBS Aeroporto José Celestino Mutis
Bogotá BOG SKBO Aeroporto Internacional El Dorado HUB
Buenaventura BUN SKBU Aeroporto Gerardo Tobar López
Cáli CLO SKCL Aeroporto Internacional Alfonso Bonilla Aragón
Condoto COG SKCD Aeroporto Mandinga
Corozal CZU SKCZ Aeroporto Las Brujas
Florencia FLA SKFL Aeroporto Gustavo Artunduaga
Guapí GPI SKGP Aeroporto Juan Casiano
Ipiales IPI SKIP Aeroporto San Luis
La Chorrera LCR --- Aeroporto de La Chorrera
La Macarena LMC SKNA Aeroporto de La Macarena
La Pedrera LPD --- Aeroporto de La Pedrera
Letícia LET SKLT Aeroporto Internacional Alfredo Vásquez Cobo
Medellín EOH SKMD Aeroporto Olaya Herrera
Mitú MVP SKMU Aeroporto Fabio Alberto León Bentley
Pasto PSO SKPS Aeroporto Antonio Nariño
Pitalito PTX SKPI Aeroporto Contador
Ilha de Providencia PVA SKPV Aeroporto El Embrujo
Puerto Asís PUU SKAS Aeroporto Tres de Mayo
Puerto Carreño PCR SKPC Aeroporto Germán Olano
Puerto Inírida PDA SKPD Aeroporto César Gaviria Trujillo
Puerto Leguízamo LQM SKLG Aeroporto Caucaya
Quibdó UIB SKUI Aeroporto El Caraño
Ilha de San Andrés ADZ SKSP Aeroporto Internacional Gustavo Rojas Pinilla
San José del Guaviare SJE SKSJ Aeroporto Jorge Enrique González
San Vicente de Caguán SVI SKSV Aeroporto Eduardo Falla Solano
Saravena RVE SKSA Aeroporto Ipiranga
Tame TME SKTM Aeroporto Los Colonizadores
Tolú TLU SKTL Aeroporto Golfo de Morrosquillo
Villavicencio VVC SKVV Aeroporto Vanguardia
Última actualização:
Abril 06 de 2017
Total destinos: 33 domésticos

Acidentes e incidentesEditar

  • Em 1979, um Hawker Siddeley HS 748 de matrícula FAC-1101 caiu depois do mecânico Armando Nieto Jaramillo se ter apoderado deste num hangar do aeroporto El Dorado, devido a um descuido dos seguranças. Nieto despenhou o avião no bairro Marco Fidel Suárez, provocando a morte de duas pessoas, além do próprio Nieto. Houve intencionalidade no acidente, com propósito de suicídio, e Nieto estaria a tentar despenhar o avião contra a casa dos seus pais, nas imediações do local da queda.[12]
  • Em 1985, um Fokker F-28 de matrícula FAC 1140 teve um acidente junto da cidade de Florencia (Caquetá) durante a aproximação ao aeroporto Gustavo Artunduaga Paredes. Concluiu-se que por trás do acidente esteve um descuido da tripulação na tentativa de aterrar de forma forçada em condições adversas. Os 46 passageiros e a tripulação a bordo perderam as vidas, enquanto a aeronave ficou toda destruída.[13][14]
  • No dia 18 de Novembro de 1990, um avião CASA C212 que seguia entre Quibdó e Bogotá despenhou-se, matando os 16 ocupantes.[15]
  • A 30 de Janeiro de 2001, um Dornier 328 de matrícula FAC 1165, sofreu um sequestro de um desertor das FARC ao preparar-se para descolar do Aeroporto Eduardo Solano. Com 21 passageiros e seis tripulantes a bordo, o avião iria fazer a rota San Vicente do Caguán - Neiva - Bogotá. O sequestrador mandou o capitão descolar e pedir autorização para aterrar na Base Militar de CATAM. O sequestrador pedia, após quatro horas em terra, para ser levado para a Costa Rica ou para ser atendido pela Cruz Vermelha Internacional. Acabou por ser imobilizado e desarmado, com todos os restantes ocupantes do avião a saírem ilesos.[16][17]
  • A 8 de Maio de 2003, um CASA da SATENA foi atingido por 5 balas na fuselagem, quando ia aterrar no Aeroporto de Macarena. Proveniente de Villavicencio, o avião tinha a bordo 15 passageiros e quatro tripulantes. Apesar do incidente, conseguiu aterrar sem ferir os seus ocupantes.[18]
  • No dia 5 de Maio de 2010, um Embraer-145 da companhia, que ligava Bogotá a Mitu, saiu da pista na aterragem devido às condições meteorológicas adversas (pista molhada). Os 37 passageiros saíram ilesos, ao passo que na tripulação apenas o capitão sofreu ferimentos ligeiros. Os danos estruturais significaram a perda total da aeronave.[19][20]

ReconhecimentosEditar

  • Troféu Internacional à Qualidade Clube de Líderes do Comércio entregado em outubro de 1991.[21]
  • Condecoración "Ordem Nacional ao Mérito" no grau de Cruz de Prata outorgada o 25 de julho de 1987.[5]
  • Condecoración Serviços Distintos "Grande Medalha" conferida pelo Departamento Administrativo de Segurança a SATENA o 30 de outubro de 1997.[5]
  • Condecoración "Grande Medalha" da Ordem Flor do Guaviare outorgada o 19 de março de 2001.[5]

Códigos CompartilhadosEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. «SATENA no Aviacol.net» (em espanhol). Aviacol.net. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 14 de Setembro de 2015 
  2. «SATENA - Dependencias». SATENA. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 14 de Setembro de 2015 
  3. a b «SATENA - Rutas» (em espanhol). SATENA. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 28 de Abril de 2015 
  4. Jacqueline Guevara G. (Abril de 2008). «Competencia aérea alza vuelo». Poder 360º. Arquivado do original em 11 de Abril de 2013 
  5. a b c d e f Fuerza Aérea Colombiana (2002). «SATENA: "40 años integrando a Colombia"». Revista Aeronáutica. I (230). p. 9 - 14 
  6. «Dornier 328, con la última tecnología» (em espanhol). El Tiempo. 11 de Dezembro de 1996. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de Abril de 2013 
  7. «SATENA amplía su flota». El Tiempo. 17 de Setembro de 2003. Cópia arquivada em 9 de Abril de 2013 
  8. «Satena refuerza su flota de aviones con Embraer» (em espanhol). El Tiempo. 7 de Dezembro de 2006. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de Abril de 2013 
  9. Sérgio Ocampo Rivera (12 de Dezembro de 2010). «www.eltiempo.com/colombia/medellin/ARTICULO-WEB-NEW_NOTA_INTERIOR-8579740.html» (em espanhol). Arquivado do original em 9 de Abril de 2013 
  10. a b «SATENA no Air Fleets» (em espanhol). Air Fleets. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 14 de Setembro de 2015 
  11. «Satena traerá seis aviones» (em espanhol). El Tiempo. 27 de Março de 2008. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de Abril de 2013 
  12. «La historia de un piloto suicida en Colombia» (em espanhol). El Espectador. 26 de Março de 2015. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 14 de Setembro de 2015 
  13. «Corte Suprema de Justicia - Sala de Casación Civil» (PDF) (em espanhol). Corte Suprema de Justicia. 14 de Maio de 2013. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  14. «FAC-1140 no Aviation Safety Network» (em inglês). Aviation Safety Network. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 14 de Setembro de 2015 
  15. Jorge Ivan Garcia (20 de Novembro de 1990). «El avión de SATENA estrelló el domingo en la ruta Quibdó-Bogotá 16 muertos en accidente aéreo» (em espanhol). El Tiempo. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 10 de Abril de 2013 
  16. «Seis horas a bordo del 1165» (em espanhol). El Tiempo. 1 de Fevereiro de 2001. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 14 de Setembro de 2015 
  17. «El aeropirata ha sido desarmado» (em espanhol). El Tiempo. 31 de Janeiro de 2001. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de Abril de 2013 
  18. «Baleado avión de SATENA» (em espanhol). El Tiempo. 10 de Maio de 2003. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de Abril de 2013 
  19. Javier Franco Topper (5 de Maio de 2010). «Aeronaves de Avianca y Satena sufrieron percances en Bogotá y Mitú respectivamente» (em inglês). Aviacol.net. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 14 de Setembro de 2015 
  20. Simon Hradecky (5 de Maio de 2010). «Accident: Satena E145 at Mitu on May 5th 2010, overran runway» (em inglês). The Aviation Herald. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 14 de Setembro de 2015 
  21. «Premio a Satena» (em espanhol). El Tiempo. 30 de Outubro de 1991. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 9 de Abril de 2013 
  22. «CONVIASA afianza acuerdos bilaterales de transporte aéreo con Colombia» (em espanhol). Conviasa. Arquivado do original em 15 de Dezembro de 2012 
  23. «SATENA - Perfil no Centre for Aviation». Centre for Aviation. Consultado em 14 de Setembro de 2015. Cópia arquivada em 14 de Setembro de 2015