Saubara é um município brasileiro do estado da Bahia localizado na região do Recôncavo da Bahia, a 94 km de Salvador, próxima a foz do Rio Paraguaçu, na Baía de Todos os Santos. Sua região apresenta uma paisagem diversa, composta por praias, falésias, áreas de manguezais e de Mata Atlântica com rios e cascatas.

Saubara
  Município do Brasil  
Hino
Gentílico saubarense
Localização
Localização de Saubara na Bahia
Localização de Saubara na Bahia
Mapa de Saubara
Coordenadas 12° 44' 16" S 38° 46' 08" O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Municípios limítrofes Salvador, Madre de Deus e São Francisco do Conde E, Santo Amaro N, Cachoeira W, Maragogipe e Salinas da Margarida S
Distância até a capital 96 km
História
Fundação 1989
Aniversário 13 de junho de 1989 (31 anos)
Administração
Prefeito(a) Márcia Mendes Oliveira de Araújo (Avante, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 163,495 km²
População total (IBGE/2019[2]) 12 043 hab.
Densidade 73,7 hab./km²
Clima tropical
Altitude 44 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,617 médio
PIB (IBGE/2017[4]) R$ 126 888 mil
PIB per capita (IBGE/2017[4]) R$ 10 249,45
Sítio saubara.ba.gov.br (Prefeitura)

HistóriaEditar

Saubara foi elevada a categoria de município com esta denominação pela Lei estadual de número 5.009. A então freguesia de São Domingos de Saubara primeiras aglomerações urbanas que deram origem ao município de Santo Amaro. Seu desmembramento ocorreu no ano de 1989, quando foi emancipada e abrigou outros distritos da sua região. A cidade é composta por vilarejos, que abrigam um grande número de pessoas e muda toda sua rotina na época do verão por causa das praias de Cabuçu; Bom Jesus do Pobres e Araripe. É originada dos índios, teve como nome "Sauvara" que vem da palavra "saúva", formigas predominantes na cidade, enquanto habitada por índios, mas por ser colonizada por espanhóis teve a variação para Saubara, nome atual.

Origem do municípioEditar

O município teve sua constituição como povoado a partir da construção de uma igreja dedicada a São Domingos de Gusmão da Saubara, construída pelos moradores da Ponta de Saubara – região a beira-mar fundada pelo fidalgo português Braz Fragoso em 1685 – para que os protegessem em alto mar.

A igreja é constituída de pedras e óleo de baleia, trazidos por jesuítas espanhóis da Ilha de Itaparica, junto com a imagem do santo. Ela serviu de quartel general nas lutas pela Independência da Bahia, onde do seu alto podia-se avistar os portugueses vindos do mar para o ataque.

Manifestações CulturaisEditar

 
Filarmônica de Saubara

MarujadaEditar

Grupos formados só por homens ou só por mulheres, a marujada é a encenação de histórias das navegações européias, com relatos e dramas vividos por marinheiros na época das expansões coloniais.

Em Saubara existem atualmente três grupos de Marujada, a Chegança dos Marujos Fragata Brasileira, Chegança de Mouros Barca Nova e Chegança Feminina de Mouros Barca Nova, que recitam e cantam fragmentos e textos das histórias de navegação, turca, portuguesa e brasileira, e encenam e dançam caracterizados de marinheiros, relatos das expedições e conflitos no mar. Os grupos costumam se apresentar em festejos religiosos da cidade e encontros de cheganças nacionais.[5]

Caretas do MingauEditar

 
Caretas do Mingau em desfile 2 de Julho.

Formado por mulheres, o grupo folclórico "Caretas do Mingau" da cidade de Saubara, teve um importante papel na época em que os portugueses desejavam fazer da Bahia mais uma colônia de Portugal, em meados de 1820. O objetivo do grupo durante a tentativa de ocupação do ainda vilarejo era despistar o inimigo e conseguir levar armas e alimento aos seus maridos e filhos que tentavam defender Saubara das investidas dos portugueses. Com panelas de mingau na cabeça, corpo e rostos cobertos de mantos brancos e dando gritos perturbadores, as mulheres saubarenses saiam pelas ruas a noite assombrando os lusitanos e conseguiam chegar até seus soldados para alimentá-los com mingau e entregar as armas e remédios.

Nos dias atuais os descendentes dessas mulheres mantém essa tradição e costumam se apresentar no desfile de 2 julho, em homenagem a força daquelas mulheres, que como Maria Filipa e Joana Angélica lutaram pela independência da Bahia.[6]

Terno da BailarinaEditar

Anunciando o nascimento de Jesus e fazendo referência a história bíblica dos três reis magos, Gaspar, Melchior e Baltazar, que levaram ouro, mirra e incenso de presente ao menino Jesus, em Belém, o cortejo do Terno da Bailarina de Saubara sai pelas ruas da cidade em 6 de janeiro festejando e entoando louvores com alegorias folclóricas, com figurinos coloridos e muitos acessórios encenando essa passagem bíblica. O Terno da Bailarina é composto por homens e mulheres e já tem mais de 100 anos de história, mantendo viva a tradição e a fé do povo, no típico Dia de Reis. [7]

EventosEditar

  • 13 de junho: feriado municipal - Aniversário da Cidade
  • 2 de julho: Independência da Bahia
  • Agosto: Festa de São Domingo Gusmão (móvel)

GeografiaEditar

Localizado a 94 km de Salvador por via rodoviária e a menos de 20 km por via náutica, Saubara situa-se no interior da Baía de Todos os Santos e próxima a foz do rio Paraguaçu. Sua região apresenta uma paisagem diversa, composta por praias, falésias, áreas de manguezais e de Mata Atlântica com rios e cascatas.

Sua população estimada em 2013 era de 12.078 habitantes.

Localiza-se no Recôncavo Baiano, entre os municípios de Salvador, Madre de Deus, Salinas da Margarida, Maragogipe, Santo Amaro da Purificação, Cachoeira e São Francisco do Conde.

PraiasEditar

 
Praia do Porto
 
Praia do Sol

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  2. «estimativa_dou_2019.xls». ibge.gov.br. Consultado em 27 de dezembro de 2019 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 7 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010 à 2017». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 27 de dezembro de 2019 
  5. Site da Associação Chegança dos Marujos Fragata Brasileira de Saubara, na Bahia.
  6. Reportagem sobre as Caretas do Mingau na festa de independência do Brasil na Bahia.
  7. Mota, Alexandro (6 de janeiro de 2017). «Desfile dos Ternos de Reis na Lapinha marca despedida do Natal; veja fotos». Jornal CORREIO | Notícias e opiniões que a Bahia quer saber. Consultado em 28 de outubro de 2019 
  8. http://ecoviagem.uol.com.br/brasil/bahia/saubara/

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Saubara
  Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.