Serviço Social do Comércio

O Serviço Social do Comércio (SESC) é uma instituição brasileira privada, mantida pelos empresários do comércio de bens, serviços e turismo, com atuação em todo âmbito nacional, voltada prioritariamente para o bem-estar social dos seus empregados e familiares, porém aberto à comunidade em geral. Atua nas áreas da Educação, Saúde, Lazer, Cultura e Assistência.

Praça dentro do Sesc Caldas Novas.
Inscrição na entrada do Sesc Araxá.

Foi criado em 1946, no dia 13 de setembro, pelo Decreto-Lei n° 9.853, em que o Presidente Eurico Gaspar Dutra autoriza a Confederação Nacional do Comércio a criar o Serviço Social do Comércio - SESC.[1]

A sede do Departamento Nacional do Sesc está localizada na cidade do Rio de Janeiro, em Jacarepaguá.

Área de atuaçãoEditar

A ação programática do Sesc concentra-se em cinco campos de atuação: educação, saúde, cultura, lazer e assistência, com oferta de serviços de educação, alimentação, odontologia, educação em saúde, assistência médica, biblioteca, apresentações e desenvolvimento artísticos e culturais, esportes, recreações, turismo social, trabalho com grupos, ações comunitárias e financiamento de serviços.

HistóriaEditar

 
Piscina do Balneário do Sesc Manaus-AM.

Criado através do Decreto-Lei n° 9.853 de 13 de setembro de 1946, como pessoa jurídica de direito privado, tem por obrigação fazer com que se atinja o bem estar da família comerciária. É subordinado à Confederação Nacional do Comércio.

A década de 1940 significou para o Brasil um período de adaptação às mudanças no cenário interno e externo: o fim da Segunda Guerra Mundial, o fim do Estado Novo de Getúlio Vargas, a posse de Eurico Gaspar Dutra na presidência da República e o crescimento da industrialização anunciaram que os ares de maior liberdade e democracia no Brasil legitimavam tanto a representatividade da classe empresarial, quanto à da classe trabalhadora.

Foi nesse cenário que se evidenciou a necessidade de um plano de ação social que, do ponto de vista dos empresários, diminuísse ou neutralizasse uma possível onda de greves e reivindicações em todo o país.

Para tanto, ainda em 1945, as lideranças empresariais do comércio, indústria e agricultura, reuniram-se na cidade de Teresópolis (RJ) para a Primeira Conferência das Classes Produtoras – I Conclap. Nessa reunião, aprovou-se a Carta da Paz Social, documento que deu forma à filosofia e ao conceito de serviço social custeado pelo empresariado. Os empresários submeteram o conteúdo da carta ao Governo Federal e, como resultado, em 13 de setembro de 1946 o Presidente Eurico Gaspar Dutra assinou o Decreto-Lei n° 9.853 que autorizou a Confederação Nacional do Comércio (CNC) a criar o Serviço Social do Comércio – Sesc, sendo a primeira unidade localizada no bairro do Engenho de Dentro, subúrbio do Rio de Janeiro.

 
Carta da Paz Social, documento que norteia os trabalhos do Sesc e Senac.

Na reunião inaugural do Conselho Nacional da entidade – e contando com representantes de quase todas as unidades da Federação –, tomou posse a primeira diretoria, tendo como presidente João Daudt d’Oliveira. Alguns dos representantes presentes foram: Jorge Amaral e Milton Freitas de Sousa (do Rio de Janeiro, então capital do país), Caetano de Vasconcelos, Luís Carlos Portilho e Jurema Machado da Cruz (Minas Gerais), Rubens Soares (Rio Grande do Sul) e Brasílio Machado Neto (São Paulo). Na mesma solenidade empossou-se Astério Dardeau Vieira como diretor-geral do Departamento Nacional.

 
Sesc no Engenho de Dentro atualmente. A unidade foi a primeira da história da entidade.

O Sesc iniciou suas atividades em 1947, procedendo ao estudo das características demográficas, sociais e econômicas da população comerciária brasileira. Esse levantamento levou à conclusão de que a ação prioritária deveria ser a de assistência médica, traduzida na implantação urgente de serviços de saúde. Em 1951, decorridos cinco anos de atuação da entidade, realizou-se em Bertioga (SP) a primeira convenção nacional de técnicos da instituição. Avaliaram-se os trabalhos empreendidos, bem como a evolução da assistência social no país.

Com o desenvolvimento dos serviços médicos oficiais, desdobraram-se as atividades na área de serviço social e reduziu-se a atuação na área de saúde. Decidiu-se também dar preferência à criação e desenvolvimento de obras recreativas, associativas e culturais de longo prazo. Atendendo aos imperativos de ordem técnica, o Conselho Nacional unificou os serviços administrativos do Sesc, do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e da CNC. Essa unificação efetivou-se em 18 de março de 1953. Em fevereiro de 1956 realizou-se, em Belo Horizonte, a segunda convenção nacional do Sesc, na qual se ratificou a orientação emanada da primeira convenção. No final de maio de 1961 realizou-se, em Macaé (RJ), a terceira convenção da entidade.


A história cronológica do Sesc:

  • 1946: Criado no dia 13 de setembro, pelo Decreto-Lei n° 9.853
  • 1946, Inaugurada no dia 3 de Outubro a primeira unidade do Sesc no bairro de Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro, destinado a assistência à maternidade, infância e combate à tuberculose
  • 1947: Inauguração da unidade especial de odontologia, na Rua Florêncio de Abreu, em São Paulo, e início das atividades da instituição.
  • 1967: Inauguração do primeiro bloco do Sesc Consolação, que é o pioneiro dos Centros de Cultura e Lazer; o segundo e o terceiro blocos foram inaugurados em 28 de abril de 1970. A partir de 1982, a unidade passou a sediar o CPT ou (Centro de Pesquisa Teatral), ligado às propostas estéticas de Antunes Filho
  • 1975: Inauguração do Sesc Interlagos, em São Paulo-SP - (em 30 de outubro de 1975)
  • Nos vários anos seguintes (entre 1970 e 1980), foram inauguradas várias unidades pelo interior paulista, tais como; Campinas, Piracicaba e São Carlos, Ribeirão Preto entre outras;
  • 1982: Inauguração do Sesc Pompeia, São Paulo-SP - (em 20 de janeiro de 1982), com projeto de Lina Bo Bardi se tornaria um marco na arquitetura da cidade
  • 1983 a 2003: Inauguração das várias unidades do interior paulista, já dentro dos propósitos de Centro de Cultura e Lazer
  • 1996: Inauguração do Sesc São Carlos, em São Carlos-SP - (em junho de 1996)
  • 2004: Inauguração do Sesc Pinheiros, em São Paulo-SP - (em 18 de setembro de 2004), junto com inauguração das transformações no entorno do largo da Batata
  • 2005: Inauguração do Sesc Santana, São Paulo-SP - (em 22 de outubro de 2005)
  • 2010: Inauguração do Sesc Belenzinho, em São Paulo-SP - (em 4 de dezembro de 2010)
  • 2011: Inauguração do Sesc Palladium, em Belo Horizonte-MG - (em 3 de agosto de 2011)
  • 2011: Inauguração do Sesc Bom Retiro, em São Paulo-SP - (em 27 de agosto de 2011)
  • 2012: Inauguração do Sesc Sorocaba em Sorocaba-SP (em 1 de setembro de 2012)
  • 2015: Inauguração do Sesc Jundiai, em Jundiai-SP (em 18 de abril de 2015)
  • 2017: Inauguração do Sesc 24 de Maio, em São Paulo-SP (em 17 de agosto de 2017)
  • 2017: Inauguração do Sesc Birigui, em Birigui-SP (em 17 de novembro de 2017)
  • 2018: Inauguração do Sesc Avenida Paulista, em São Paulo-SP (em 29 de abril de 2018)
  • 2019: Inauguração do Sesc Guarulhos, em São Paulo-SP (em 11 de maio de 2019)

Turismo Social do SescEditar

O Sesc oferece pacotes de passeios e viagens a preços acessíveis e baratos a toda população. Do turismo ecológico ao turismo cultural, da paisagem rural à praia, há muitas opções a serem exploradas, e todas elas apresentam aspectos de tradições e cultura únicos. Os diferenciais do Turismo no Sesc estão na vertente educativa das ações, na qualidade dos serviços e na preocupação com a integração e inclusão social. Dessa forma, a instituição contribui para a experiência das pessoas, gera benefícios às populações locais e valoriza a cultura e o meio ambiente. O conceito de turismo responsável, presente nas ações do Sesc, engloba o desenvolvimento sustentável e a solidariedade, tanto para aqueles que passeiam e viajam como para quem os recebe nos destinos. Saiba como viajar pelo Sesc por meio de informações no site da instituição clicando aqui.

Departamento Nacional do SescEditar

 
Departamento Nacional do Sesc, localizado no bairro de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro.

O Departamento Nacional (DN) é o órgão executivo da Administração Nacional do Sesc. Ele elabora, coordena e monitora os projetos desenvolvidos nas unidades do Sesc, em suas diversas áreas de atuação. Como forma de alinhar estratégias nacionais e regionais, o DN realiza treinamentos e promove cursos de capacitação para profissionais da instituição em todo o país. Cabe ainda a esse órgão prestar assistência técnica sistemática aos Departamentos Regionais, de modo a garantir a eficiência e a uniformidade de ações.

O DN é composto pela Sede, localizada na cidade do Rio de Janeiro, e por três Polos de Referência: o Polo Educacional Sesc, o Polo Sociocultural Sesc Paraty e o Polo Socioambiental Sesc Pantanal. Os Polos de Referência são espaços de pesquisas, experimentação, intercâmbio de saberes e inovação: esse é o conceito dos Polos de Referência do Sesc, que desenvolvem ações nas áreas de educação, cultura, sustentabilidade, meio ambiente, assistência social, entre outras. Além das atividades, serviços e programações oferecidos ao público em cada localidade, o trabalho dos Polos serve como modelo para a atuação do Sesc em todo o país.

Polo Educacional SescEditar

Com sede no Rio de Janeiro, este Polo promove educação de qualidade, e atua em segmentos como Ensino Médio e formação de professores. Tem entre suas unidades a Escola Sesc de Ensino Média, referência em ensino gratuito e de excelência. Promove, também, em experiências inovadoras no cenário educacional do país, tendo como base a diversidade cultural brasileira, a educação integral em perspectiva humanística e a responsabilidade social.

Polo Sociocultural Sesc ParatyEditar

Realiza atividades artísticas e culturais, compreendendo o acesso à arte como meio de promoção da cidadania. Localizado em Paraty, na costa verde fluminense, atua ainda na preservação do patrimônio cultural, histórico e arquitetônico da região, além de valorizar e propiciar a manutenção dos povos do território.

Polo Socioambiental Sesc PantanalEditar

Localizado em Mato Grosso, em um dos mais belos cenários do país, este Polo atua na conservação da biodiversidade, protegendo significativa parcela do Pantanal Norte. Ele abarca a maior reserva ambiental privada do país, o que possibilita a preservação das ricas flora e fauna locais. Sua atuação é, hoje, referência em educação, conservação da natureza, pesquisa científica, ação social e turismo sustentável.

Sesc DigitalEditar

A Sesc Digital é uma plataforma de streaming gratuita lançada pelo Sesc São Paulo em 2020 onde são lançados filmes toda semana com curadoria do CineSesc.[2] Na plataforma também foram apresentadas mostras e festivais de cinema como: a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo,[3] o Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo[4] e a Mostra Mundo Árabe de Cinema em Casa.[5]

Em outubro de 2021 foi iniciada uma série para a transmissão de filmes, o Cinema #EmCasaComSesc.[6]

UnidadesEditar

São PauloEditar

Sesc BelenzinhoEditar

Fundado inicialmente no ano de 1998, foi fechado no ano de 2006 para reformas e reaberto em dezembro de 2010.[7]

Sesc BertiogaEditar

O único Sesc do estado de São Paulo que é uma colônia de férias, ou seja, o único que trabalha na área de hotelaria. Também é o único do estado que não é aberto para visitação, então, para o acesso só há duas maneiras: hospedando-se ou comprando um ingresso para passar o dia. O Sesc Bertioga também disponibiliza vários cursos e programas educacionais gratuitos, além de ter vários projetos como shows e teatros para o público.

Sesc PompeiaEditar

 
Prédios antigos do Sesc Pompeia - São Paulo.
 Ver artigo principal: SESC Pompéia

O Sesc Pompeia reúne teatros, quadras esportivas, piscina, lanchonete, restaurante, espaços de exposições, choperia, oficinas e internet livre, entre outros serviços. Seu projeto arquitetônico foi desenvolvido pela arquiteta Lina Bo Bardi em 1977.

Minas GeraisEditar

 
Sesc de Juiz de Fora.

O Serviço Social do Comércio de Minas Gerais (Sesc/MG), fundado em 1948, possui 44 unidades fixas e 16 unidades volantes de trabalho.

Sesc Laces JKEditar

O Sesc Laces JK, localizado na rua dos Caetés, esquina com rua São Paulo, no antigo prédio do Banco Comércio e Indústria, ora tombado pelo patrimônio histórico.

Sesc PalladiumEditar

O Sesc Palladium, inaugurado em agosto de 2011, é um complexo de espaços culturais que inclui dois teatros, cinema, galeria de arte, três espaços multiuso e um acervo. Está situado na sede do antigo cinema Palladium, na Avenida Augusto de Lima. Em 1999, após o fechamento daquele cinema, o Sesc adquiriu o imóvel com o objetivo de transformá-lo em um centro cultural. Em 2011, o Sesc Palladium abriu suas portas.

AmapáEditar

O Serviço Social do Comércio do Amapá (Sesc/AP) foi implantado em 1977.[8]

Ver tambémEditar

Referências

  1. SESC. «História do SESC». Consultado em 14 de outubro de 2008. Arquivado do original em 22 de agosto de 2012 
  2. «SESC SÃO PAULO LANÇA PLATAFORMA DIGITAL COM EXIBIÇÕES GRATUITAS DE FILME». Portal Exibidor. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  3. «MOSTRA DE SÃO PAULO VENDE CERCA DE 70 MIL INGRESSOS NOS PRIMEIROS DEZ DIAS». Portal Exibidor. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  4. «Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo». Portal Exibidor. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  5. «MOSTRA MUNDO ÁRABE DE CINEMA ACONTECERÁ EM FORMATO ONLINE E GRATUITO». Portal Exibidor. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  6. «Assista a filmes com exibição gratuita em streaming na série Cinema #EmCasaComSesc». Sesc Sp. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  7. materia Folha de S.Paulo
  8. «Sesc Amapá | Institucional». Sesc Amapá. Consultado em 26 de maio de 2019 

Ligações externasEditar